Pomar et la Littérature

Europália 91. Festival Internacional de Cultura e Artes

Exposição individual de Júlio Pomar (1926-2018), organizada pela Câmara Municipal de Charleroi (Bélgica) e integrada na programação do festival Europália 91. Foram apresentados 14 desenhos e 28 pinturas, com o objetivo de pôr em diálogo a obra plástica do artista e a sua crítica, relacionando as artes visuais com a literatura.

Solo exhibition on Júlio Pomar (1926-2018) organised by the Municipality of Charleroi, Belgium, and included in the programme of the Europalia 91 festival. The show included 14 drawings and 28 paintings in a display which juxtaposed the artist’s visual works with his critique, thus linking visual art to literature.

Em 1989, a Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) foi convidada pela então secretária de Estado da Cultura, Teresa Patrício Gouveia, a colaborar na realização de exposições de arte contemporânea para a programação do Festival Europália 91. Dedicada a Portugal, esta edição do festival viria a ter lugar em Bruxelas, entre setembro e dezembro de 1991, com organização do Comissariado Belga e do Comissariado Português para a Europália.

Tal como em edições anteriores, o festival tinha como objetivo dar uma visão global da cultura do país-tema convidado. Incluiria um vasto programa cultural, ficando o Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian responsável pela organização de três exposições de arte portuguesa contemporânea.

O CAM, na pessoa do seu diretor, José Sommer Ribeiro, aceitou desenvolver três exposições: uma dedicada ao pintor Amadeo de Souza-Cardoso (1887-1918), outra à obra de Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992) e uma terceira centrada na relação entre a obra de Júlio Pomar (1926-2018) e textos literários.

A inauguração de «Pomar et la Littérature» não deixaria de contar com a presença de Mário Soares, então presidente da República Portuguesa e amigo do pintor. Contudo, a exposição foi realizada à margem da programação oficial da Europália 91, não tendo recebido o mesmo destaque das mostras de Amadeo e de Vieira da Silva. A crítica escreveu mesmo que, «curieusement, et pour des raisons sans aucun doute extérieures à la nécessité artistique, l’oeuvre de Júlio Pomar n’as pas été programmée par les officiels d’Europalia. C’est pourtant un des peintres contemporains les plus singuliers […]. Loin des mornes et froids intellectualismes dont “Triptico” à Gand – manifestation officielle d’Europalia pour l’art contemporain – nous abreuve, Pomar est indiscutablement une voix dont l’épaisseur poétique et la sensualité ne devraient laisser personne indifférent» (Gillemon, Le Soir, 24 out. 1991, pp. 1, 11).

A exposição foi coorganizada entre o CAM e a Câmara Municipal de Charleroi. O CAM ficou responsável pela reunião das obras nacionais em Lisboa, cedência de fotografias e transparências, embalagem e projeto de montagem. Pelo seu lado, a Câmara de Charleroi asseguraria o espaço de exposição e tudo o que fosse necessário para a sua montagem, os seguros das obras e o transporte Lisboa-Bruxelas-Charleroi (Fax de Sommer Ribeiro para Christian Renard, 14 jan. 1992, Arquivos Gulbenkian, CAM 00249).

A respeito do espaço museológico, Sommer Ribeiro informou Christian Renard de que «au 1er étage, le plus problématique, il faudra revêtir les murs latérales du sol au plafond avec des panneaux en blanc cassé. Les pannes qui seront placés entre les colonnes auront les largeurs indiquées dans le plan ci-joint et la hauteur des panneaux latérales. Je pense qu’au mezzanine il suffira de construire un seul panneau avec 2 m de large. Le problème de l’illumination devra être étudié soigneusement sur place, lors de l’accrochage de l’exposition» (Carta de Sommer Ribeiro para Christian Renard, 18 jun. 1991).

As obras de Pomar selecionadas relacionavam-se com o meio literário nacional e internacional, bem como com um conjunto de produções de vários escritores sensíveis às artes. O objetivo da exposição era pôr em diálogo a obra plástica e a sua crítica, relacionando as artes visuais com a literatura. Foram expostas 42 obras (14 desenhos e 28 pinturas), sobretudo retratos de escritores e trabalhos inspirados em obras literárias.

