Linhas do Tempo. As Coleções Gulbenkian. Caminhos Contemporâneos

60.º Aniversário da Fundação Calouste Gulbenkian

Exposição organizada por ocasião do 60.º aniversário da Fundação Calouste Gulbenkian. Comissariada por Penelope Curtis, João Carvalho Dias e Patrícia Rosas, esta mostra marcava a fusão do Museu Calouste Gulbenkian com o Centro de Arte Moderna, pondo em diálogo as coleções do Fundador e de Arte Moderna.
Exhibition organised for the 60th anniversary of the Calouste Gulbenkian Foundation. Curated by Penelope Curtis, João Carvalho Dias and Patrícia Rosas, the show marked the merging of the Calouste Gulbenkian Museum with the Modern Art Centre, juxtaposing the collections of the Founder’s and Modern Art Collections.

As barreiras cronológicas desta mostra – 1896-2016 – foram definidas recuando e avançando sessenta anos a partir da data de inauguração da Fundação Calouste Gulbenkian (1956). A primeira data corresponde ao ano das primeiras aquisições documentadas pelo colecionador, a segunda coincidia com o ano da exposição. Nesse intervalo de tempo foram compostas duas coleções, uma então encerrada e outra que se mantém aberta; uma constituída por Calouste Sarkis Gulbenkian até 1955, ano da sua morte, e outra pela instituição que criou por testamento. Fazendo o cruzamento das duas coleções, esta exposição pretendia revelar como as escolhas de Calouste Gulbenkian «não só retratam o seu tempo, como também se cruzam e se refletem nas obras adquiridas pela Fundação após a sua morte» (Linhas do Tempo. As Coleções Gulbenkian. Caminhos Contemporâneos [folheto], 2016).

Cocomissariada por Penelope Curtis, então diretora da instituição, João Carvalho Dias e Patrícia Rosas Prior, esta exposição ocupou a Galeria de Exposições Temporárias da Sede (piso 0), com entrada a partir do Museu. Ao longo dos seis núcleos que a compunham, propôs-se uma revisão histórica que aprofundou os critérios que estiveram na génese das coleções e redesenhou o perfil do colecionador.

No seu texto para a exposição, Penelope Curtis procura desconstruir algumas ideias feitas, e portanto redutoras, associadas ao fundador da Coleção: «É comum considerar-se a coleção de Calouste Gulbenkian como uma coleção histórica e esquecer que o Colecionador foi um homem moderno, cujos gostos e escolhas refletem o tempo em que viveu. Na altura, ser moderno era também gostar de objetos de épocas passadas […]. Calouste Gulbenkian é habitualmente pensado como alguém que olhava apenas para o passado no que se refere às suas preferências artísticas.» (Ibid.)

Através de uma análise cuidada das escolhas e opções de Calouste Gulbenkian, enquanto colecionador, esta mostra procurava salientar a modernidade da sua atuação e legado.

O primeiro núcleo era dedicado à pintura de paisagem presente nas duas coleções. Numa seleção de obras do final do século XIX ao início do século XX, de artistas nacionais e estrangeiros, tais como Camille Flers (1802-1868), Jean-Baptiste Camille Corot (1796-1875), John Singer Sargent (1856-1925), António Carneiro (1872-1930), Emmerico Nunes (1888-1968), entre outros, identificava-se, como traço comum a ambas, uma atitude cautelosa em relação aos novos estilos pictóricos, iniciados pelas obras de temática paisagística (Ibid.).

O segundo núcleo, que incluía escultura e artes decorativas, centrava-se no gosto pela arte francesa, pondo em paralelo as duas coleções através de obras que manifestam essa clara influência. Expostas lado a lado, Cabeça de Legros (1881), de Auguste Rodin, e Cabeça de Velho (1909), de Francisco Franco, sugeriam interseções na linha do tempo, do mesmo modo que os trabalhos de Edgar Brandt (1880-1960) e Canto da Maya (1890-1981) procuravam evidenciar pontos de diálogo entre as duas coleções.

Por outro lado, neste núcleo foram destacadas aquisições e encomendas de Calouste Gulbenkian a artistas seus contemporâneos, como René Lalique e Edgar Brandt, contrariando a ideia de que o Colecionador se interessara exclusivamente pela arte do passado. Se estas peças refletem o ar do tempo na França de 1920, também algumas aquisições de obras do modernismo português são reveladoras da vida em Lisboa no mesmo período. A testemunhá-lo estava uma secção com pinturas de José de Almada Negreiros (1893-1970), Lino António (1898-1974), Diogo de Macedo (1889-1959), António Soares (1894-1978), entre outros artistas que retrataram a vida mundana na capital.

