4 em 5 crianças que entram hoje na escola terão empregos que ainda não existem. (Banco Mundial)

40% das competências chave do futuro serão diferentes das de hoje. (World Economic Forum)

50% dos empregos estão em risco pela automação. (OCDE)

10 a 15% dos empregos na indústria portuguesa vão desaparecer em dez anos, mas serão criados outros. (Fórum para a Competitividade)

 

 

 

 

O que vamos fazer?

Apoiar 100 projetos de promoção de competências dinamizados, a nível local, por organizações vocacionadas para o desenvolvimento do potencial de crianças e jovens com menos de 25 anos. A estes projetos será dado o nome Academias Gulbenkian do Conhecimento.

Quem pode criar uma Academia?

Associações juvenis, culturais e desportivas, ONGs, IPSS, Associações de pais, Autarquias, Escolas, Universidades ou outras organizações, públicas e privadas, sem fins lucrativos, heterogéneas na sua orgânica, dimensão e atividade.

Para fazer o quê?

Enquanto projetos sediados em organizações, as Academias vão desenvolver atividades de âmbito artístico, científico, comunitário, cultural, desportivo, nas áreas da educação, da saúde, social ou tecnológica, utilizando uma metodologia de referência ou estratégias experimentais.

Como serão apoiadas as Academias?

Através de subsídios e de ações de mentoria.

 


 

Processo de candidatura e seleção