Evocações, Passagens, Atmosferas. Pintura do Museu Sakip Sabanci, Istambul

50.º Aniversário da Fundação Calouste Gulbenkian

Exposição organizada em parceria pelo Museu Calouste Gulbenkian e pelo Sakip Sabanci Müzesi (Istambul). A mostra apresentou ao público um conjunto de manuscritos e livros impressos, produzidos entre os séculos XII e XX, abrangendo uma ampla área geográfica, do Ocidente ao Oriente.
Exhibition organised by the Calouste Gulbenkian Museum in partnership with the Sakip Sabanci Museum, Istanbul. The show featured a selection of paintings by Turkish artists as well as a few works by Portuguese artists. It included depictions of views of the Bosporus and covered the naturalist art movement and how it was introduced to Turkey.

Exposição organizada em parceria pelo Museu Calouste Gulbenkian (MCG) e pelo Museu Sakip Sabanci (SSM), da Universidade de Sabanci, em Istambul, na sequência da colaboração estabelecida entre os dois museus em 2006, aquando da organização da exposição «The Art of the Book from East to West and Memories of the Ottoman World», realizada em Istambul. Desta feita, as duas instituições uniam esforços para homenagear Calouste Gulbenkian e o seu percurso de vida, levando a cabo uma mostra que fazia a ligação entre Lisboa, Istambul e Paris, locais representados nas pinturas em exibição e que faziam parte da geografia afetiva do Fundador.

Segundo informação colhida no Relatório, Balanço e Contas da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) de 2007, a exposição «Evocações, Passagens, Atmosferas. Pintura do Museu Sakip Sabanci, Istambul» encerrou «o ciclo de atividades desenvolvidas pelo Museu no âmbito do Cinquentenário da Fundação» reunindo «um conjunto de 48 obras de finais do século XIX e da primeira metade do século XX, nas quais predominavam vistas do Bósforo, marinhas e cenas da vida quotidiana, com paisagens urbanas e campestres na Turquia, em França e em Portugal. […] incluíram-se ainda obras pertencentes à colecção do CAMJAP executadas por pintores portugueses que, à semelhança dos seus contemporâneos turcos, fizeram a sua formação artística em Paris» (Relatório, Balanço e Contas, 2007, 2008, pp. 44-45).

O conceito expositivo partiu da iniciativa da conservadora responsável pela coleção de pintura do MCG, Luísa Sampaio, tendo sido aceite pelo seu diretor, João Castel-Branco Pereira, e, posteriormente, pelo presidente da FCG, Emílio Rui Vilar, e pelo Conselho de Administração do Museu Sakip Sabanci, da Universidade de Sabanci.

Na sequência dos contactos estabelecidos entre João Castel-Branco Pereira e Nazan Ölçer, diretora do SSM, concordou-se em complementar a seleção de pinturas do museu turco com um conjunto de dez nomes do panorama do movimento naturalista português, provenientes da coleção do Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão (Carta de Nazan Olçer para João Castel-Branco Pereira, 30 jan. 2007, Arquivos Gulbenkian, MCG 03542).

O projeto expositivo, atribuído a Mariano Piçarra, albergava quatro núcleos, agrupados temática e cronologicamente, iniciando-se o percurso com a segunda pintura adquirida por Calouste Gulbenkian, em 1899: Ciprestes em Scutari (c. 1860-1870), do francês Félix Ziem.

No primeiro conjunto de obras predominava a temática arquitetónica e de interiores de mesquitas, como a representada na pintura Santa Sofia (1906) de Sevket Dag (1876-1944), pintor natural de Istambul.

O núcleo de maior dimensão oferecia ao visitante um alargado conjunto de vistas do Bósforo (estreito que liga os mares Negro e de Mármara e que marca os limites entre os continentes asiático e europeu na Turquia), como a Visita ao Veleiro, do suíço Adolphe Bachmann (c. 1880-?) ou Navios em Sarayburnu (1895), do turco David Çiraciyan (1839-1907). Ao «navegar» pela exposição, o visitante podia observar outros temas, nomeadamente marinhas, onde se destacava a obra do pintor russo de ascendência arménia Ivan Konstantinovich Aivazovsky (1817-1900) (Comunicado de imprensa, 2007, Arquivos Gulbenkian, MCG 03542).

