3ª Edição 2021

Em homenagem ao Professor António Coutinho, antigo Diretor do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) e impulsionador da ciência a nível nacional que garantiu a projeção internacional do conhecimento científico, o IGC, em parceria com a Fundação Merck (FM) empresa de ciência e tecnologia, e o Município de Oeiras (MO),  criaram um programa anual em seu nome que inclui duas bolsas e um prémio.

Os António Coutinho Science Awards são dirigidos a estudantes dos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) ou descendestes de nacionais dos PALOP residentes em Portugal, bem como a estudantes e investigadores doutorados residentes nos PALOP. Estão abertas as candidaturas para a 3ª edição, que irá atribuir duas Bolsas de Investigação e um Prémio Científico.

 

Candidaturas 

De 3 de Fevereiro a 30 de Abril de 2021.

Mais informações através do email [email protected]

 

Candidaturas Bolsas Candidaturas Prémio

 

 

 

 

Perguntas Frequentes

O desenvolvimento de atividades de investigação e inovação é um fator fundamental para a educação, envolvimento com a sociedade e para o progresso da comunidade.

O Instituto Gulbenkian de Ciência atribui, de acordo com regulamento próprio e aprovado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, bolsas para projetos de investigação científica nas áreas das ciências da vida, ciências da saúde ou ciências exatas.

O programa António Coutinho Science Awards procura honrar não só o nome do Professor António Coutinho mas, principalmente, o espírito humano, respeitando e acolhendo a sua riqueza naturalmente diversa. 

O programa oferece:

1) a estudantes nacionais ou descendentes de nacionais dos PALOP, residentes em Portugal, uma bolsa de investigação para desenvolverem projetos de investigação científica no contexto das suas teses de mestrado;

2)  a estudantes dos PALOP, e aí residentes, uma bolsa de investigação para desenvolverem projetos de investigação científica no contexto das suas teses de mestrado ou mestrado integrado. O projeto de investigação é desenvolvido numa instituição de investigação portuguesa à sua escolha;

3) a investigadores doutorados dos PALOP, aí residentes e de reconhecido mérito, um prémio de investigação científica que pretende reconhecer e premiar projetos inovadores e de relevância estratégica que fomentem colaborações internacionais, a atualização contínua de conhecimento e promovam transferência de tecnologias. O projecto de investigação é desenvolvido numa instituição de investigação portuguesa à sua escolha.

O concurso para o programa António Coutinho Science Awards é organizado pelo Instituto Gulbenkian de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) em parceria com a Fundação Merck e o Município de Oeiras.

António Coutinho é médico, imunologista e um dos mais reputados cientistas portugueses. Ele é um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento científico de Portugal, em particular na área das ciências da vida. Humanista, educador e mentor nato, criou em 1993, na posição de Diretor do Instituto Gulbenkian de Ciência, os programas doutorais em Biomedicina do Instituto Gulbenkian de Ciência (PGDBM) e apoiou a criação, 20 anos mais tarde, do Programa de pós-Graduação em Ciência para o Desenvolvimento (PGCD), dirigido a estudantes dos países africanos de língua oficial portuguesa. Estes programas não só foram uma referência de inovação para a criação de outros programas doutorais no mundo, como continuam a representar um legado fundamental na democratização da ciência e na formação de cientistas de diversas origens, continuando a oferecer a gerações de jovens a possibilidade de aprender a fazer ciência com alguns dos melhores cientistas internacionais, em instituições de vários continentes.

O programa António Coutinho Science Awards destina-se a contribuir para o percurso de investigação científica de cidadãos dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, ou seus descendentes, nas áreas das ciências da vida, ciências da saúde ou ciências exatas. O programa tem como objetivo promover a diversidade na comunidade científica, criando um terreno cada vez mais fértil para o aparecimento de novas soluções para os problemas de toda a humanidade. Assim, procuram-se candidatos motivados e determinados a desenvolver uma carreira científica, a procurar respostas a perguntas científicas relevantes e com impacto de forma a contribuir para o desenvolvimento da ciência no mundo e nas suas comunidades.

Anualmente são atribuídas duas bolsas de investigação de mestrado e um prémio de investigação científica.

As duas bolsas de investigação de mestrado têm a duração de 10 meses consecutivos.

O prémio de investigação destina-se a financiar a realização de um projecto de investigação avançada durante 9 meses consecutivos.

As bolsas de investigação de mestrado atribuídas seguem os valores estipulados pela Fundação para a Ciência e Tecnologia para Bolsas de Investigação (BI) em Portugal para licenciados. 

