Vittore Carpaccio

Sagrada Família e Doadores

A obra, que tem como tema central a Adoração do Menino, é considerada um dos mais notáveis trabalhos do artista e data do ano de 1505. Na cartela, situada na base da tábua, pode ler-se a inscrição VICTOR CARPATHIUS/MDV.

Os doadores, seguramente individualidades destacadas da sociedade veneziana, são representados de maneirarealista, à escala das personagens sagradas. Esta forma de integração na cena é testemunho de uma prática figurativa generalizada a partir do século XV e que reflete a penetração de valores humanistas na arte. O Menino Jesus, despojado de atributos divinos, assume, no centro da composição, uma dimensão terrena. O pintor representa o episódio recorrendo a uma sobreposição de planos narrativos autónomos que, definidos num cromatismo rico e luminoso, desenvolvem o espaço em profundidade. A perspetiva é sugerida através da alteração de escala das figuras, constituindo-se o plano intermédio pelo alinhamento dos reis magos a cavalo. Um esbatimento cromático progressivo conduz o olhar do observador até à ténue diferenciação que delimita a fronteira entre céu e terra. A complexidade da composição, onde se combinam verticais e diagonais harmoniosamente posicionadas e agrupamentos decorativos tratados com minúcia, remetem, por sua vez, para uma aspiração fundamental da época: a procura de equilíbrio.

Proveniência

Richard Henry, 7.º Barão de Berwick, Londres; Thomas Henry, 8.º Barão de Berwick. Adquirida por Calouste Gulbenkian por intermédio de Colnaghi, em Londres, a 9 de dezembro de 1924.

A. 90,1 cm; L. 133,9 cm

Washington 1950

European Paintings from the Gulbenkian Collection (catálogo da exposição). Washington DC: National Gallery of Art, 1950, n.º 3, p. 16-17.

Lauts 1962

Jan Lauts – Carpaccio Paintings and Drawings. Londres: Phaidon, 1962, n.º 57, p. 243-244.

Veneza 1963

Pietro Zampetti – Vittore Carpaccio (catálogo da exposição). Veneza: Palazzo Ducale, 1963, n.º 47, il., p. 220-223.

Sampaio 2009

Luísa Sampaio - Pintura no Museu Calouste Gulbenkian. Milão: Skira; Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2009, n.º 10, il., p. 36-37.

Museu Calouste Gulbenkian 2011

Museu Calouste Gulbenkian. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2011, n.º 82, il., p. 107.