6 maio 2019

António Lobo Antunes na Colóquio/Letras

O novo número da revista Colóquio dedica um dossiê à obra de António Lobo Antunes, oferecendo diferentes perspetivas sobre o universo narrativo do autor.

António Lobo Antunes © DR
António Lobo Antunes © DR

No ano em que se celebram os 40 anos de publicação de Os Cus de Judas, a obra literária de Lobo Antunes é vista pelo olhar de vários especialistas. Assim, neste número da Colóquio, podem ler-se artigos como: “Lógicas do mal em António Lobo Antunes”, de Sérgio Guimarães de Sousa; “A deriva dos afetos”, de Evelyn Blaut Fernandes; “A visita da tia Teresa: experiência da guerra colonial e resiliência pela escrita em Os Cus de Judas’’, de Felipe Cammaert; “O trabalho com as pedras”, de Eunice Ribeiro; e “Crítica do sacrifício e refundação da ‘catharsis’ em Os Cus de Judas”, de Inès Cazalas.

Destaca-se também a publicação de um poema, até agora desconhecido, do poeta, cronista, pintor, militar e cronista português do século XVI, Jerónimo Corte-Real, “La lamentable pérdida del rey don Sebastián y del reino de Portugal”. Trata-se de um relato admirável, no seu realismo, e que tem por trás um sentido político ligado às condições do reino após a batalha de Alcácer-Quibir. A ambiguidade com que apresenta o desaparecimento do rei (embora no fim refira a entrega do corpo que se encontra sepultado no Mosteiro dos Jerónimos), talvez se deva ao nascimento do mito sebástico logo após a batalha; as descrições quer das exéquias do rei quer da coroação de D. Henrique apresentam pormenores de todo o interesse para o estudo da época.

O volume inclui ainda um estudo sobre o primeiro tradutor castelhano de Os Lusíadas, incluído nas Notas & Comentários.

As pinturas que acompanham esta edição da revista, de autoria de Sara Maia, remetem para um mundo original, com raízes no inconsciente e na realidade.