• França, 1925
  • Vidro e bronze
  • Inv. 1268
  • Assinado: R. Lalique

Vaso «Cluny»

René Lalique

A coleção de vidros de René Lalique reunida por Calouste Gulbenkian foi adquirida entre 1911 e 1927, correspondendo portanto ao período em que o artista se dedicou integralmente à produção vidreira. A sua paixão por este material vinha desde os tempos do seu ateliê da rue Thérèse, junto à Ópera de Paris, onde se instalou em 1890 e onde iniciou as suas experiências com o vidro. Será porém, na Exposição Internacional de Artes Decorativas e Industriais Modernas, inaugurada em Paris em abril de 1925 e que ficaria célebre também por dar origem à designação do estilo Art Déco, que Lalique atinge o seu apogeu e consagração como artista/industrial do vidro.

Este vaso «Cluny» foi executado justamente em 1925, em vidro fumado, soprado-moldado, tendo sido adquirida pelo colecionador no ano seguinte. De grande simplicidade formal, é decorada apenas por duas máscaras inspiradas no teatro clássico, cujos cabelos em bronze se prolongam em forma de serpentes, servindo de asas. Lalique reúne aqui duas técnicas que caracterizam a sua produção vidreira: o vidro soprado-moldado, para o corpo esférico da jarra, e o vidro moldado-prensado, para as peças maciças (as máscaras), aqui coladas a quente sobre o vidro liso.

Adquirida por Calouste Gulbenkian a René Lalique, 3 de abril de 1926.

A. 26 cm; L. 30,6 cm

Lisboa 2011

Museu Calouste Gulbenkian. Lisboa: Museu Calouste Gulbenkian, 2011, p. 208, cat. 187.