• França, c. 1903-1904
  • Chifre, marfim, ouro e citrino
  • Inv. 1211

Diadema «Orquídeas»

René Lalique

Duas orquídeas em chifre e uma em marfim constituem o corpo deste belo diadema, enriquecido ainda por um pequeno citrino em forma de gota no centro da flor de marfim. O pente de três dentes, também em chifre, é articulado ao diadema por uma charneira em ouro.

Foi em 1896 que Lalique apresentou pela primeira vez, no Salon, uma pulseira executada em chifre. Nos anos seguintes, porém, dado o êxito obtido, sucederam-se as criações de joias em chifre e marfim.

A exótica orquídea foi uma das flores símbolo do movimento estético do final do século XIX e foi tratada pelos joalheiros do período Arte Nova com muito realismo, aqui realçado ainda pela mestria técnica de René Lalique que, baseando-se sempre na flor real, consegue simultaneamente conferir a esta joia elegância e forte sentido erótico.

Adquirida por Calouste Gulbenkian a René Lalique, 1904.

A. 14,5 cm; L. 16 cm

Barten 1977

Sigrid Barten, René Lalique. Schmuck und Objets d’art, 1890-1910. Munique: Prestel-Verlag, 1977, p. 174, n.º 29.

Paris 1991

Lalique. Bijoux, Verre. Paris: Musée des Arts décoratifs, 1991, pp. 18-19.

Kimura 1993

Yuji Kimura (dir.), Orchid. Tokyo: 1993, p. 36.

Gomes Ferreira 1997

Maria Teresa Gomes Ferreira, Lalique. Jóias, Lisboa: Museu Calouste Gulbenkian, 1997, pp. 230-233, n.º 62.

Lisboa 2001

Museu Calouste Gulbenkian. Lisboa: Museu Calouste Gulbenkian, 2001, p. 179, cat. 156.

Lisboa 2011

Museu Calouste Gulbenkian. Lisboa: Museu Calouste Gulbenkian, 2011, p. 202, cat. 181.

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.