A Perspectiva das Coisas. A Natureza Morta na Europa – Volume I

A natureza-morta tem longa existência na Pintura ocidental, secundária primeiro, elemento de caracterização dos ambientes ou atributo hermético, ganharia estatuto autónomo de género a partir do século XVII, inicialmente motivo que encena e quase oculta o núcleo narrativo essencial da imagem. Primeiro bastou-se na descrição mimética dos objectos, artificiais ou naturais, em vocação decorativa estrita, assumindo-se na Idade Moderna como género da Pintura capaz de comunicar máximos valores simbólicos e expressivos. A capacidade de registar e comunicar estruturas profundas de pensamento e existência levou à reavaliação da natureza-morta pela História da Arte, destacando-se neste contexto a rigorosa investigação de Peter Cherry, comissário científico da exposição. O volume agora publicado, e que acompanha a exposição, permite uma abordagem desta temática através dos ensaios e do estudo individualizado de todas as pinturas presentes na exposição, da autoria de Peter Cherry, John Loughman e Lesley Stevenson. O Volume II, dedicado à pintura de natureza-morta nos séculos XIX e XX, será publicado por ocasião da mostra a realizar em 2011.

Ficha técnica

Textos:
Peter Cherry, John Loughman, Lesley Stevenson
Coordenação editorial:
João Carvalho Dias
Editado:
2010
Entidade
Museu Calouste Gulbenkian
Páginas:
272
ISBN:
978-972-8848-69-9
Atualização em 05 agosto 2022

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.