FCG Secção: Atividades Educativas

Entre a ditadura e a democracia – a arte na segunda metade do século XX português

Próximas sessões

Sobre a atividade:

Duração: 60 minutos

Mínimo de Participantes: 10

Máximo de Participantes: 25

Idioma: Português

Preço: 6,00 €

Onde:

Ponto de Encontro: Museu Calouste Gulbenkian - Coleção Moderna

Abrir Google Maps

“Rutura”, “Vanguarda” e “Modernidade” são as palavras-chave quando nos referimos à primeira metade do século XX, mas na segunda metade tudo isto se deu ainda em maior escala.
Os artistas e os públicos transformaram-se, e as vivências culturais, mentais, políticas, sociais e económicas passaram a interferir, de forma muito mais constante e acutilante, no pensamento artístico. Quais as motivações, os movimentos e artistas que fizeram essas mudanças? De que forma o regime do Estado Novo pautou os discursos artísticos ditando as premissas de uma estética propagandística? Que movimentos, que respostas, que discursos se constroem fora da esfera artística oficial do regime? Quais os impactos da guerra colonial, do exílio, da emigração nos artistas portugueses? Como pode a arte construir alternativas, utopias, manifestos?
A partir da atual montagem de Portugal em Flagrante, esta visita procurará acompanhar as vicissitudes da segunda metade do século XX em Portugal, de forma dialogada e participada.

Orientação
Hilda Frias