Lab in a Box no novo ano letivo

Semana da Ciência & Tecnologia assinalada com sessão aberta aos professores inscritos nas formações de 2021/2022

 

Cerca de 30 professores, inscritos nas Formações para o ano de 2021/2022, participaram na sessão de apresentação do Lab in a Box que decorreu no Instituto Gulbenkian de Ciência. Durante a sessão foram ainda entregues diplomas aos professores que integraram o projeto piloto que assinalou o arranque desta iniciativa em Oeiras em 2020.

O Lab in a box é uma iniciativa pioneira promovida pelo IGC que conta com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras e da Merck Family Foundation. Pretende promover a ciência no quotidiano das escolas e das crianças e ao mesmo tempo fomentar a consciência de que, mais do que uma disciplina, é uma forma de pensar e estar no mundo. Direcionado ao 1º e 2º ciclo o projeto promove formações para os professores, focadas em dota-los com técnicas, para a execução e implementação das atividades experimentais presentes no kit nas salas de aula.

A iniciativa contou com a presença do Vereador da CMO, Pedro Patacho, que desde logo quis expressar o seu agrado por todos os resultados obtidos no ano piloto e também assegurar a importância que é ter, no concelho de Oeiras, um projeto desta dimensão, que tanto contribui para o pensamento e futuro das crianças: “Vivemos num contexto em que a ciência está cada vez mais presente em nós. A ciência, a inovação, a tecnologia e o conhecimento científico está cada vez mais presente de forma direta e indireta nas nossas vidas. E nunca antes como hoje foi de capital importância que todos os cidadãos, seja qual for o seu percurso académico ou profissional, terem uma base de literacia científica que lhes permita compreender algumas das dimensões científicas da nossa vida na sociedade, e estarem preparados para compreender esses assuntos e analisá-los.”, afirmou o Vereador.

Para Mónica Bettencourt-Dias, diretora do Instituto Gulbenkian da Ciência, “este projeto, além de ser dos cientistas, é também um projeto dos professores, que esperamos que no futuro possa ter mais professores envolvidos na sua elaboração e desenvolvimento. Queremos que este projeto seja cada vez mais adequado à sala de aula e que possa entusiasmar todas as crianças deste país com a ciência.”

Numa nota mais informativa, os coordenadores do Lab in a Box, Joana Loureiro e Rodrigo Abreu, explicaram os primórdios do projeto, e também todo o desenrolar do ano piloto tendo em conta as várias limitações que lhes foram impostas pela atual pandemia.

 

Desenvolvimento do ano 2019/2020

Com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras, este projeto foi direcionado para os alunos de escolas situadas no concelho de Oeiras. Desta vez, diferente de outros anos, foi focado em alunos mais novos, de 1º e 2º ciclo. Em paralelo e também com o apoio da Merck Family Foundation, foi possível uma distribuição de Kits para vários países PALOP, nomeadamente Angola e São Tomé e Príncipe.

Dadas as circunstâncias mundiais de saúde, tanto a equipa do Lab in a Box, como todos os professores que decidiram colaborar no projeto, tiveram que se ajustar e adaptar a uma nova realidade que não permitia o contacto presencial. Tanto as atividades experimentais, como os fóruns de discussão foram feitos online, via zoom e via Whatsapp. Mas não foi a distância que os prendeu de terem uma experiência enriquecedora no que toca ao conhecimento da ciência.  Como afirmou Joaquim Veiga, professor na Escola Básica de São Julião da Barra: “Nós professores, estamos habituados a um tipo de formações. Esta formação é completamente diferente. Vão chegar ao fim e vão sentir um prazer enorme e uma realização igualmente imensa por todo o tempo que passaram ali.”

 

O Kit “Lab in a Box” e o seu enquadramento em salas de aula

Os Kits experimentais contém materiais de baixo custo que foram disponibilizados a pensar em inúmeras atividades que a equipa do IGC desenvolveu ao longo dos anos. Como afirma Rodrigo Abreu “estas atividades foram desenvolvidas em conjunto, ou seja, nós desenvolvemos aqui no IGC estas atividades experimentais, mas depois tivemos a oportunidade de as testar no terreno em conjunto com os nossos professores pioneiros. E esta construção em conjunto foi-nos permitindo otimizar vários erros e detalhes que não funcionavam tão bem em sala de aula.”

Neste momento, estão disponíveis dois guias de professor (um para o 1º ciclo, e outro para o 2º), e ainda cadernos de laboratório que visam complementar as atividades laboratoriais, fichas de laboratório e diversos materiais impressos. “A ideia é que este projeto não seja mais um trabalho para os professores, mas que os acompanhe ao longo do ano letivo. No fundo, queremos que este kit seja uma forma diferente, mais interativa de dar as unidades curriculares” – afirma Joana Loureiro.

O Lab in a Box já tem 50 kits preparados para o arranque do novo ano escolar. Com este alargamento pretende chegar a mais de 2000 crianças e incentivá-las a seguir a sua curiosidade.