Lab in a Suitcase

Este projeto visa capacitar jovens cientistas de países de expressão portuguesa, impulsionando a sua investigação científica.

O Lab in a Suitcase visa capacitar cientistas de Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. A mala é compacta e composta por equipamentos que permitem fazer experiências de biologia molecular, sendo vários destes componentes sistemas em licenciamento aberto CC CY.

O Lab in a Suitcase permite realizar experiências de genotipagem e fenotipagem baseadas em técnicas modernas como amplificação e análise de ADN e microscopia óptica de fluorescência. A abordagem usada para criar uma estufa permite o controlo fino da temperatura, permitindo o crescimento de bactérias transformadas com vetores de ADN.

A incorporação de um telemóvel com aplicações específicas permite ainda a utilização do seu LED e sensores para medição de densidade de células e de moléculas.

Este projecto é promovido pelo Instituto Gulbenkian de Ciência, no âmbito de uma parceria estabelecida com a Merck e a Câmara Municipal de Oeiras.

 

Componentes dos Lab in a Suitcase

Os Lab in a Suitcase são kits portáteis, prontos a usar, que permitem realizar técnicas de biologia molecular. Incluem uma máquina de PCR, uma centrífuga, um sistema de electroforese, micro-pipetas, uma estufa, um densitómetro e uma lupa.

 

Bento Lab

Portátil e pronto a usar, o Bento Lab combina uma centrífuga, uma máquina de PCR e um sistema de electroforese em gel de agarose com transiluminador incorporado. O kit inclui pentes de 9 e 12 poços.

 

PCR

O termociclador é um aparelho que permite realizar reações em cadeia da polimerase (do inglês polymerase chain reaction ou PCR). Esta é uma técnica utilizada em biologia molecular que tem como objetivo amplificar um segmento de DNA gerando milhões de cópias a partir de uma única molécula inicial.

É possível utilizar este equipamento como bloco de aquecimento ou refrigeração para manter as amostras a temperaturas fixas.

 

Centrífuga

Uma centrífuga é um aparelho que permite, a partir da velocidade de rotação, a separação de componentes numa mistura que possuem densidades diferentes. Pode ser usada, por exemplo, em protocolos de extração de DNA ou separação dos elementos sanguíneos.

 

Electroforese

A eletroforese é um método de separação e análise de macromoléculas, como o DNA e seus fragmentos, com base em seu tamanho e carga. As amostras são carregadas em poços de um gel de agarose e submetidas a um campo elétrico. A passagem do campo elétrico faz com que o DNA, carregado negativamente, migre em direção ao eletrodo positivo.

 

Micro-pipetas

As pipetas do Lab in a Suitcase foram impressas em 3D e de baixo custo. Os desenhos estão disponíveis no nosso GitHub tornando possível replicar o modelos para diferentes volumes. A nossa abordagem deriva das várias soluções disponíveis online, usando uma membrana (um pedaço de luva latex) que é empurrada pelo êmbolo.

As pipetas podem ser configuradas com um volume fixo ou ajustável, sendo a opção de volume fixo a que gera menos variabilidade.

 

Estufa

A estufa é composta por uma ventoinha, uma resistência que aquece o ar, um sensor e um controlador PID que se ligam a uma caixa térmica de forma a manter constante a temperatura dentro da caixa. Esta estufa pode ser usada, por exemplo, para culturas de células.

 

Densitómetro

Usado para medir a densidade óptica (grau de opacidade) de um líquido, o densitómetro do Lab in a Suitcase é composto por um suporte de cuvete impresso em 3D que tira partido do LED de um telemóvel e da sua câmara (Xiaomi 8A). A luz é levada com um guia de luz para o caminho ótico da câmara. A luz medida é indiretamente proporcional ao número de células ou moléculas em suspensão presentes na cuvete.

 

Lupa

Formada por um conjunto de lentes passível de ser acoplada ao telemóvel. Deste modo a aquisição das imagens pode ser feita pelo próprio telemóvel. A lupa pode ser usada para capturar imagens de células e tecidos em caixas de petri ou lâminas de vidro.

 

 

 

Parceiros


Câmara Municipal de Oeiras