Desse período, datam ainda inúmeras aquisições de Gulbenkian que incidem nas artes decorativas e que denotam a sua preferência pela art déco e pela produção do Oriente Islâmico e do Extremo Oriente, representada na mostra por um conjunto de peças em cerâmica e têxteis. Os têxteis, nomeadamente os tapetes, foram conjugados com peças de mobiliário de períodos distintos (século XVIII e década de 1920), mas com ligações temporais em relação às aquisições de Gulbenkian. Nesta área foram também postas em confronto as encomendas art déco do colecionador para a sua casa em Paris e algumas aquisições da Fundação Calouste Gulbenkian, em particular de mobiliário de design moderno produzido nesses mesmos anos e desenhado por arquitectos como Ludwig Mies van der Rohe (1886-1969), Le Corbusier (1887-1965), Alvar Aalto (1898-1976). Este tipo de associações, algumas delas desencadeadas por coincidências temporais, iam dando forma à exposição.

A fase inicial da Coleção Moderna deu o mote para a secção seguinte, onde se apresentavam obras dos núcleos de pintura proveniente de Bagdad, do qual fazem parte The Old city (1966), de Dia Al-Azzawi (1939), ou Rendez-vous (1961), de Saadi Al-Kabi (1937), e obras de arte britânica selecionadas pelo British Council, como as esculturas Swing Low (1964), de David Annesley (1936), Volution (1964), de Isaac Witkin (1936-2006), Bowbend (1964), de Michael Bolus (1934-2013), ou a pintura Metamorphosis (1964), de Bridget Riley (1931), sendo traçadas as ligações destas com os interesses e a história de vida de Calouste Gulbenkian.

Por outro lado, foi também dado espaço às encomendas destinadas ao edifício da Fundação (aqui representado por uma maqueta), destacando-se tapeçarias desenhadas por artistas de renome, como Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992), bem como mobiliário e objetos decorativos desenhados por designers e arquitetos como Daciano da Costa (1930-2005).

Os documentos expostos – relativos a Les Enclos, com ficou conhecido o jardim projetado por Achille Duchêne, ou Estudo para o Jardim, de Gonçalo Ribeiro Telles, e Estudos para o monumento Azeredo Perdigão, por Pedro Cabrita Reis – reforçavam a continuidade dada pela Fundação a outros gostos e prazeres de Gulbenkian, como era o caso dos jardins. A este propósito, foi feita referência ao jardim que Calouste Gulbenkian encomendara ao arquiteto paisagista Achille Duchêne em 1937, em Deauville (França), e ao jardim da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, projetado por Gonçalo Ribeiro Telles. A temática do jardim e da natureza foi ainda aprofundada através de uma seleção de obras da Coleção Moderna de artistas nacionais e estrangeiros, como Lourdes Castro (1930), Vieira da Silva, Zao Wou-Ki (1921-2013), Dikran Daderian (1929), entre outros.

A exposição terminava com uma escultura com espelhos de José Pedro Croft (1957), que consiste numa estrutura paralelepipédica em ferro, atravessada por um espelho. Penelope Curtis justifica esta escolha do seguinte modo: «Esta última obra surge aqui pela mesma razão que deu origem à presente exposição: tendo como ponto de partida o ano de 1956, recuar ou avançar 60 anos e encontrar convergências e divergências surpreendentes. Há quem diga que uma imagem no espelho pode estar mais perto do que parece. A nossa seleção de obras também reflete avanços e recuos.» (Ibid.)

Com esta mostra, Penelope Curtis pretendia apresentar um novo olhar sobre as coleções, livre de preconceitos, e, simultaneamente, uma espécie de manifesto de intenções, definidor da linha de atuação que pretendia traçar para a instituição que começara então a dirigir. Tratando-se da primeira exposição comissariada por Curtis, não é de estranhar que tenha recebido especial atenção por parte da imprensa. No entanto, a grande maioria dos artigos, à exceção de dois, não manifesta opiniões nem toma posições relativamente à abordagem apresentada. As exceções são os artigos de Nuno Crespo e Carlos Vidal, que desaprovam a proposta de Curtis. Para Crespo, as «relações entre as obras são, na maior parte das vezes, casuais e pouco ou nada acrescentam», anunciando «uma viragem para o turista» (Crespo, Ípsilon, 1 jun. 2016, p. 12). Vidal é ainda mais crítico, considerando-a «uma feira sem nexo de obras-primas da Fundação […] e uma péssima forma de sustentar uma opção» (Vidal, Sábado, 18 ago. 2016, p. 42).

