Crepúsculos: Projeção de «Nosferasta: First Bite» e «A Mordida»

Crepúsculo Sonâmbulo

Slider de Eventos

Projeção dos filmes Nosferasta: First Bite (2021), de Adam Khalil & Bayley Sweitzer com Oba, e A Mordida (2019), de Pedro Neves Marques, dois filmes de artista que ecoam formas de contágio e transmissão em contextos tropicais entre passado e presente, história e identidade.

A projeção é seguida de vídeo-conversa com os artistas e cineastas Pedro Neves Marques, Adam Khalil e Bayley Sweitzer.

Moderação Filipa Ramos

A cafetaria do Museu Gulbenkian ficará aberta até às 21h, para acompanhar todos os eventos do programa público Crepúsculos.


Língua Gestual Portuguesa
Sandra Faria e Teresa Figueiredo


Nosferasta, 2021, EUA, 32′
Adam Khalil & Bayley Sweitzer com Oba

Nosferasta é a primeira iteração de um filme de vampiros rastafarianos protagonizado e co-redigido com Oba, artista da Trinidad residente em Brooklyn, cuja origem e vida é imaginada pelo filme. No final do século XV, Oba é enviado num navio de escravos da África Ocidental para as Caraíbas, onde é mordido pelo vampiro Cristóvão Colombo, um gesto que assinala a sua lealdade eterna ao projecto colonial.

Argumento e Realização Adam Khalil, Bayley Sweitzer, Oba
Fotografia Alex Ashe
Montagem Adam Khalil, Bayley Sweitzer
Música Doug Hock, Leila Bordreuil, Village Drums of Freedom
Elenco Adam-Rashad Glenn, Jack Sochet, Jerry G Angelo, Sarah Kerr, Steve Holmgren, Oba
Produção Anne Alexander, Cousins
Distribuição Anne Alexander, Cousins

 

A Mordida, 2019, Portugal/Brasil, 36′
Pedro Neves Marques

Num laboratório modificam-se geneticamente os mosquitos macho para transmitir um gene letal às fêmeas. Um homem, uma mulher e uma mulher transgénero vivem uma relação poliamorosa. Contra a epidemia reacionária, a autonomia de intimidade e da reprodução.

Argumento e Realização Pedro Neves Marques
Fotografia Marta Simões
Som Tales Manfrinato
Direção de Arte Diogo Hayashi
Música HAUT
Montagem Pedro Neves Marques
Efeitos Especiais João Cáceres Costa
Estúdio de Pós-Produção Kino Sound Studio
Correção de Cor Rita Lamas
Desenho e Mistura de Som Pedro Góis
Produção Catarina de Sousa e Pedro Neves Marques
Elenco Alina Dorzbacher, Ana Flávia Cavalcanti, Kelner Macedo
Apoio Péres Art Museum of Miami, EUA
Distribuição Portugal Film - Portuguese Film Agency


BIOGRAFIAS

Pedro Neves Marques é artista visual, realizadore e escritore. Apresentou exposições individuais e coletivas em instituições de arte como Tate Modern, Serpentine Galleries e Gasworks (Londres); Jeu de Paume (Paris); Pérez Art Museum (Miami), CaixaForum (Barcelona) e Anthology Film Archives, New Museum, SculptureCenter, High Line e e-flux (Nova Iorque); Fondación Botín (Madrid); Times Guangdong Museum (Cantão), entre outras. Expôs ainda na Liverpool Biennial, Gwangju Biennale, Göteborg International Biennial, Guangzhou Image Triennial, New Museum Triennial, Ural Biennial for Contemporary Art, Contour Biennial e Bienal Internacional de Cuenca. Os seus filmes foram mostrados em festivais de cinema como Toronto International Film Festival, Rotterdam Film Festival e New York Film Festival. É co-fundadore com Alice dos Reis da editora de poesia Livros do Pântano / Pântano Books. É autore do livro de contos Morrer na América (Abysmo e Kunsthalle Lissabon, 2017) e editou as antologias YWY, Searching for a Character Between Future Worlds: Gender, Ecology, Science Fiction (Sternberg Press, 2021) e The Forest and The School (Archive Books, 2015); co-editou também um número especial da revista de arte e teoria e-flux journal para a 65ª Bienal de Veneza (2015). (Foto: Ana Brígida)

Adam Khalil é um cineasta e artista residente em Brooklyn. Cresceu como membro da tribo Ojibway em Sault Ste. Marie, Michigan. É colaborador da Nova Ordem Vermelha (NRO), e co-fundador de COUSIN, um colectivo que apoia os artistas indígenas que expandem o formato do filme. O seu trabalho foi apresentado na Bienal de Whitney, Museum of Modern Art, Lincoln Center, e e-flux, Nova Iorque; Tate Modern, Londres; Walker Art Center, Minneapolis; e na Bienal de Toronto.

Bayley Sweitzer é um cineasta residente em Brooklyn. O seu trabalho foi apresentado no Film at Lincoln Center and Anthology Film Archives, New York; LACMA, Los Angeles; Other Cinema, San Francisco; Pacific Film Archive, Berkeley; Walker Art Center, Minneapolis; Tate Modern, Londres; Bozar, Bruxelas; Berwick Film & Media Arts Festival; e na Berlinale em Berlin. É galardoado com um Prémio Creative Capital. Sweitzer também trabalha profissionalmente como primeiro assistente de câmara e é membro do International Cinematographers Guild, IATSE Local 600. Actua como cúmplice do colectivo da Nova Ordem Vermelha (NRO).

Oba “o Artista e Músico” nasceu Wendell Scotts em Port-of-Spain, Trindade e Tobago. Oba é artista, chef e ator residente em Brooklyn. As suas pinturas, esculturas e t-shirts foram apresentadas na Motel Gallery e Rumpelstiltskin, Brooklyn. De 2016 a 2018, Oba foi vocalista do supergrupo de vanguarda Dead Companionship ao lado de Austin Sley Julian, Adam e Zack Khalil. Protagonizou como Rei Alfa em Empty Metal de Adam Khalil e Bayley Sweitzer (2018). A sopa de milho de classe mundial de Oba tem sido consumida no lendário Club Temptation em Flatbush, bem como em estabelecimentos reconhecidos em todo o mundo.

A investigação de Filipa Ramos, PhD, centra-se na forma como a cultura se relaciona com a ecologia, atendendo à forma como a arte contemporânea fomenta relações entre a natureza e a tecnologia. Ramos tem trabalhado na intersecção entre cinema e arte, sendo curadora de Art Basel Film e fundadora do cinema de artistas Vdrome. Co-criou, para a Serpentine Gallery de Londres, o festival de artes, humanidades e ciência The Shape of a Circle in the Mind of a Fish e é curadora de “Persons Persone Personen”, a 8ª Bienal Gherdëina (2022).


Crespúsculos

Programa público no âmbito de Vampires in Space, o projeto de Pedro Neves Marques para a a Representação Oficial da 59.ª Exposição Internacional de Arte – La Biennale di Venezia. Conheça as atividades gratuitas do Centro de Arte Moderna para dia 5 de junho.

Saber mais

A Fundação Calouste Gulbenkian reserva-se o direito de recolher e conservar registos de imagens, sons e voz para a difusão e preservação da memória da sua atividade cultural e artística. Caso pretenda obter algum esclarecimento, poderá contactar-nos através de [email protected] .


Organização e comissariado

Mecenas principal

Apoio

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.