Programa Cidadãos Ativ@s / Active Citizens Fund
10 Dezembro, 2019

Dia Internacional dos Direitos Humanos

A 10 de dezembro celebra-se o Dia Internacional dos Direitos Humanos, assinalando a data em que, no ano de 1948, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou a Declaração Universal dos Direitos Humanos, um dos documentos mais traduzidos da história moderna.

Coincidindo com o Dia Internacional dos Direitos Humanos, a Assembleia da República assinala hoje o Dia Nacional dos Direitos Humanos com uma Cerimónia Comemorativa presidida pelo Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, na qual a Fundação Calouste Gulbenkian far-se-á representar pelo Programa Cidadãos Ativ@s.

Nesta ocasião, é entregue o Prémio Direitos Humanos 2019 à Aldeias Humanitar – Humanizar e Estar, associação de solidariedade social fundada em 2018, pela sua atuação humanitária e inovadora na prestação de cuidados de saúde e sociais, no amparo das famílias e pessoas idosas que vivem em situação de vulnerabilidade ou isolamento e abandono, principalmente no interior do País. Serão ainda atribuídas Medalhas de Ouro Comemorativas do 50.º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos à Crescer – Associação de Intervenção Comunitária e à Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas.

Também o projeto #Direitos.Com, financiado pelo Programa Cidadãos Ativ@s no âmbito do seu eixo de intervenção especificamente dedicado ao apoio e à defesa dos direitos humanos, se associa às comemorações do Dia Internacional dos Direitos Humanos e levará a cabo uma ação de rua que visa chamar a atenção para a questão dos Direitos Humanos, em conjunto com cerca de 100 jovens entre os 13 e os 20 anos que participam no programa de Educação para os Direitos Humanos desenvolvido no âmbito deste projeto.

Envergando t-shirts brancas onde nas costas estão inscritos artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, os 100 jovens ali reunidos farão um cordão humano no largo da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira e em grupos organizados lerão os 30 artigos em voz alta para os transeuntes. No período da tarde, serão colocados “estendais” com a inscrição dos Direitos Humanos nas várias escolas do município envolvidas neste projeto.