24 Julho 2020

Mademoiselle Duplant e a Ópera de Paris

Partilhamos semanalmente uma história sobre a Coleção do Fundador. O mês de julho é dedicado às histórias musicais.

François-André Vincent, «Retrato de Mademoiselle Duplant» (pormenor), 1793. Óleo sobre tela. Coleção do Fundador

Françoise-Claude-Marie-Rosalie Duplant (n. 1745) foi uma famosa cantora de ópera, cuja atividade se desenrolou durante o século XVIII em França. Mademoiselle Duplant atuou como solista na Ópera de Paris a partir dos inícios da década de 1760.

Fundada em 1669 por Luís XIV, o célebre «Rei Sol», esta sala de espetáculos foi gerida pelo compositor Jean-Baptiste Lully entre 1672 e 1687. Durante este período, a Ópera manteve uma programação regular durante todo o ano, incluindo as próprias composições de Lully, além de várias produções de ballet. Após a Revolução Francesa, a instituição mudou de nome inúmeras vezes até se estabelecer como Opéra National de Paris, em 1994.

Rosalie atuou em vários espetáculos na Ópera de Paris ao longo de cerca de 20 anos, como Thessée de François-Joseph Gossec (no papel de Médée), ou Iphigénie en Aulide de Cristophe Willibald Gluck (fazendo de Clitemnestre). Terá ainda participado na ópera de André Campra, Les Fêtes Venitiennes, como Iphise; contudo, ficou conhecida sobretudo pelo seu papel de Cybèle na ópera Atys, de Niccolò Piccinni, cuja partitura se pode ver na pintura adquirida por Calouste Gulbenkian, sobre a estante do piano. O libreto desta tragédia lírica, de Jean-François Marmontel, teve como base o de Philippe Quinault para uma ópera da autoria de Lully com o mesmo nome.

Mademoiselle Duplant reformou-se antes da realização deste retrato, cerca de 20 anos após o início da sua carreira. Pintada por François-André Vincent, em 1793, a tela mostra a cantora sentada a um pianoforte fabricado por Johann Kilian Merken, evocando motivos clássicos. Foi comprada pelo colecionador em 1921 em Nova Iorque e faz parte da exposição permanente da Coleção do Fundador.


Uma Coleção com Histórias

Partilhamos semanalmente uma história sobre a Coleção do Fundador. O mês de julho é dedicado às histórias musicais.

Conhecer outras histórias