Reabertura da exposição «René Lalique e a Idade do Vidro»

«René Lalique e a Idade do Vidro» reabre entre 6 de abril, data do aniversário de nascimento do artista, e 12 de abril.
Vista geral da exposição. Foto: © Pedro Pina

A exposição René Lalique e a Idade do Vidro ganha uma semana extra (6-12 abril), com o horário ampliado na sexta (10h- 21h) para permitir um maior número de visitantes. Recorde-se que esta exposição, encerrada prematuramente devido à pandemia, tinha o fecho previsto para dia 1 de fevereiro.

Com esta reabertura, o público tem uma nova oportunidade para poder admirar ao vivo cerca de cem peças do artista, em que se destacam algumas das suas mais belas criações, entre joias, peças decorativas e objetos de uso quotidiano.

Além das peças do Museu Gulbenkian em vidro, ou com componentes em vidro, esta exposição conta com um conjunto excecional de obras do Museu Lalique (Wingen-sur-Moder) e de outras oriundas de algumas das mais importantes coleções particulares do mundo. Com curadoria de Luísa Sampaio, a exposição percorre todos os grandes momentos da carreira do artista, desde a fase de produção artesanal como joalheiro no período Arte Nova até à altura em que assumiu o papel de «industrial-criador» e passou a dedicar-se exclusivamente ao vidro. O limite de presenças em simultâneo na sala é de 25 pessoas.

A Coleção do Museu Calouste Gulbenkian pode ser visitada a partir do dia 7 de abril.

O Centro de Arte Moderna permanece encerrado para as obras de remodelação que vão dar corpo ao projeto do arquiteto japonês Kengo Kuma e também do arquiteto libanês Vladimir Djurovic, responsável pela intervenção paisagística na nova área de Jardim que ampliará os espaços verdes da Fundação Gulbenkian.