• Egito, Época Saíta (664-525 a. C.)
  • Bronze 
  • Inv. 21

Gata com filhotes

Uma gata aleitando uma cria e brincando com outra está deitada sobre uma caixa-sarcófago destinada a guardar restos mumificados de gatos. Os gatos foram muito representados na arte egípcia, especialmente na época saíta, período de extensa figuração animalista.

Os gatos eram consagrados ao culto de Bastet, deusa da fecundidade e protetora do lar, e tinham habitualmente as orelhas furadas para a colocação de argolas de ouro. A deusa Bastet, com cabeça de felino, conta-se entre as muitas divindades da religião politeísta egípcia, e tinha o seu templo em Bubastis, no delta do Nilo.

O Museu Gulbenkian possui mais duas estatuetas de gatos, sentados, cujo interior servia de recetáculo para guardar as cinzas dos animais.

Coleção Durighello. Adquirida por Calouste Gulbenkian, por intermédio de Graat & Madoulé, na venda da Coleção Durighello, Galerie Georges Petit, Paris, 1924.

A. 25,5 cm; L. 55,3 cm 

Assam 1991

Maria Helena Assam, Arte Egípcia. Lisboa: Museu Calouste Gulbenkian, 1991, pp. 86-87.

Araújo, 2006

Luís Manuel de Araújo, Arte Egípcia. Colecção Calouste Gulbenkian. Lisboa: Museu Calouste Gulbenkian, 2006, pp. 128-129, cat. 31.