Para acompanhar esta exposição, foi produzido um folheto desdobrável, que incluía um texto de Penelope Curtis e um esquema de interseções temporais pondo em confronto algumas das peças expostas e mostrando pontos de vista possíveis.

Mariana Roquette Teixeira, 2019


Ficha Técnica


Artistas / Participantes


Coleção Gulbenkian

Em Casa dos Condes Valença

Albert Jourdain (1891-1978)

Em Casa dos Condes Valença, 1921 / Inv. PE54

Argh!

Alexandre Conefrey (1961-)

Argh!, 2007 / Inv. 07DP2508

Hurry up please it's time

Alexandre Conefrey (1961-)

Hurry up please it's time, 2007 / Inv. 07DP2507

Ideal desfeito

Alexandre Conefrey (1961-)

Ideal desfeito, 2007 / Inv. 07DP2506

Assento modelo nº. 153

Alvar Aalto (1898-1976)

Assento modelo nº. 153, 1945 / Inv. MO6

Carrinho de chá 900

Alvar Aalto (1898-1976)

Carrinho de chá 900, 1936-37 / Inv. MO9

Espreguiçadeira modelo n.º 39

Alvar Aalto (1898-1976)

Espreguiçadeira modelo n.º 39, 1936 / Inv. MO5

Vaso Savoy

Alvar Aalto (1898-1976)

Vaso Savoy, 1936 / Inv. MO11

Vaso Savoy

Alvar Aalto (1898-1976)

Vaso Savoy, 1936 / Inv. MO12

Casa rustica

Amadeo de Souza-Cardoso (1887-1918)

Casa rustica, c. 1914 / Inv. 88P157

Baixo-relevo da princesa Meritités

Anónimo

Baixo-relevo da princesa Meritités, Império Antigo, IV dinastia, c. 2500 a. C. / Inv. 159

Nocturno

António Carneiro (1872-1930)

Nocturno, 1911 / Inv. 83P982

Paisagem

António Carneiro (1872-1930)

Paisagem, 1896 / Inv. 83P662

Reflexos

António Carneiro (1872-1930)

Reflexos, 1921 / Inv. 83P979

Sem título

António Carneiro (1872-1930)

Sem título, Paris, 15 de Outubro de 1897 / Inv. 83P970

Cena com um Pêndulo

António Dacosta (1914-1990)

Cena com um Pêndulo, 1941 / Inv. 15P1809

Figura

António Duarte (1912-1998)

Figura, 1957 / Inv. 58E826

Ilustração

António Soares (1894-1978)

Ilustração, 1921 / Inv. DP971

Marie Hélène

Arpad Szenes (1897-1985)

Marie Hélène, (1948) / Inv. PE87

Garden of Wish Fulfillment

Arshile Gorky (1904-1948)

Garden of Wish Fulfillment, (1944) / Inv. 85PE69

Retrato de uma jovem

Artur Hew (?)

Retrato de uma jovem, Inv. 1922

Metamorphosis

Bridget Riley (1931-)

Metamorphosis, 1964 / Inv. PE158

Camille Flers (1802-1868)

Paisagem à beira de um Pântano, 1852 / Inv. 446

Comédie ("Femme au Masque")

Canto da Maya (1890-1981)

Comédie ("Femme au Masque"), 1926 / Inv. 81E438

La Femme au Miroir ("Métisse se Regardant dans un Miroir"; "Femme à la "Toilette"

Canto da Maya (1890-1981)

La Femme au Miroir ("Métisse se Regardant dans un Miroir"; "Femme à la "Toilette", Inv. 81E436

Tragédie

Canto da Maya (1890-1981)

Tragédie, 1926 / Inv. 81E437

Charles Cressent (1685-1768)

c.1750 / Inv. 2369

Swing Low

David Annesley (1936-)

Swing Low, 1964 / Inv. EE14

Desconhecido

1580-1590 / Inv. 1632

Desconhecido

Final do século XVI / Inv. 842

Desconhecido

c.1575-1580 / Inv. 802

Desconhecido

c.1555-1560 / Inv. 806

Desconhecido

c.1580-1585 / Inv. 853

Desconhecido

Século XIX / Inv. 322

Desconhecido

Final do século XVI / Inv. R22

Desconhecido

377-326 a. C. / Inv. N714

Desconhecido

Século IV a. C. / Inv. N791

Desconhecido

c. 360-333 a. C. / Inv. N794

Desconhecido

c. 170-150? a. C. / Inv. N984

Desconhecido

c. 250-190 a. C. / Inv. N1012

Desconhecido

c. 280-261 a. C. / Inv. N1021

Desconhecido

c. 241-228 a. C. / Inv. N1027

Desconhecido

c. 139 - 129 a. C. / Inv. N1049

Panejamento de veludo

Desconhecido

Panejamento de veludo, Inv. 1513

Panejamento de veludo

Desconhecido

Panejamento de veludo, Inv. 1450

Tapete com ciprestes

Desconhecido

Tapete com ciprestes, Séc. XVII / Inv. T68

Tapete de oração

Desconhecido

Tapete de oração, Inv. T40

The Old City

Dia Al-Azzawi (1939-)

