Desenvolvimento de Linfócitos e Leucemia

Vera Martins

A investigação desenvolvida no laboratório de Desenvolvimento de Linfócitos e Leucemia estuda o desenvolvimento dos linfócitos T em condições fisiológicas normais e em condições que permitem o desenvolvimento de leucemia.

Os linfócitos T desenvolvem-se no timo a partir de células progenitoras que vêm da medula óssea. O grupo de investigação liderado por Vera Martins descobriu que o desenvolvimento de linfócitos T é regulado por um processo que envolve competição celular. Especificamente, mostraram que células precursoras hematopoiéticas jovens, que entraram no timo há pouco tempo, competem com as células precursoras velhas (com maior tempo de residência no timo), levando à sua substituição. Esta competição contribui para o processo de substituição contínuo de todas as células do timo, que decorre normalmente num organismo saudável e é parte do desenvolvimento normal dos linfócitos T. Se a colonização do timo por células vindas da medula óssea for interrompida, o próprio timo tem a capacidade de manter a sua função de produção de linfócitos T temporariamente. Este é um processo designado autonomia do timo, que garante que os linfócitos T continuam a ser produzidos. No entanto, embora a autonomia do timo mantenha a função do timo durante algum tempo, a longo prazo estas células transformam-se em células leucémicas. Os ratinhos que desenvolvem a doença apresentam sintomas e toda uma patologia muito semelhante à leucemia aguda de linfócitos T que ocorre em algumas crianças.

O laboratório de Desenvolvimento de Linfócitos e Leucemia procura identificar os mecanismos celulares e moleculares responsáveis pela competição celular que ocorre durante a renovação normal do timo e as alterações que ocorrem durante o processo de transformação maligno das células precursoras dos linfócitos T durante o desenvolvimento de leucemia.

 


Publicações