Kum Kapi

Tapetes Viajantes

Slider de Eventos

Os tapetes Kum Kapi devem o seu nome a um bairro em Istambul onde se fixaram, no século XIX, vários mestres tapeceiros arménios que executaram ricos tapetes de nó em seda, com fios metálicos, inspirados nos tapetes persas clássicos dos séculos XVI e XVII.

Hagop Kapoudjian (c. 1870-1946) foi um dos mais famosos mestres tapeceiros de Kum Kapi, autor de três dos tapetes que figuram na exposição e que são postos em diálogo com trabalhos do artista contemporâneo, também de origem arménia, Mekhitar Garabedian (n. 1977, Alepo). Dois artistas de tempos e lugares diferentes que partilham um passado comum que, de certa forma, se liga com a própria história de vida de Calouste Sarkis Gulbenkian.

A exposição estabelece um diálogo entre tradição e contemporaneidade, continuidade e reinvenção, evidenciando de forma surpreendente a relação entre o tapete e a viagem que aqui é, mais do que nunca, associada à diáspora arménia.

Curadoria: Clara Serra, Rita Fabiana

 

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.