No caso da bolsa para estudantes residentes em Portugal, serão cobertos os custos relativos a propinas de estudo e custo de investigação*. No caso da bolsa para estudantes residentes nos PALOP, serão cobertos os custos relativos a uma viagem de ida e volta entre o país de residência e Portugal, custos de investigação* e um curso de inglês.

No caso do prémio de investigação, o programa António Coutinho Science Awards atribuirá um montante total de 15.000 (quinze mil) Euros a investigadores distinguidos com o prémio. Estas despesas incluem: deslocação entre o país de origem e Portugal e custos de subsistência, despesas necessárias à execução do projeto de investigação e despesas com consumíveis. Consulte aqui o regulamento.

* Entende-se por custos de investigação todas as despesas necessárias à formação do bolseiro exigidas pela instituição académica portuguesa de acolhimento. São aceites despesas com consumíveis.

Tanto as bolsas como o prémio não cobrem despesas referentes à compra de equipamentos ou material de escritório nem custos relacionados com o comparecimento ou participação em conferências científicas. Custos de alojamento ficam ao encargo dos bolseiros.

Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, São Tomé e Príncipe.

As candidaturas são feitas através do portal online indicado nos editais.

Candidatos ao programa António Coutinho Science Awards têm a motivação e determinação para desenvolver uma carreira científica, para procurar respostas a perguntas científicas relevantes e com impacto de forma a contribuir para o desenvolvimento da ciência no mundo e nas suas comunidades.

Candidatos ao programa  terão que, de acordo com cada categoria de bolsa, cumprir as seguintes condições:

A. Bolsa de Investigação de Mestrado (BI-M PT):

-ser de nacionalidade de um dos PALOP ou de descendência direta de um cidadão destes países;

- ser estudante universitário de um programa de mestrado numa instituição de ensino superior portuguesa;

- ser estudante de uma disciplina nas áreas das ciências da vida, ciências da saúde ou ciências exatas;

- sendo residente no concelho de Oeiras do distrito de Lisboa, poderá desenvolver o seu projeto de investigação numa instituição de investigação portuguesa à sua escolha;

- sendo residente fora do concelho de Oeiras do distrito de Lisboa, deverá desenvolver o seu projeto de investigação numa instituição de investigação sediada no concelho de Oeiras.


B. Bolsa de Investigação de Mestrado (BI-M PALOP):

- ser de nacionalidade de um dos PALOP;

- ser estudante universitário de um programa de mestrado, ou licenciatura com mestrado integrado, numa universidade dos PALOP;

- ser estudante de uma disciplina nas áreas das ciências da vida, ciências da saúde ou ciências exatas;

C. Prémio Científico:

 - ser de nacionalidade de um dos PALOP;

- ser residente num dos PALOP;

- tenha adquirido o grau de Doutor numa disciplina nas áreas das ciências da vida, ciências da saúde ou ciências exatas;

- tenha histórico comprovado de desenvolvimento trabalho de investigação científica de excelência nos PALOP;

Matemática, Física, Química, Agronomia, Biotecnologia, Geologia, Meteorologia, Climatologia, Oceanografia, Ciência da Computação, Astronomia, Estatística.

Não são elegíveis às bolsas os candidatos que:

A. Bolsa de Investigação de Mestrado (BI-M PT)

- terminem o período académico de mestrado antes do início ou durante o período de estágio;

- não sejam nacionais, ou não tenham pais nacionais, de um dos PALOP;

- não sejam alunos nas áreas de ciências da vida, ciências da saúde ou ciências exatas numa universidade portuguesa;

- não sejam residentes em Portugal.

B. Bolsa de Investigação de Mestrado (BI-M PALOP)

- terminem o período académico de mestrado ou mestrado integrado antes do início ou durante o período de estágio;

- não sejam nacionais de um dos PALOP;

- não sejam alunos nas áreas de ciências da vida, ciências da saúde ou ciências exatas numa universidade de um PALOP.

C. Prémio Científico

- não sejam nacionais de um dos PALOP;

- não sejam residentes num dos PALOP;

 - não tenham adquirido o grau de Doutor;

- não sejam profissionais nas áreas de ciências da vida, ciências da saúde ou ciências exatas;

- não tenham proposto um plano de investigação na sua candidatura;

- não tenham histórico comprovado de trabalho de investigação científica de excelência nos PALOP.