The Old City, 1966 / Inv. PE307

Jardin

Dikran Daderian (1929-)

Jardin, 1977 / Inv. PE296

s/título

Diogo de Macedo (1889-1959)

s/título, 1921 / Inv. DP233

s/título

Diogo de Macedo (1889-1959)

s/título, 1921 / Inv. DP234

Edgar Brandt (1880-1960)

Inv. 2917A/B

Espaço Ilusório

Eduardo Nery (1938-2013)

Espaço Ilusório, 1969/70 / Inv. TP13

"Kegon no Taki"

EISEN, Keisai

"Kegon no Taki", Inv. 2028B

S/ Título

Emerenciano da Silva Rodrigues (1946-)

S/ Título, 2006 / Inv. 06DP2500

s/título

Emmerico Nunes (1888-1968)

s/título, c. 1906-1911 / Inv. 80P1278

Ressurection

Evie Hone (1894-1955)

Ressurection, 1954 / Inv. PE217

Veado

Fernando Fernandes (1924-1992)

Veado, c. 1957 / Inv. 58E492

Francesco Guardi (1712-1793)

O Grande Canal junto à Ponte de Rialto, c. 1780-90 / Inv. 488

Cabeça de Velho

Francisco Franco (1885-1955)

Cabeça de Velho, 1909 / Inv. 63E262

Sem título

Francisco Tropa (1968-)

Sem título, 2014 / Inv. 14DP4018

Sem título

Francisco Tropa (1968-)

Sem título, 2014 / Inv. 14DP4017

Cabeça de Legros (Tête de Legros)

François Auguste René Rodin (1840-1917)

Cabeça de Legros (Tête de Legros), 1881 / Inv. 570

Irmão e Irmã (Frère et Soeur)

François Auguste René Rodin (1840-1917)

Irmão e Irmã (Frère et Soeur), 1890 (?) / Inv. 569

Georges Jacob (me. 1765)

c. 1780-1789 / Inv. 283C

Georges Jacob (me. 1765)

c. 1780-1789 / Inv. 283C

Nascimento de um Barco

Hansi Staël (1913-1962)

Nascimento de um Barco, Inv. PE53

Flores e flores

Hein Semke (1899-1995)

Flores e flores, 1971 / Inv. 13E1685

HOKUSAI, Katsushika

c. 1827 / Inv. 1996

HOKUSAI, Katsushika

Inv. 1997

Volution

Isaac Witkin (1936-)

Volution, 1964 / Inv. EE21

Histoire de la Princesse Boudour. Conte des mille nuits et une nuit. Traduit par le Dr. J. C. Mardrus.

J. C. Mardrus

Histoire de la Princesse Boudour. Conte des mille nuits et une nuit. Traduit par le Dr. J. C. Mardrus., 1926 / Inv. LM411

Jean Dunand (1877-1942)

Inv. 2257

Suzanne et le Pacifique

Jean Giraudoux (1882-1944)

Suzanne et le Pacifique, 1921 / Inv. LM95

Apolo

Jean-Antoine Houdon (1741-1828)

Apolo, 1790 / Inv. 552

Jean-Baptiste Camille Corot (1796-1875)

O Caminho da Quinta - Luzancy, c. 1865-70 / Inv. 352

Jean-Baptiste Camille Corot (1796-1875)

Ville d'Avray - O Caminho da Estação, 1874 / Inv. 185

John Singer Sargent (1856-1925)

Mulher e Criança dormindo num Barco, 1887 / Inv. 73

[Auto-Retrato num grupo] (Pintura para o café " A Brasileira" do Chiado, Lisboa)

José de Almada Negreiros (1893-1970)

[Auto-Retrato num grupo] (Pintura para o café " A Brasileira" do Chiado, Lisboa), 1925 / Inv. 83P57

Sem título

José Pedro Croft (1957-)

Sem título, 2006 / Inv. 07E1413

Mulher com uma Bilha (Jeune Fille à la Cruche)

Joseph Bernard (1866-1931)

Mulher com uma Bilha (Jeune Fille à la Cruche), 1910 / Inv. 320

Cabeça

Lagoa Henriques (1923-2009)

