Programa europeu de formação doutoral para médicos

O Instituto Gulbenkian de Ciência junta-se a mais seis institutos de investigação biomédica para formar a próxima geração de médicos-cientistas da Europa. O prazo para as inscrições é até 14 de novembro de 2021.

Este programa pretende proporcionar aos médicos competências biomédicas de ponta e contribuir para preencher a lacuna entre a investigação e a prática clínica. O programa EMERALD insere-se na estratégia conduzida pelo IGC de promover parcerias científicas com diferentes setores, de forma a gerar novo conhecimento com impacto na melhoria da qualidade de vida da sociedade.

 Apesar dos rápidos avanços na investigação biomédica, as novas descobertas nem sempre se traduzem imediatamente em inovações médicas que melhoram os diagnósticos ou resultam em novos e melhores tratamentos. Preencher essa lacuna é a chave para enfrentar os desafios globais de saúde, como a diabetes, a doença de Alzheimer ou o cancro. Os médicos-cientistas encontram-se numa posição única, beneficiando da sua experiência clínica para identificar onde a investigação é mais necessária e expandir esse conhecimento para o benefício dos pacientes. 

Para Luís Moita, investigador e coordenador do programa no IGC, este “é um projeto que vem estimular o diálogo necessário entre investigação e clínica, e que vem contribuir para acelerar a identificação de soluções inovadoras quer no tratamento de doenças quer na promoção da saúde.”

 “Precisamos urgentemente de cientistas com formação médica que desempenhem um papel crucial na aplicação de avanços em áreas de omics, big data, inteligência artificial ou microscopia de alta resolução para responder às necessidades dos pacientes no Século XXI”, diz Michela Bertero, coordenadora do Gabinete de International and Scientific Affairs no Centre for Genomic Regulation (CRG), que coordena o programa de formação. “No entanto, a fragmentação dos sistemas de saúde na Europa significa que os programas europeus de MDPhD têm sido historicamente isolados, muitas vezes com falta de colaboração e mobilidade transfronteiriça.”

 

 

A partir de agora, sete institutos de investigação biomédica e trinta parceiros associados em dez países europeus diferentes vão superar esse desafio, unindo esforços para criar o EMERALD, o primeiro programa de formação médico-cientista em toda a Europa. Financiado pelo programa Horizon 2020 da União Europeia, o EMERALD proporcionará aos médicos oportunidades únicas de se mudarem para um país diferente para desenvolver um projeto de investigação, participar em escolas de verão personalizadas, obter orientação dos seus pares e explorar novas colaborações. O primeiro concurso, para um total de 12 vagas, abre hoje. Cada posição será baseada num dos sete institutos anfitriões, com experiência anterior em programas de formação dirigidos a médicos. Ao lado das instituições anfitriãs, há mais de 30 parceiros de 10 países europeus, incluindo universidades, hospitais, associações de pacientes, empresas farmacêuticas e editoras, com cada parceiro a oferecer oportunidades de mobilidade, colaborações e formação à medida para médicos. 

Instituições envolvidas

  • Centre for Genomic Regulation (CRG) em Barcelona, Espanha
  • Institut Curie em Paris, França
  • Biotech Research & Innovation Centre (BRIC) na University of Copenhagen, Dinamarca
  • Fundação Calouste Gulbenkian – Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) em Lisboa, Portugal
  • Max Delbrück Center for Molecular Medicine in the Helmholtz Association (MDC) em Berlin, Alemanhã
  • Nederlands Kanker Instituut (NKI) em Amsterdão, Holanda
  • Flanders Institute for Biotechnology (VIB) em Ghent, Bélgica

 

Ver website do EMERALD