Perguntas Frequentes

Âmbito do Prémio

O Prémio Gulbenkian para a Humanidade sublinha o compromisso da Fundação Calouste Gulbenkian para com a urgência da ação climática. Este compromisso traduz-se na ambição de acelerar a transição para uma sociedade neutra em carbono, de mitigar os efeitos negativos das alterações climáticas para as pessoas, para o ambiente e para a economia, e de promover uma sociedade mais resiliente e preparada para as alterações globais do futuro, protegendo em especial os mais vulneráveis.

O Prémio Gulbenkian para a Humanidade pretende distinguir pessoas, grupos de pessoas e/ou organizações de todo o mundo cujas contribuições para a mitigação e adaptação às alterações climáticas se destacam pela sua originalidade, inovação e impacte. Com esta iniciativa, pretende-se destacar e alavancar respostas de ação climática de elevada dimensão, contribuindo para acelerar a descarbonização da economia, proteger as pessoas e os sistemas naturais dos graves efeitos associados à crise do clima e promover o desenvolvimento sustentável.

O Prémio Gulbenkian para a Humanidade centrar-se-á no reconhecimento de percursos e contribuições para resolver a crise climática por um período mínimo de 5 anos (2020-2024). Após este período, cabe ao Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian anunciar se a temática se mantém ou se será lançada uma nova área de reconhecimento de elevada relevância para a humanidade.    

No atual contexto, a Fundação Calouste Gulbenkian considera como potenciais áreas de reconhecimento as que possam contribuir para um ou vários dos seguintes resultados:

  • Mitigaçãoredução ou prevenção de emissões de gases de efeito de estufa ou aumento da absorção de GEE já emitidos. As ações de mitigação requerem a utilização de novas tecnologias; fontes de energia limpas; transformação industrial; redução de desflorestação; reflorestação ou restauro de ecossistemas naturais terrestres, marinhos e costeiros; melhoria de métodos de agricultura sustentável e uso do solo; e alterações nos comportamentos individuais e coletivos.  
  • Adaptação: redução das consequências negativas das alterações climáticas através da adoção de medidas que visem prevenir ou minimizar os impactes que já não podem ser evitados, tais como o aumento do nível da água do mar, os eventos atmosféricos extremos e a insegurança alimentar, com ações que incluem medidas tecnológicas, soluções com base na natureza e mudanças comportamentais.

Assim, potenciais contributos de excelência poderão incluir formas de acelerar a descarbonização da economia e/ou a resiliência de ecossistemas ou sistemas sociais e políticos, tais como: financiamento climático, instrumentos de gestão e ordenamento do território, aumento da perceção pública e política, aumento de competências individuais e institucionais, redes e parcerias entre diversos atores da sociedade civil, entre outros.  

 

Perfil do nomeado 

Os candidatos devem ser uma pessoa, um grupo de pessoas e/ou uma organização de qualquer nacionalidade, que estejam a contribuir significativamente para o desenvolvimento de soluções para fazer face à crise climática. Os candidatos têm de demonstrar o alcance ou potencial alcance de resultados de excelência e apresentar indicadores de impacte tangíveis e de elevada relevância e materialidade.

Sim, desde que os nomeados tenham feito contribuições convergentes para um objetivo comum, por meio de colaboração formal ou de trabalho em paralelo.

 

Perfil do nomeador

Não são permitidas nomeações pelo próprio candidatoAs candidaturas devem ser apresentadas por nomeação de terceiros. 

Sim, qualquer organização, instituição ou indivíduo pode nomear mais do que um candidato ao Prémio Gulbenkian para a Humanidade. 

Sim, claro. Contudo, o número de vezes que um candidato é nomeado não é um critério de seleção.

Sim, o Prémio Gulbenkian para a Humanidade é um prémio de âmbito internacional. São bem-vindas nomeações de todas as partes do mundo.

Se o candidato não pertencer à Direção ou aos órgãos de decisão, a nomeação será elegível.

 

Nomeações e processo de seleção

As nomeações para a 2ª edição do Prémio podem ser submetidas até às 18:00 GMT de 28 de fevereiro de 2021. 

Todas as nomeações devem ser submetidas em formato eletrónico através do formulário disponível em gulbenkian.pt, de acordo com as instruções fornecidas. O Júri pode pedir informações adicionais para além dos documentos submetidos na página de candidaturas.

Recomendamos que seja adicionado o curriculum vitae do nomeado, bem como até duas cartas de recomendação que apoiem a nomeação.

O processo de seleção é independente, sendo conduzido em três fases. Numa primeira fase, um Secretariado Científico será responsável pela elaboração de uma lista consolidada de candidatos elegíveis. Na segunda fase, um Júri composto por personalidades de renome internacional - nos âmbitos científicos, tecnológicos, políticos e culturais - deliberará no sentido de identificar os 3 primeiros classificados. Por último, a decisão final caberá ao Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian, com base na proposta apresentada pelo Júri.

O Júri selecionará as nomeações, de acordo com os seguintes critérios:

  • Inovação e/ou demonstrar potencial para uma mudança transformadora a longo prazo.
  • Impacto/ demonstrar benefícios para o ambiente e sociedade/ ser escalável com potencial para impacto a longo prazo.
  • Inspiração/ capacidade de servir de modelo/ capacidade de mostrar liderança ativa ou de inspirar outros.

 

O Prémio

O Prémio Gulbenkian para a Humanidade, atribuído anualmente, tem o valor de 1 milhão de euros.

Sim, existe essa possibilidade. Nesse caso, o prémio será dividido equitativamente entre os vários laureados.

O vencedor será anunciado no dia 20 de julho de 2021, Dia Calouste Gulbenkian.

Não é possível recorrer da decisão do Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian.

Se a evolução da pandemia de Covid-19 permitir, a cerimónia realizar-se-á no dia 20 de julho de 2021, dia Calouste Gulbenkian, no Grande Auditório da Fundação.

Prémio deve ser utilizado de forma a maximizar a valiosa contribuição da pessoa/organização vencedora.

Sim, vencedor deverá assinar um protocolo com a Fundação Calouste Gulbenkian a fim de definir as responsabilidades das partes.

 

Contacto