Candidaturas às Bolsas devem incluir:

a) Comprovativo de nacionalidade. Candidatos portugueses devem apresentar comprovativo de cidadania dos PALOP de um dos seus pais e prova de parentesco;

b) Comprovativo de residência;

c) Comprovativo de inscrição num curso de licenciatura com mestrado integrado ou programa de mestrado numa das áreas de ciências da vida, ciências da saúde ou ciências exatas numa instituição de ensino superior de um dos PALOP ou Portugal;

d) Carta de motivação (máximo de 2 páginas);

e) Curriculum vitae (máximo de 2 páginas);

f) Proposta de plano de tese, incluindo um sumário, objetivos, metodologia e cronograma, assim como os laboratórios e respetivas instituições de investigação de acolhimento onde poderão desenvolver o projeto durante o período da bolsa;

g) Nomes e contactos de duas referências bem como a descrição das ligações académicas ou profissionais com o candidato.

Candidaturas ao Prémio de Investigação Científica devem incluir:

a) Cópia de passaporte ou outro documento oficial que comprove cidadania de um dos PALOP;

b) Comprovativo do grau de doutor numa das áreas de ciências da vida, ciências da saúde ou ciências exatas;

c) Comprovativo de afiliação académica numa instituição de ensino superior ou de investigação do um dos PALOP;

d) Uma carta de motivação (máximo de 2 páginas);

e) Curriculum vitae detalhado do candidato que inclua uma breve descrição dos 3 trabalhos mais relevantes realizados no passado;

f) Um resumo do projeto a desenvolver (abstract), não devendo ultrapassar as 250 palavras, e que inclua também:

- Título do trabalho

- Nome do investigador e respetivos contactos (endereço, endereço eletrónico e contacto telefónico)

- Identificação do laboratório e respetiva Instituição Acolhedora portuguesa onde o trabalho será realizado

- Indicação de fontes de financiamento suplementares ao projeto, se aplicável

g) Um documento com, no máximo, 2000 palavras onde conste:

- Estado da arte

- Objetivos e relevância/impacto do projeto

- Metodologia

- Cronograma cujo prazo de execução não exceda os 9 (nove) meses

- Resultados esperados e perspetivas futuras

- Estimativa de custos

h) Os trabalhos de investigação que envolvam experimentação animal ou humana deverão apresentar evidência da sua aprovação pelas autoridades regulamentares competentes, de acordo com as boas práticas clínicas e legislação em vigor.

Consulte o regulamento do prémio aqui.

 

Recomenda-se que os candidatos se informem nos sites das universidades e institutos de investigação em Portugal de forma a identificar que grupos trabalham nas áreas relevantes para a linha de investigação a seguir durante o período da bolsa ou do prémio.

Candidatos à tipologia de bolsa BI-M PT e residentes fora do concelho de Oeiras, devem escolher um grupo de investigação afiliado com uma das seguintes instituições para realizar o seu estágio:

  • Instituto Superior Técnico (IST) no campus Taguspark, Oeiras - O campus Taguspark dispõe de um conjunto alargado de laboratórios de ensino e investigação nas suas diferentes áreas científicas, destacando-se: um laboratório multimédia, um laboratório de jogos, um laboratório de eletrónica e um laboratório de bioengenharia.
  • Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV) - As atividades de investigação, desenvolvimento, experimentação e inovação em curso no INIAV, desenvolvidas nas Unidades de Investigação, estão divididas nas seguintes Unidades de Investigação (organizadas no seio do Conselho Científico): Ciência e Tecnologia dos Alimentos, Florestal, Melhoramento de Plantas, Patologia e Microbiologia Animal, Produção Animal, Sistemas Agrários: Produção e Sustentabilidade, Viticultura e Enologia.
  • Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica (iBET) - O Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica (iBET) é uma organização de investigação em biotecnologia. As áreas alvo do iBET são: os biofarmacêuticos e novas terapias; a estabilidade de proteínas, a sua estrutura e o design de fármacos; a água, a energia e o ambiente; a alimentação e bem-estar; agro-florestal e ambiente; a unidade piloto e os serviços analíticos.
  • Instituto Gulbenkian de Ciencia (IGC) - O IGC integra 32 grupos de investigação, com cientistas de 41 nacionalidades diferentes, que estudam desde como o organismo se forma até à interação deste no meio ambiente e como o pode afetar.
  • Instituto de Tecnologia Química e Biológica António Xavier (ITQB) - O ITQB NOVA desenvolve investigação na área de Biociências Moleculares, abrangida por quatro amplas disciplinas científicas: Biologia Celular e Molecular, Biologia Molecular e Estrutural, Biotecnologia e Biologia de Sistemas e Biologia Química.
  • Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) - Com responsabilidades ao nível do território nacional nos domínios da atmosfera e do mar, o IPMA concentra os seus esforços de investigação em projetos Multidisciplinares, Pescas e Mar, Geofísica, Clima, Meteorologia, e Geologia marinha.
  • Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa (FMH) -  A FMH engloba 2 Unidades de Investigação e Desenvolvimento, 4 centros de estudo e 10 laboratórios de investigação na área científica de motricidade humana, que visa o estudo dos fenómenos associados à compreensão aprofundada dos processos de produção e dos efeitos do movimento humano, numa perspetiva biopsicossocial.
  • Universidade Atlântica - A Atlântica, Escola Universitária de Ciências Empresariais, Saúde, Tecnologias e Engenharia, é uma instituição de ensino e investigação orientada para públicos diferenciados em vários momentos dos percursos vocacionais e profissionais. A Atlântica engloba o Centro de Engenharia Tecnológica e Inovação, e tem parcerias com a European Research Composite Observatory.

