TESTAR + SALVAR +

Campanha de angariação de fundos para testar profissionais de saúde expostos ao vírus SARS-CoV-2.

 

Profissionais de com Saúde. Mais segurança no regresso. 

 

Fazer donativo

 

Vamos ajudar quem está a cuidar!

O novo vírus SARS-CoV-2 trouxe muitos desafios e a necessidade urgente de definir estratégias eficientes para o combater. Testar os Profissionais de Saúde que estão na linha da frente permite quebrar uma importante cadeia de transmissão, antecipar medidas para uma potencial nova vaga e proteger toda a sociedade. 

Os cientistas do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) mobilizaram-se, para ajudar a proteger os profissionais de saúde que estão no combate à COVID-19, através da realização periódica de testes de diagnósticos para deteção do vírus (testes PCR) e para a medição de anticorpos de resposta ao vírus (testes serológicos).

Assim saberemos quem está, esteve ou poderá estar exposto à doença.

 

Testar periodicamente os profissionais de saúde, com e sem sintomas, permite:

  • Controlar a propagação do vírus;
  • Preparar uma segunda vaga de infeção; 
  • Proteger a sociedade.

O IGC acredita que o envolvimento das instituições de investigação é essencial no combate à pandemia e está a disponibilizar as suas plataformas tecnológicas e competências científicas ao serviço do bem comum por intermédio de parcerias com instituições hospitalares. 

A Fundação Calouste Gulbenkian junta-se a esta mobilização da sociedade civil duplicando o valor de cada donativo, o que permitirá realizar o dobro dos testes a profissionais de saúde na linha da frente.

 

Vamos testar mais profissionais de saúde!

O seu donativo vai ajudar-nos a cumprir esta missão! 

Fazer donativo

 

Profissionais de Saúde, sintomáticos e assintomáticos, em contacto direto com pacientes COVID-19.

Identificar quem são os portadores (testes de diagnóstico de infeção) e quem está exposto ao vírus (testes serológicos-medição de anticorpos) no pessoal hospitalar.

  • Prevalência por hospital: permite gerir a proteção e sustentabilidade da resposta dos profissionais de saúde na linha da frente;
  • Prevalência por serviço: permite gerir a alocação de tarefas/reorganização de serviços e gestão do esforço (COVID/ não COVID) na segunda vaga;
  • Quem é portador e quem tem anticorpos: permite gerir as equipas de serviço e de períodos de férias entre vagas.

As amostras de zaragatoa nasofaríngea e orofaríngea bem como as amostras de sangue serão colhidas a cada profissional com um intervalo de 3 semanas por um período de pelo menos 3 meses. As amostras são processadas nos laboratórios do Instituto Gulbenkian de Ciência. 

Centro Hospitalar Lisboa Ocidental (incluí os Hospitais Egas Moniz, Santa Cruz e São Francisco Xavier) e Hospital Fernando da Fonseca (Amadora – Sintra). Numa primeira fase, serão testados 1000 profissionais destes hospitais.

Vimos solicitar um apoio da sociedade civil, no valor de 30 000 Euros que contribuirá para o financiamento dos reagentes necessários para a realização de 1000 testes a profissionais de saúde.

Cada teste tem um custo de 30 euros ( custo dos reagentes). O IGC cede todos os equipamentos necessários à realização destes testes e, utilizando a sua unidade de genómica e sistema robotizado.

Todos os cientistas envolvidos estão a trabalhar de forma voluntária na produção e realização dos testes aos profissionais de saúde e várias empresas já se associaram a esta iniciativa para permitir a execução deste projeto (no transporte das amostras, na comunicação da campanha).

A campanha estará a decorrer de 7 Maio a 30 Junho de 2020.

 

 

 

Parceiros 


SMASH