Dante e Ulisses. Do mito à modernidade

Com António M. Feijó e Teresa Bartolomei

Event Slider

Ulisses, o homem que muito sabia, muito viu, muito viajou e muito sofreu, lutou pela sua vida e por regressar à casa, mas fracassou ao salvar os amigos, que, enlouquecidos, se perderam: não tinham a sua sabedoria (Odisseia I, 1-5). Em cinco versos admiráveis, a abertura da Odisseia descreve o maior herói da literatura ocidental, que periodicamente ressurge, fiel a si mesmo e sempre diferente: rei do disfarce, da mudança, da adaptação. 

Inteligência e sofrimento, sede de conhecimento e experiência do fracasso são as marcas que levam cada leitor a identificar-se com ele, e tantos poetas a retomá-lo para redescrever com ele a face do humano. Ao colocá-lo no Inferno, Dante faz de Ulisses uma figura miserável e sublime: protagonista de uma viagem ao coração do desconhecido, pecador não arrependido, sedutor ambíguo, dividido entre fraude e dignidade. A mistura de grandeza e abjeção desenhada por Dante abre a Ulisses o caminho de saída do mito para se tornar ícone do homem contemporâneo. Se o Ulisses de Joyce deve tanto a Homero como a Dante é porque o a heroicidade do fracasso se tornou parte da autoconsciência moderna.


BIOGRAFIAS

António M. Feijó, Professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.  Autor de livros e ensaios sobre o Modernismo europeu e norte-americano. Tradutor de Shakespeare e outros escritores de língua inglesa.

Teresa Bartolomei, Doutorada no Programa em Teoria Literária da Universidade de Lisboa, é atualmente investigadora integrada do CITER, Centro de Investigação em Estudos de Teologia e Religião (UCP), e professora convidada na Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa. Em 2018 publicou Radix Matrix (Lisboa: UCE), um ensaio sobre eclesialidade e cidadania, S. Paulo e a dimensão comunitária da democracia. A questão do mal na perspetiva pessoal e civilizacional é discutida à luz dos textos bíblicos em Dove abita la luce (Milão: Vita e Pensiero, 2019), livro que aborda em particular o tema da crise ecológica, a partir de uma releitura da figura de Noé.

Cookies settings

Cookies Selection

The Calouste Gulbenkian Foundation uses cookies to improve your browsing experience, security, and its website performance. The Foundation may also use cookies to share information on social media and to display messages and advertisements personalised to your interests, both on our website and in others.