A Muitas vozes – Aqui eu Conto!

Uma iniciativa que torna o Museu Gulbenkian acessível a estudantes estrangeiros

A Muitas vozesAqui eu Conto! é uma iniciativa do Museu Calouste Gulbenkian que proporciona uma oferta educativa especificamente dirigida a migrantes, requerentes de asilo e refugiados que estejam a aprender Português Língua Não Materna (PLNM). Porque a aprendizagem do Português e as visitas culturais são fatores decisivos para um processo de integração bem-sucedido destas comunidades, o Serviço Educativo do Museu trabalhou em parceria com o Conselho Português de Refugiados (CPR) na conceção e implementação desta oferta educativa entre 2018‒2020.

Visitar o Museu e aprender Português

«Será interessante visitar um museu ouvindo a visita numa língua que não domino?…» Motivados pela necessidade de responder a este desafio e pela procura crescente de professores de PLNM de alunos adultos com variadíssimas origens, o projeto A Muitas – Vozes Aqui eu Conto! começou por testar vários formatos de visita que estabelecessem relações entre os diferentes universos pessoais dos alunos e o contexto de Museu.

Em 2018, desenvolveu-se a fase piloto que culminou numa visita orientada pelos próprios alunos do CPR às coleções Gulbenkian no Dia Internacional dos Museus. Nesta vista, cada aluno foi convidado a expor a sua interpretação sobre uma obra à sua escolha, realizando assim o desígnio do próprio projeto. Entre muitas obras, o Naufrágio de um Cargueiro de William Turner foi interpretado como um sinal de esperança que sintetiza as escolhas difíceis da humanidade, o Retrato de Hélène Fourment  de Peter Rubens foi comparado às mulheres contemporâneas do Zimbabué, enquanto a Tela Habitada de Helena Almeida foi lida como uma metáfora da falta de liberdade das mulheres no Irão. Falar em português foi um pré-requisito que não desmotivou os alunos a partilhar as suas interpretações perante um grupo de visitantes portugueses que entraram curiosos e saíram surpreendidos, como testemunhou João Carvalho Dias, curador do Museu Gulbenkian: «há muito tempo que não sentia que estava a aprender tanto».

Duas visitas-jogo para adultos e um curso para professores

Compreendido o potencial das visitas ao Museu e sinalizadas as características deste público-alvo, bem como as necessidades dos seus professores, o projeto apostou na criação de duas visitas-jogo e numa formação para professores e formadores de PLNM.

Conceberam-se duas visitas dedicadas a cada coleção do Museu Gulbenkian que permitem explorar temas distintos que cruzam os conteúdos de PLNM com os interesses dos alunos. Assim, o professor pode optar entre uma visita à Coleção do Fundador sobre os temas de cultura e identidade, ou à Coleção Moderna sobre arte e liberdade. As visitas terminam com um jogo de cartas ilustradas e palavras-chave que têm como objetivo criar um mapa mental coletivo que deixe patente as interpretação pessoais e sintetize a aprendizagem dos alunos, através de uma infinidade de combinações possíveis entre cartas.

«Kit» da visita-jogo © Gonçalo Barriga
«Kit» da visita-jogo © Gonçalo Barriga
«Kit» da visita-jogo © Gonçalo Barriga
«Kit» da visita-jogo © Gonçalo Barriga
«Kit» da visita-jogo © Gonçalo Barriga
«Kit» da visita-jogo © Gonçalo Barriga
«Kit» da visita-jogo © Gonçalo Barriga
«Kit» da visita-jogo © Gonçalo Barriga

Estas visitas contemplam ainda recursos pedagógicos que são disponibilizados ao professor para preparar a visita e exercícios que permitem sedimentar a experiência do Museu a posteriori. Em paralelo, foi concebido um curso formativo, Práticas Teatrais para o Ensino-Aprendizagem do Português Língua Não Materna, que visa ajudar professores e formadores a desenvolverem ferramentas e a capacitá-los na adaptação de currículos. Tal como o título indica, a formação propõe um cruzamento entre o ensino da língua e as práticas do teatro e parte de exercícios que estão disponíveis no Caderno de Práticas Teatrais para a Aprendizagem da Língua, um recurso disponível online, realizado com o apoio do Programa Desenvolvimento Sustentável, da Fundação Calouste Gulbenkian. A formação encontra-se presentemente disponível para marcação através da plataforma do Plano Nacional das Artes

A metodologia aplicada tanto nas visitas ao Museu como no curso formativo e no caderno digital são resultado de vários anos de pesquisa e prática entre Sofia Cabrita — atriz e mediadora cultural —, e Isabel Galvão — professora de português do CPR —, em colaboração estreita desde a primeira edição do projeto PARTIS. As visitas-jogo ao Museu contaram com a colaboração de Diana Pereira e Emma Andreetti na criação de conteúdos e do jogo.

Ao longo dos três anos, a iniciativa A Muitas Vozes – Aqui Eu Conto! realizou 20 sessões com turmas do CPR e contemplou outros grupos piloto com alunos da Renovar a Mouraria, do Serviço Jesuíta aos Refugiados e participantes Erasmus+ da RadioMediteraanee, abrangendo mais de duas centenas de pessoas com dezenas de nacionalidades e línguas diferentes. A todos, o Serviço Educativo do Museu agradece a colaboração e envolvimento que permitem agora disponibilizar uma oferta educativa permanente que torna o Museu Calouste Gulbenkian num espaço mais acessível e a Fundação num local de visita destes públicos-alvo durante os seus processos de acolhimento e integração.