Perceção Pública

Melhorar o conhecimento científico sobre os serviços dos ecossistemas marinhos, por si só, não será suficiente para alcançar uma verdadeira mudança na opinião pública.

Como cidadãos, só pedimos proteção e uma gestão adequada daquilo que consideramos relevante para o nosso bem-estar.

A Iniciativa Gulbenkian Oceanos está a promover um vasto leque de atividades para diversos públicos-alvo – crianças e jovens, investigadores, comunidades locais, decisores políticos, ONGs de ambiente, associações locais, empresas do setor marítimo – com o objetivo de aumentar o seu conhecimento sobre a importância dos serviços dos ecossistemas marinhos para o bem-estar humano e para o desenvolvimento económico.

 

Capital Natural Azul – e uma gestão empresarial sustentável

A Iniciativa Gulbenkian Oceanos elaborou o estudo “Capital Natural Azul – e uma gestão sustentável” com o principal objetivo de dar a conhecer aos agentes da Economia do Mar em Portugal a gestão sustentável do capital natural azul como uma ferramenta que acrescenta valor às empresas e essencial para alcançar a sustentabilidade económica e financeira das suas atividades. Quebrando a barreira entre as componentes ambiental e económica, este estudo apresenta conceitos-chave, benefícios concretos e uma estratégia de ação que poderá possibilitar uma mudança organizacional.

Como base de apoio a este estudo foi desenvolvido o questionário “Capital Natural Azul 2015”, enviado a um conjunto de organizações portuguesas que usufruem do mar e da costa portuguesa, e de quem obtivemos 201 respostas. Saiba os principais resultados deste questionário, tais como a importância do capital natural azul para a Economia do Mar, o conhecimento geral das diferentes organizações sobre este tema e a atitude dos diferentes setores perante uma política de gestão sustentável do capital natural azul.

O estudo “Capital Natural Azul – e uma gestão empresarial sustentável” contribui para a 1ª fase de um projeto de quarto fases: i) Conhecer; ii) Analisar; iii) Adotar; e iv) Liderar, a desenvolver até junho de 2017.

A partir de outubro de 2015 visite a nossa plataforma online “Capital Natural Azul”, onde daremos início à 2ª fase do projeto.

 

Parceria com o Programa Gulbenkian Educação para a Cultura e Ciência – DESCOBRIR

A Iniciativa Gulbenkian Oceanos promove a incorporação de informação relevante sobre os serviços dos ecossistemas marinhos nas atuais atividades educativas da Fundação. O principal objetivo é o de oferecer atividades para crianças e jovens até aos 18 anos de idade que promovam a descoberta e compreensão dos oceanos através das artes. A IGO estabeleceu uma parceria com o Programa Gulbenkian Educação para a Cultura e Ciência – Descobrir e a segunda edição da atividade “O oxigénio do mar que eu respiro” teve lugar no final de Julho de 2014.

 

Parceria com o Programa de Educação do Oceanário de Lisboa

A atividade educativa “Banco Mundial dos Oceanos”, desenvolvida em parceria com o Oceanário de Lisboa, destina-se a jovens e adolescentes do 3º Ciclo e Ensino Secundário. Tem como objetivo geral sensibilizar para a importância dos ecossistemas marinhos no equilíbrio global do planeta e da sua gestão sustentável, de forma a garantir o bem-estar das gerações atuais e futuras. Espera-se que esta atividade dê a conhecer os ecossistemas marinhos e o valor dos serviços por eles prestados; identifique, de forma lúdica e pedagógica, o impacto do Homem nos ecossistemas marinhos; e introduza conceitos das ciências naturais, sociais e económicas.

 

Curso de formação económica

1ª edição

A primeira edição deste curso de formação económica intensiva teve lugar em Novembro de 2013 e foi dirigida às ONGAs e associações locais portuguesas. O curso teve uma duração de três dias, durante os quais foram debatidos doze tópicos relacionados com conceitos económicos, metodologias de análise económica, e técnicas de valoração económica ambiental.

 

2ª edição

A segunda edição do curso realiza-se nos dias 18 e 19 de Novembro de 2014.

No 1º dia de formação serão debatidos conceitos económicos introdutórios, metodologias de análise económica, e técnicas de valoração económica ambiental. Esta sessão será dirigida a um público-alvo alargado – ONGAs, associações locais, consultoras, banca, associações empresariais, empresas de consultoria ambiental, escritórios de advogados e jornalistas. Procuramos que entidades com trabalho realizado em economia do mar, gestão e/ou conservação do meio marinho integrem nas suas atividades as preocupações com os serviços prestados pelos ecossistemas marinhos, e a necessidade de determinar o seu valor monetário e não-monetário. Cremos que esta abordagem pode contribuir significativamente para melhor fundamentar os argumentos a favor da conservação dos nossos oceanos, integrando de forma estratégica as noções de sustentabilidade ambiental, económica e social no desenvolvimento da economia azul.

O 2º dia de formação dirige-se a ONGAs e associações locais. Serão organizadas sessões de trabalho com o objetivo de identificar e desenvolver ideias conjuntas no âmbito do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP) para 2014-2020.

O curso é uma adaptação a Portugal do Marine Socio-Economics Project (MSEP) promovido pela new economics foundation no Reino Unido.

 

Universidade Itinerante do Mar 2014

A IGO colabora na edição deste ano da UIM, a qual é dedicada ao tema “A Península Ibérica costa a costa – valorização dos ecossistemas marinhos”. Assim, os estudantes que participam neste curso organizado desde 2006 pela Universidade do Porto, Universidade de Oviedo e Escola Naval, têm a oportunidade de aumentar os seus conhecimentos sobre os ecossistemas marinhos e os seus valores.