A Cidade Virtuosa de Alfarabi

Uma nova edição da obra A Cidade Virtuosa de Alfarabi, traduzida partir do texto original em língua árabe, é agora publicada na Coleção de Textos Clássicos da Fundação Gulbenkian.

A tradução desta obra é de Catarina Belo, professora na Universidade do Cairo e uma das mais reputadas especialistas em filosofia islâmica, que assina também a introdução, as notas e o glossário.

Esta obra é tida como fundadora da filosofia islâmica medieval e constitui uma síntese de todo o sistema de Alfarabi, autor que viveu entre 870 e 950 d. C. e que desenvolveu um pensamento original nos campos da filosofia, das matemáticas e da música.

Nesta obra, Alfarabi distingue vários tipos de cidades e estabelece as diferenças entre uma cidade virtuosa e uma cidade ignorante, enumerando, à maneira platónica, as qualidades do chefe da cidade ideal. A cidade virtuosa é aquela que conduz à felicidade dos seus habitantes e o seu líder está para a cidade como o coração para o corpo. Alfarabi descreve em pormenor as qualidades excecionais e as virtudes intelectuais e morais que o líder deve possuir. Deverá ser sábio ou filósofo, sob pena de a cidade se desvirtuar ou mesmo ser destruída, e uma das suas tarefas mais importantes do líder é saber deduzir leis novas com base nas tradições antigas, adaptando-as às circunstâncias correntes.

Alfarabi distinge a cidade ignorante, a cidade dissoluta, a cidade alterada e a cidade que se perdeu. A característica comum a estas cidades é o facto de privilegiarem bens materiais acima da verdadeira felicidade, que se obtém através das virtudes. Estes bens materiais podem ser bens do corpo, como os prazeres físicos, ou bens exteriores, como o dinheiro e a honra.

Ver evento