• França, 1872
  • Óleo sobre tela
  • Inv. 450
  • Pintura

Natureza-morta

Claude Monet

 

A pintura foi executada em 1872, ano de realização do célebre Impression, soleil levant (Musée Marmottan, Paris). Embora apresente um esquema de composição possivelmente inspirado em Fantin-Latour (Mesa com Flores e Frutos, Museum of Fine Arts, Boston), que abordou o género dentro da tradição clássica, pode afirmar-se, neste caso, que se acrescenta ao tema um tratamento inovador. Esta conceção encontra paralelo na época em Édouard Manet, na obra Natureza-morta com Melão e Pêssegos (National Gallery of Art, Washington), de cerca de 1866, na qual o pintor procurou intencionalmente incorporar aos objectos inanimados o conteúdo subjetivo da sua apreciação pessoal.

Uma sequência ordenada de formas esféricas estrutura exemplarmente a representação - os frutos da estação estival estabelecem um diálogo cromático subtil com os objetos de porcelana chinesa cuidadosamente dispostos no espaço - e permite entender o conjunto como um discurso plástico coerente. A estética de ar livre, tão cara aos impressionistas, invade de luz toda a superfície da tela, conferindo-lhe, nessa medida, uma singular originalidade. É através da cor, porém, que Monet melhor expressa uma realidade que se destina, essencialmente, à apreensão pelos sentidos.

Proveniência

Durand-Ruel, Paris, 1872; Hiltbrunner, Paris; Durand-Ruel, Paris, 1882; Charles Cotinaud, Périgueux; Durand Ruel, Paris, 1903; Georges Hoentschel, Paris, 1903; Galeries Barbazanges, 1924. Adquirida por Calouste Gulbenkian a Knoedler, em Londres, a 25 de abril de 1924.

A. 53 cm; L. 73 cm

Wildenstein 1974

Daniel Wildenstein – Claude Monet. Biographie et catalogue raisonné. Lausanne / Paris: Bibliothèque des Arts, 1974, vol. I, n.º 245, il., p. 218-219.

Paris 1980

Hommage à Claude Monet (1840-1926) (catálogo da exposição). Paris: Galeries nationales du Grand Palais, 1980, n.º 44b, p. 138.

Washington DC 2001

Impressionist Still Life: The Philips Collection (catálogo da exposição). Washington DC: Harry N. Abrams, 2001, p. 82-85.

Sampaio 2009

Luísa Sampaio - Pintura no Museu Calouste Gulbenkian. Milão: Skira; Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2009, n.º 102, il., p. 226-227.

Paris 2010

Claude Monet: 1840-1926. Paris: Galeries nationales du Grand Palais, 2010, n.º 86, p. 220-225, 228. Lisboa 2010-2011 A Perspectiva das Coisas: A Natureza-Morta na Europa (catálogo da exposição). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010, vol. I, n.º 98, p. 128-129; vol. II, n.º 14, p. 64-65.

Museu Calouste Gulbenkian 2011

Museu Calouste Gulbenkian. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2011, n.º 166, il., p. 187.