O núcleo seguinte reunia um conjunto de obras de pintura de ar livre datadas da segunda metade do século XIX, período em que a prática artística ocidental foi influenciando o gosto dos jovens artistas da cidade de Istambul. Na apresentação que redigiu para o catálogo da exposição, Nazan Ölçer reforçou a ideia de que foi durante «a introdução de reformas que visavam promover a ocidentalização do Império Otomano, no século XIX, [que] foi proporcionada a oportunidade a estudantes militares de prosseguirem os seus estudos na Europa, sobretudo em França, onde muitos estudaram arte», e foram esses mesmos jovens artistas que abriram as portas ao estilo europeu e o introduziram no antigo território do Império Otomano (Evocações, Passagens, Atmosferas…, 2007).

A exposição terminava com um breve conjunto de pinturas executadas em Paris e onde se encontravam representados artistas turcos, como Namik Ismail (1890-1935), e artistas portugueses, como Dordio Gomes (1890-1976) e Francis Smith (1881-1961).

De acordo com Raquel Henriques da Silva, «o que mais cativou a equipa envolvida [foi] o modo como aquele conjunto de pinturas turcas, apropriando dois momentos de arte francesa do tempo (o naturalismo e as variantes do impressionismo), recorda a pintura portuguesa contemporânea, nascida à volta de António Silva Porto e João Marques de Oliveira, eles também bolseiros do Estado nos anos de 1870 e fermento de gerações sucessivas de discípulos, delineando a solidez académica e sociológica do nosso naturalismo» (Silva, L+arte, ago. 2007, p. 34).

O catálogo que acompanhou a exposição, publicado pela FCG, em versão bilingue (português/inglês), abre com uma epígrafe de Calouste Gulbenkian, extraída do livro La Transcaucasie et la Péninsule d'Apchéron. Souvenirs de Voyage (1891): «Não se descreve o Bósforo. Uns viram-no, outros vê-lo-ão um dia; e os que nunca terão esse contentamento imaginam-no maravilhoso a partir da narrativa apaixonada dos viajantes […]. A verdade é que o Bósforo é belo, sem dúvida, intensamente belo.» (Evocações, Passagens, Atmosferas…, 2007)

A publicação conta com apresentações de Emílio Rui Vilar, João Castel-Branco Pereira e Nazan Ölçer e reparte-se em dois núcleos – pintura turca e pintura portuguesa –, cada um dos quais antecedido por um ensaio. O primeiro, «Uma panorâmica da pintura turca (1850-1950)», da autoria de Ferit Edgü, consultor do Museu Sabanci; o segundo «Pintura portuguesa entre os séculos XIX e XX: tradições naturalistas e gosto de experimentação», assinado por Raquel Henriques da Silva (Ibid.).

A exposição contou com as habituais visitas guiadas, organizadas e orientadas pelo Serviço Educativo do MCG, e com uma conferência de imprensa, realizada no dia 13 de junho de 2007 (véspera da inauguração) na Sala de Congressos da Sede da FCG, para a qual foram convidados jornalistas portugueses e turcos e a que presidiram, por parte da FCG, Emílio Rui Vilar e João Castel-Branco Pereira, e Nazan Ölçer e Güler Sabanci, em representação do SSM e da Universidade de Sabanci.

A inauguração da mostra realizou-se no dia 14 de junho de 2007 na Galeria de Exposições Temporárias do Museu Calouste Gulbenkian, contando com as presenças da ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima, da presidente do Conselho de Administração da Universidade de Sabanci, Güler Sabanci, do presidente da FCG, Emílio Rui Vilar, da comissária executiva da mostra, Luísa Sampaio, entre muitas outras personalidades do mundo da arte, da cultura e da política.

Até à data do seu encerramento, a exposição contabilizou 14 531 visitas.

Joana Atalaia, 2019


Ficha Técnica


Artistas / Participantes


Coleção Gulbenkian

Praça de Camões

Abel Manta (1888-1982)

Praça de Camões, 1954 / Inv. 62P75

Na adega

Abel Salazar (1889-1946)

Na adega, (1936) / Inv. 83P96

St.Tropez

Adriano de Sousa Lopes (1879-1944)

St.Tropez, Inv. 88P1173

Nocturno

António Carneiro (1872-1930)

Nocturno, 1911 / Inv. 83P982

s/título (Capela de Nossa Senhora da Pedra)

António Carneiro (1872-1930)

s/título (Capela de Nossa Senhora da Pedra), 1916 / Inv. 83P991

Ponte do Carroussel

Dordio Gomes (1890-1976)

Ponte do Carroussel, 1922 / Inv. 81P76

Palmeira

Eduardo Viana (1881-1967)