Na documentação arquivada (Arquivos Gulbenkian, CAM 00249), é possível encontrar separadores entre o material de pesquisa para a exposição com os seguintes temas e palavras-chave: «Inspirados», «Portrait d’Écrivains», «Histórias» e «Ilustrações».

A desmontagem da exposição ficou a cargo de um funcionário do CAM (Carta de Sommer Ribeiro para Christian Renard, 14 jan. 1992, Arquivos Gulbenkian, CAM 00249). Contudo, depois do transporte entre a Bélgica e Portugal, a tela Stéphane Mallarmé, Edgar Poe et le Corbeau, apresentava alguns problemas e defendeu-se que a obra «deveria ser sujeita a restauro» (Carta de Manuel Reys Santos para o CAM, 10 mar. 1992, CAM 00249, Arquivos Gulbenkian).

Concomitantemente à exposição «Pomar et la Litteráture», as edições La Différence lançaram o livro Júlio Pomar. Les Mots de La Peinture. O livro teve coordenação de Marcel Parquet, de quem é incluída uma entrevista com o artista. Foi elaborado com a participação do pintor e com a colaboração do seu filho, o crítico de arte Alexandre Pomar. Além de escritos sobre arte da autoria do próprio Júlio Pomar, o volume conta com poemas de Alexandre O’Neill que lhe são dedicados e textos de João Pinharanda, José Cardoso Pires, Patrick Woldberg, Roger Munier, Mário Dionísio, Claude Michel Cluny, Fernando Gil, Michel Waldberg e Marcel Paquet.

Ana Lúcia Luz, 2019


Ficha Técnica


Artistas / Participantes


Coleção Gulbenkian

D. Quixote e os Carneiros

Júlio Pomar (1926-2018)

D. Quixote e os Carneiros, 1961-1963 / Inv. 83P767

Fernando Pessoa

Júlio Pomar (1926-2018)

Fernando Pessoa, 1983 / Inv. DP1418

Fernando Pessoa e Almada Negreiros

Júlio Pomar (1926-2018)

Fernando Pessoa e Almada Negreiros, 1983 / Inv. DP1420

Lusitânia no Bairro Latino (Retratos de Mário de Sá Carneiro, Santa-Rita Pintor e Amadeo de Souza Cardoso)

Júlio Pomar (1926-2018)

Lusitânia no Bairro Latino (Retratos de Mário de Sá Carneiro, Santa-Rita Pintor e Amadeo de Souza Cardoso), 1985 / Inv. 88P584

Retrato de Alberto Lacerda

Júlio Pomar (1926-2018)

Retrato de Alberto Lacerda, 1970 / Inv. DP1098

D. Quixote e os Carneiros

Júlio Pomar (1926-2018)

D. Quixote e os Carneiros, 1961-1963 / Inv. 83P767

Fernando Pessoa

Júlio Pomar (1926-2018)

Fernando Pessoa, 1983 / Inv. DP1418

Fernando Pessoa e Almada Negreiros

Júlio Pomar (1926-2018)

Fernando Pessoa e Almada Negreiros, 1983 / Inv. DP1420

Lusitânia no Bairro Latino (Retratos de Mário de Sá Carneiro, Santa-Rita Pintor e Amadeo de Souza Cardoso)

Júlio Pomar (1926-2018)

Lusitânia no Bairro Latino (Retratos de Mário de Sá Carneiro, Santa-Rita Pintor e Amadeo de Souza Cardoso), 1985 / Inv. 88P584

Retrato de Alberto Lacerda

Júlio Pomar (1926-2018)

Retrato de Alberto Lacerda, 1970 / Inv. DP1098


Publicações


Material Gráfico


Documentação


Imprensa


Fontes Arquivísticas

Arquivos Gulbenkian (Centro de Arte Moderna), Lisboa / CAM 00249

Pasta com documentação referente à produção da exposição. Contém lista de obras (identificação de caixa de transporte, título, ano, material, medidas, colecionador e valor de seguro); correspondência interna e externa; relatórios de conservação e restauro; recortes de imprensa. 1991 – 1993


Exposições Relacionadas

Pomar

Pomar

1986 – 1987 / Itinerância Brasil, Portugal