Os candidatos serão avaliados por um júri de peritos nas áreas científicas relevantes ao perfil dos candidatos e projetos propostos em cada edição das bolsas. Este júri é composto por membros da entidade organizadora (IGC), da comunidade científica portuguesa e dos PALOP.

Na primeira ronda de seleção, candidatas e candidatos serão classificados. Aqueles com melhor classificação serão convidados para entrevista. Os critérios desta classificação serão:

a)    Curriculum vitae (30%)

b)    Carta de motivação (30%)

c)     Plano de projeto (30%)

d)    Cartas de referência (10%)

As entrevistas são realizadas pelo júri por videoconferência.

Após entrevista, candidatos selecionados passarão para a fase de match-making, durante a qual terão de apresentar cartas de aceitação dos laboratórios de investigação onde pretendem desenvolver os seus projetos.

Para cada tipologia de bolsa, o candidato com a melhor proposta de trabalho e com um laboratório de acolhimento definido será selecionado para receber a bolsa.

Candidatos ao prémio de investigação deverão consultar o regulamento aqui.

Os resultados são comunicados por e-mail, directamente para os candidatos seleccionados, e online nesta página.

Anualmente, é formado um júri com experiência nas áreas científicas relevantes ao perfil dos candidatos e projetos propostos em cada edição das bolsas. Este júri é composto por membros da entidade organizadora (IGC) e por cientistas investigadores dos PALOP. O júri tem a função de avaliar, entrevistar e selecionar os candidatos. A identidade dos membros do júri é divulgada aquando da publicação dos resultados do concurso.

Júri 2019

Patrícia Beldade, Bióloga Evolutiva, Instituto Gulbenkian de Ciência, Portugal

Ana Aranda, Bióloga Marinha, Instituto Gulbenkian de Ciência, Portugal

Jorge Carneiro, Biólogo teórico e computacional, Instituto Gulbenkian de Ciência, Portugal

Maria João Amorim, Virologista, Instituto Gulbenkian de Ciência, Portugal

Júri 2020

Amabélia Rodrigues, epidemiologista e diretora de investigação do Centro de Saúde de Bandim, Guiné Bissau

Salomão Bandeira, biólogo marinho, investigador e professor na Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique

Ana Aranda, bióloga marinha e Training Officer do Instituto Gulbenkian de Ciência, Portugal

Jorge Carneiro, biólogo teórico e computacional, investigador principal e diretor do programa de doutoramento IBB do Instituto Gulbenkian de Ciência, Portugal

Leonor Ruivo, neurocientista e coordenadora do Programa de Ciência para o Desenvolvimento do Instituto Gulbenkian de Ciência, Portugal

Teresa Carmona, representante de Recursos Humanos, Instituto Gulbenkian de Ciência, Portugal

A data de início está neste momento pendente da evolução da atual pandemia de COVID-19.

Tanto as bolsas de investigação como o prémio científico do programa António Coutinho Science Awards poderão ser iniciados entre os meses de Setembro e Fevereiro após a nomeação dos premiados.

No final do período das bolsas, deverá ser entregue um relatório sobre o projeto que desenvolveram. Adicionalmente, são convidados a dar uma apresentação oral dos seus resultados.

O IGC apoia na marcação de viagens, emissão de declarações para obtenção de visto, aquisição de um número de identificação fiscal português e abertura de uma conta bancária em Portugal.

Welcome guide – Neste guia pode encontrar a informação sobre o que é necessário tratar para vir para Portugal .

Toda a informação e documentos pedidos para as candidaturas são armazenadas por um período de 1 ano e depois eliminadas, seguindo todas as normas estipuladas pelo Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD).

Se os candidatos desejarem manter-se em contacto com a organização e receber informação sobre futuras edições do programa de bolsas e cursos de formação associados, poderão indicar que autorizam que o seu contacto de email seja guardado.

 

 


Parceiros

Câmara Municipal de Oeiras          Merck