Reabertura da Galeria de Artes Decorativas Francesas do século XVIII

Após um breve período de encerramento, reabriu ao público esta galeria, cuja intervenção se deveu à necessidade de renovação dos painéis da sala e ao redimensionamento de parte dos suportes existentes.

O espaço foi repensado e concebido em torno de um eixo  central que inclui obras de grande dimensão, como Retrato do Marechal de Richelieu, de Jean-Marc Nattier, de duas tapeçarias da Manufactura Real  de Beauvais e da inclusão de um par de armários do mestre ébanista de Luís XIV, André-Charles Boulle, apresentados pela primeira vez no museu como um conjunto. Procurou-se ainda criar um diálogo mais dinâmico entre as obras expostas, que incluem mobiliário, tapeçarias, tecidos, pintura, escultura e bronzes, resultando da apresentação final um efeito cenográfico capaz de transportar o visitante ao sumptuoso universo das Artes Decorativas Francesas do Século XVIII, setor particularmente significativo no conjunto da coleção Calouste Gulbenkian.