As Flores do Imperador

A primeira exposição do ano do Museu Calouste Gulbenkian centra-se nos motivos decorativos de dois magníficos tapetes da Coleção do Fundador, produzidos na Índia mogol, provavelmente no reinado do Xá Jahan (1627-1658).

Os desenhos florais que ornamentam estes exemplares sugerem os diálogos estabelecidos entre o Oriente e o Ocidente ao longo do século XVII e são o pretexto para uma sedutora viagem que faz reviver o fascínio que os bolbos e as flores exóticas suscitaram no Ocidente.

Esse fascínio levou ao estudo e descrição destas plantas, à publicação de compêndios botânicos ilustrados e ao surgimento na Europa de jardins com coleções de flores orientais, árvores exóticas ou outras plantas raras, que conferiam prestígio e distinção aos seus proprietários. De todo o lado acorriam visitantes para admirar as acácias do Egito, os pimentos das Índias, os girassóis, iúcas, aloés, túlipas e fritilárias, entre muitas outras espécies.

Para perpetuar estas coleções foram sendo publicados volumes de grande beleza, ricamente ilustrados por artistas de renome. Organizados por botânicos, tipógrafos, jardineiros ou floristas, estes volumes alcançaram um público cada vez mais diversificado e curioso. Levados por embaixadores, missionários e mercadores europeus nas suas missões diplomáticas, religiosas e comerciais, alguns destes volumes terão chegado à longínqua corte mogol, onde muitas das flores neles representadas eram, desde há muito, conhecidas e admiradas.

Estudos recentes sugerem que as representações de plantas inseridas nestes volumes terão inspirado desenhos realizados por alguns artistas locais, criando assim, no Oriente, elementos de uma nova gramática decorativa, de que estes tapetes são um fascinante exemplo.

 

Os tapetes da Índia na Coleção Gulbenkian

A coleção de tapetes do Museu Calouste Gulbenkian é constituída por oitenta e cinco exemplares, oriundos sobretudo da Pérsia, da Índia e do Cáucaso, que foram adquiridos maioritariamente entre 1907 e 1939. Relativamente aos tapetes indianos, a coleção possui seis exemplares da época mogol. Todos estes tapetes, produzidos em manufaturas reais e urbanas, são de extrema qualidade técnica e artística, demonstrando a mestria e a sofisticação alcançadas pelos tapeceiros da época.

 

As Flores do Imperador

Do Bolbo ao Tapete
Coleção do Fundador e Galeria do Piso Inferior
9 fev-21 mai 2018
Curadoria: Clara Serra e Teresa Nobre de Carvalho