Academia UBUNTU

Ações de educação informal para jovens com perfis de liderança, provenientes de contextos desfavorecidos

Chegou ao fim, em julho de 2016, a terceira edição desta iniciativa, liderada pelo Instituto Padre António Vieira, que tem como cofinanciadores a Fundação Calouste Gulbenkian, a Fundação Porticus, a Fundação Montepio e a Lipor, e ainda como parceiros a EVERIS e o IADE. Lançada em 2010 para desenvolver ações de educação informal dirigidas a jovens com perfis de liderança provenientes de contextos desfavorecidos, a Academia UBUNTU visa não só a capacitação para a liderança, para que estes jovens sejam agentes de transformação no seio das suas comunidades, como também o desenvolvimento e consolidação de modelos de serviço à comunidade e de empreendedorismo, partindo de referências como Nelson Mandela, Ghandi, Martin Luther King, Aristides Sousa Mendes, Sang Suu Kiy ou Desmond Tutu.

Desenvolvida em simultâneo em Lisboa e no Porto, em 2015 a Academia Ubuntu III realizou 17 seminários em Lisboa, 15 seminários no Porto e 4 seminários conjuntos Lisboa e Porto, sendo um deles residencial.

Continuaram também os projetos sociais que alguns dos formandos tinham lançado em 2014, com resultados muito positivos, como a Academia Ubuntu da Guiné Bissau, o projeto Embarca, desenvolvido no bairro dos Navegadores, Oeiras, com financiamento do Programa Escolhas, que está a promover a inclusão escolar e social de crianças e jovens entre os 6 e os 24 anos, bem como a sua empregabilidade futura; o projeto Desingosta, promovido por quatro ex-formandos que passaram a gerir quatro espaços no bairro social Moinho das Rolas, em Oeiras, cedidos a título definitivo pela empresa Teixeira Duarte, para intervenção social junto dos habitantes mais carenciados; e ainda o projeto Vidas UBUNTU, coordenado por uma ex-formanda e com financiamento do Programa Cidadania Ativa, que tem vindo a trabalhar com alunos e professores de 110 escolas a nível nacional para a promoção dos valores democráticos através da metodologia storytelling.

A terceira edição da Academia iniciou-se com 135 formandos em Lisboa e Porto, 24 formadores voluntários, 30 voluntários nos domínios da capacitação para o empreendedorismo, 54 alunos e professores voluntários para o apoio a atividades específicas e 20 projetos sociais em desenvolvimento.

A avaliação está a cargo da Universidade Católica Portuguesa.

Atualização em 16 Outubro 2017