Palmeira, c. 1920-1925 / Inv. 83P423

Paisagem

Emmerico Nunes (1888-1968)

Paisagem, Inv. 83P1393

Saint Germain-des-Prés

Francis Smith (1881-1961)

Saint Germain-des-Prés, Inv. 83P513

Recuar da onda

João Cristino da Silva (1829-1877)

Recuar da onda, c.1857 / Inv. 82P469


Eventos Paralelos

Visita(s) guiada(s)

[Evocações, Passagens, Atmosferas. Pintura do Museu Sakip Sabanci, Istambul]

15 jun 2007 – 26 ago 2007
Fundação Calouste Gulbenkian / Museu Calouste Gulbenkian – Galeria de Exposições Temporárias
Lisboa, Portugal

Publicações


Material Gráfico


Fotografias

Conferência de imprensa. Güler Sabanci, Emílio Rui Vilar e Luísa Sampaio
Conferência de imprensa. Güler Sabanci (à esq.) e Mariano Piçarra (à dir.)
Conferência de imprensa
Conferência de imprensa. Nazan Ölçer (ao centro)
Conferência de imprensa. Güler Sabanci (atrás, à esq.) e Nazan Ölçer (à frente, à dir.)
Conferência de imprensa. Nazan Ölçer (à frente, ao centro), João Castel-Branco Pereira (atrás, ao centro) e Luísa Sampaio (atrás à dir.)
Conferência de imprensa. Emílio Rui Vilar (à esq.), Luísa Sampaio (atrás, ao centro) e Nazan Ölçer (à dir.)
Conferência de imprensa. Nazan Ölçer, Güler Sabanci, Emílio Rui Vilar e João Castel-Branco Pereira
Conferência de imprensa. Nazan Ölçer, Güler Sabanci, Emílio Rui Vilar e João Castel-Branco Pereira
Conferência de imprensa. Nazan Ölçer
Conferência de imprensa. Nazan Ölçer (à esq.) e Güler Sabanci (à dir.)
Luísa Sampaio (à esq.) e Güler Sabanci (ao centro)
Nazan Ölçer (à esq.) e João Castel-Branco Pereira (à dir.)
Luísa Sampaio (atrás, ao centro), Nazan Ölçer (ao centro.) e João Castel-Branco Pereira (à frente, à dir.)
Emílio Rui Vilar (à esq.) e Güler Sabanci (à dir.)
Luísa Sampaio (à esq.) e Emílio Rui Vilar (ao centro)
Emílio Rui Vilar (à esq.) e Güler Sabanci (à dir.)
Emílio Rui Vilar (à esq.), Güler Sabanci (ao centro) e Luísa Sampaio (à dir.)
Güler Sabanci (ao centro, à esq.), Emílio Rui Vilar (ao centro, à dir.) e Luísa Sampaio (à dir.)
Güler Sabanci (ao centro, à esq.), Emílio Rui Vilar (ao centro), Luísa Sampaio (ao centro, à dir.) e João Castel-Branco Pereira (à dir.)
Nazan Ölçer (à esq.), Güler Sabanci (ao centro, à dir.) e Luísa Sampaio (à dir.)
Güler Sabanci (ao centro) e Emílio Rui Vilar (à dir.)
João Castel-Branco Pereira (à esq.) e Raquel Henriques da Silva (à dir.)

Documentação


Imprensa


Fontes Arquivísticas

Arquivos Gulbenkian (Museu Calouste Gulbenkian), Lisboa / MCG 03542

Pasta com documentação referente à produção da exposição. Contém correspondência preparatória do projeto da exposição entre o Museu Calouste Gulbenkian e o Museu Sakip Sabanci, listagem das peças, planta da sala de exposições, textos de tabela, convite, comunicado de imprensa, plano de divulgação da exposição na imprensa, folheto, orçamentos, seguros, entre outros. 2006 – 2007

Arquivo Digital Gulbenkian, Lisboa / ID: 157197

Coleção fotográfica, cor: aspetos (FCG, Lisboa) 2007

Arquivo Digital Gulbenkian, Lisboa / ID: 157486

Coleção fotográfica, cor: conferência de imprensa (FCG, Lisboa) 2007

Arquivo Digital Gulbenkian, Lisboa / ID: 157222

Coleção fotográfica, cor: inauguração (FCG, Lisboa) 2007

Arquivo Digital Gulbenkian, Lisboa / ID: 157338

Coleção fotográfica, cor: montagem (FCG, Lisboa) 2007


Exposições Relacionadas

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.