Ana Vidigal

Concluiu o Curso de Pintura da Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa em 1984. Foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian (1985/1987). Realizou um estágio de Gravura em Metal com Bartolomeu Cid dos Santos, na Casa das Artes de Tavira (1989).

É pintora residente do Museu de Arte Contemporânea – Fortaleza de São Tiago, Funchal (19989/99). Em 1995 e em 2002 foi convidada pelo Metropolitano de Lisboa para a execução de painéis de azulejos para as estações de Alvalade e de Alfornelos (construída), respetivamente. Em 1997 executou, a convite do Instituto Português do Património Arquitectónico, uma chávena em porcelana integrada no projecto: “Um Artista, um Monumento”.

 

Expõe individualmente desde 1981 e realizou nos últimos dois anos as seguintes individuais: Casa dos Segredos, Instituto Superior Técnico, Lisboa; Austeridade e Pequenos Sinais de Fumo, Galeria Municipal de Abrantes, Abrantes; Estilo Queen Anne, Baginski Galeria/Projetos, Lisboa; Cine Mar(a)vil(h)a – Vídeos – Teatro Praga, Lisboa; the brain is deeper than the sea – Outros Olhares, Novos Projetos, Museu do Chiado – MNAC, Lisboa.

 

Participou em inúmeras coletivas e está representada em várias coleções públicas, onde se destacam: Banco de Portugal, Lisboa; BES España; CAM, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; Culturgest, Lisboa; Coleção Berardo; Coleção Deutsche Bank; Coleção Manuel de Brito; Fundação de Serralves, Porto; Fundação PLMJ, Lisboa; MACE – Museu de Arte Contemporânea de Elvas, Elvas; Metropolitano de Lisboa; Museu do Chiado, Lisboa.

 

Recebeu em 1999 o Prémio Maluda, e faz parte da short list (pintura) do Prémio EDP em 2001. Recebe o Prémio Amadeo de Souza–Cardoso em 2003. Em 2010, realiza no CAM a exposição antológica Menina Limpa Menina Suja com curadoria de Isabel Carlos.

 

 

Biografia facultada pela artista

Abril de 2013