• Paris, c. 1415 
  • Pergaminho 
  • Inv. LA237

Livro de Horas de Isabel da Bretanha ou «As Horas de Lamoignon»

Pinturas do Master of Bedford

Este Livro de Horas pertenceu a Isabel, filha de João VI, duque da Bretanha, e de sua esposa Joana; por parte da mãe, Isabel era neta de Carlos VI, rei de França, e de Isabel da Baviera. Em 1430 a duquesa Isabel casou com Guy XIV, conde de Laval e senhor de Montmorency.

Este manuscrito de grande luxo, também conhecido por «Horas de Lamoignon» (nome do colecionador a quem pertenceu no século XVIII), foi produzido no ateliê de um dos iluminadores que mais se distinguiram na vida artística parisiense, cujo trabalho é reconhecível a partir da primeira década do século XV, conhecido por Mestre de Bedford. Esta designação deve-se ao facto de três das melhores obras do mestre terem sido executadas para João de Lancastre (1389-1435), duque de Bedford e regente de França (1422-1435).

Com um esquema pictórico extremamente diversificado, inclui trinta e duas soberbas miniaturas, cada uma delas rodeada por pequenos registos com episódios alusivos ao tema central. Esta é, aliás, uma das características fundamentais da produção do ateliê Bedford no seu período áureo. O texto é envolvido por margens com delicada decoração floral e povoadas por uma profusão de anjos músicos, monstros e grotescos, figuras rústicas e eclesiásticas, num total de mais de mil ornamentos. O calendário inicial apresenta vinte e quatro miniaturas com os doze signos do Zodíaco e a representação alegórica dos doze meses do ano. Nas suas orlas, distinguem-se oitenta e quatro figuras ou episódios evocativos aos trabalhos de cada mês, sendo ainda esta ornamentação enriquecida por uma vintena de retratos de santos. Letrinas a cores e a ouro e um total de quatrocentas e catorze iniciais historiadas contam-se, de igual modo, entre a iluminura deste códice. 

A destinatária deste Livro de Horas é representada em oração em três miniaturas do manuscrito, respetivamente nos f. 165v, 202v e 286v.

Isabel da Bretanha, mulher de Guy XIV, conde de Laval; Col. Lamoignon; duques de Newcastle, Clumber Park Library. Adquirida por Calouste Gulbenkian, Sotheby's, 21 de junho de 1937 (lote 1).

Millar 1933

E. G. Millar, Souvenir de l'exposition de manuscrits français à peintures organisée à la Grenville Library (British Museum) en janvier-mars 1932. Edutes concernant les 65 manuscrits exposés. Paris: 1933, p. 31.

Spencer 1965

E. P. Spencer, «The Master of the Duke of Bedford. The Bedford Hours», The Burlington Magazine, CVII, 1965, pp. 495-502.

Spencer 1966

E. P. Spencer, «The Master of the Duke of Bedford. The Salisbury Breviary», The Burlington Magazine, CVIII, 1965, pp. 607-612.

Meiss 1972

M. Meiss, The de Lévis Hours and the Bedford Workshop. New Haven: 1972, pp. 12-13, 18, 21-22, 25.

Meiss 1974

Meiss, M., French Painting in the Time of Jean de Berry. The Limbourgs and Their Contemporaries. New York: 1974, p. 364.

Sterling 1987

Sterling, Charles, La peinture médiévale à Paris, 1300-1500, t. 1. Paris: 1987, pp. 421, 425, 431.

Lisboa 1999

A Arte do Retrato. Quotidiano e Circunstância, catálogo da exposição. Lisboa: Museu Calouste Gulbenkian, 2000, cat. 2.

Lisboa 2000

A Imagem do Tempo. Livros Manuscritos Ocidentais, catálogo da exposição. Lisboa: Museu Calouste Gulbenkian, 2000, cat. 10.

Paris 2004

Paris-1400, catálogo da exposição. Paris: Musée du Louvre, 2004, cat. 220.

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.