• Paris: L’Edition d’Art. H. Piazza et Cie., 1904
  • Papel velino; encadernação jansenista em marroquim vermelho-velho
  • Inv. LM70
  • N.º 27, exemplar único de uma tiragem de 30 exemplares

«Bouvard et Pécuchet»

Ilustrações de Charles Huard (1872-1965) e Gaston Hochard (1863-1913)
Encadernação assinada por Georges Canape (1864-1940)

O presente exemplar ilustrado com composições de Charles Huard, inclui ainda uma aguarela e um desenho a lápis deste artista e uma aguarela de Hochard. O volume, constituído por dois tomos encerra uma carta manuscrita de Gustave Flaubert, que reforça o seu estatuto de livro de bibliófilo.

A novela de Flaubert, iniciada em 1872-1874, foi redigida entre 1877 e 1880, encontrando-se inacabada à morte do escritor, sendo que a primeira edição data de 1881. As aventuras dos dois funcionários, Bouvard e Pécuchet, cuja amizade nasce de um encontro ocasional junto ao canal de Saint-Martin, não tiveram grande aceitação junto da crítica. A mensagem satírica de Flaubert, que coloca os seus protagonistas em busca do saber universal numa pequena aldeia, longe do bulício urbano de Paris, encontra resistência na pequena comunidade local, que acabará por levar os amigos a abandonar o seu projeto utópico e a regressar à sua vida de funcionários.

Adquirido por Calouste Gulbenkian, por intermédio de L. Giraud-Badin, na venda Arthur Meyer, Paris,  7 de junho de 1924 (lote 283).

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.