• França, c. 1730
  • Óleo sobre tela
  • Inv. 958
  • Pintura

Festa Galante

Nicolas Lancret

A pintura fez parte da Coleção de Frederico o Grande, rei da Prússia (1740-1786), grande admirador de Lancret e detentor de mais 26 pinturas da sua autoria. Provavelmente executada no início da década de 1730, a obra deixa transparecer semelhanças estilísticas com Dança entre o Pavilhão e a Fonte (1732) e Dança Diante de Uma Árvore (1730-1735), ambas pertencentes ao Castelo de Charlottenburg, em Berlim. No Ackland Art Museum, na Carolina do Norte, existe o estudo para a figura masculina reclinada à esquerda da composição, de meados da década de 1720.

Introduzida em França por Claude Gillot (1673-1722), a Festa Galante, designação genérica que serve de título à obra, consiste num tipo de representação de cenas requintadas situadas ao ar livre, reunindo personagens de aparência elegante em agradável convívio mundano. As figuras encontram-se dispostas no espaço da composição de forma cenográfica, consequência da influência determinante que o teatro exerceu sobre este género de representação.

Frederico II, rei da Prússia; família Imperial da Alemanha; Neues Palais, Potsdam, 1923. Adquirido por Calouste Gulbenkian por intermédio de Hans Stiebel, Berlim, 9 de janeiro de 1930.

A. 64,5 cm; L. 69,5 cm

Wildenstein 1924

Georges Wildenstein, Lancret. Paris: 1924, p. 93, n.º 333

Washington D. C. 1950

European Paintings from the Gulbenkian Collection, catálogo de exposição. Washington D. C.: National Gallery of Art, 1950, pp. 50-51, cat. 20.

Nova Iorque 1999

Katharine Baetjer e James David Draper (eds.), «Only the Best». Masterpieces of the Calouste Gulbenkian Museum, Lisbon, catálogo de exposição. Nova Iorque: The Metropolitan Museum of Art, 1999, pp. 90-91, cat. 43.

Sampaio 2009

Luísa Sampaio, Pintura no Museu Calouste Gulbenkian. Lisboa: Museu Calouste Gulbenkian, 2009, pp. 74-75, cat. 27.