Cabeça, c. 1950-57 / Inv. 58E879

Cadeira Basculant modelo B301

Le Corbusier (1887-1965)

Cadeira Basculant modelo B301, 1928 / Inv. MO25

Figura de Franca Cristino da Silva

Leopoldo de Almeida (1898-1974)

Figura de Franca Cristino da Silva, c. 1925 / Inv. 82E495

Natureza-morta  -  Bristol Club

Lino António (1898-1974)

Natureza-morta - Bristol Club, 1926 / Inv. 83P70

s/título

Lino António (1898-1974)

s/título, 1923 / Inv. 82P607

Oriental Widow

Lorna Selim (1928-2021)

Oriental Widow, 1961 / Inv. PE305

Louis Lenhendrick (maître 1747)

Inv. 1088A/B

Louis Lenhendrick (maître 1747)

c. 1769-1770 / Inv. 1089A/B

Crescem à Sombra

Lourdes Castro (1930-2022)

Crescem à Sombra, 1991 / Inv. TP27

Ts'ing Ngai ou Les plaisirs contrariés. Conte chinois ancien adapté des Kin-kou-ki-kouan

Lucie Paul-Margueritte (1886-1956)

Ts'ing Ngai ou Les plaisirs contrariés. Conte chinois ancien adapté des Kin-kou-ki-kouan, Séc. XVII / Inv. LM360

Cadeira Barcelona modelo n.º MR90

Ludwig Mies van der Rohe (1886-1969)

Cadeira Barcelona modelo n.º MR90, 1929 / Inv. MO19

Óleo 105

Marcelino Vespeira (1925-2002)

Óleo 105, 1957 / Inv. 58P477

Janela

Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992)

Janela, Inv. TE4

Jardin

Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992)

Jardin, 1971 / Inv. GE371

L'Aqueduc (O Aqueduto)

Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992)

L'Aqueduc (O Aqueduto), 1955-57 / Inv. 86PE95

Cadeira modelo n.º 412

Mario Bellini (1935-)

Cadeira modelo n.º 412, 1976 / Inv. MO29

Paisagem

Mário de Oliveira (1916-)

Paisagem, 1958 / Inv. 58P1452

S/Título XXVI

Marta Soares (1973- )

S/Título XXVI, 2000 / Inv. 00P1047

Bowbend

Michael Bolus (1934-2013)

Bowbend, 1964 / Inv. EE25

Walnut Wood Column

Nicholas Pope (1949-)

Walnut Wood Column, 1974 / Inv. EE71

Bairro Proibido

Nuno de Siqueira (1929-2007)

Bairro Proibido, 1957 / Inv. 58P243

Le Prophète Saint Jean

Pablo Gargallo (1881-1934)

Le Prophète Saint Jean, 1933 / Inv. 80EE12

Large portraits # 4

Pedro Cabrita Reis (1956-)

Large portraits # 4, 2005 / Inv. 14DP4016

Chrysis ou La cérémonie matinale

Pierre Louÿs (1870-1925)

Chrysis ou La cérémonie matinale, Séc. XX / Inv. LM152

La femme et le pantin

Pierre Louÿs (1870-1925)

La femme et le pantin, 1898 / Inv. LM412

Peinture 89 x 130 cm, 23 janvier 1954

Pierre Soulages (1919)

Peinture 89 x 130 cm, 23 janvier 1954, 1954 / Inv. PE115

Cardos

René Lalique (1860-1945)

Cardos, c. 1898-1900 / Inv. 1152

Desenho para o pente "Hastes de cacto"

René Lalique (1860-1945)

Desenho para o pente "Hastes de cacto", Inv. 2719

Figura Feminina

René Lalique (1860-1945)

Figura Feminina, c. 1903-1905 / Inv. 1214

Gancho "Folhas de Outono"

René Lalique (1860-1945)

Gancho "Folhas de Outono", Inv. 2916

Gatos

René Lalique (1860-1945)

Gatos, c. 1906 - 1908 / Inv. 1255

Pendente "Cavalos, cavaleiro e figuras"

René Lalique (1860-1945)

Pendente "Cavalos, cavaleiro e figuras", c. 1895-1905 / Inv. 2718

Pendente "Rosto feminino"

René Lalique (1860-1945)

Pendente "Rosto feminino", Inv. 2693

Pente "Paisagem"

René Lalique (1860-1945)

Pente "Paisagem", Inv. 2694

René Lalique (1860-1945)

Rosto feminino, c. 1898 - 1900 / Inv. 1141

The Old Oil Field, Baku, Azerbaijan

Richard Pare (1948-)

The Old Oil Field, Baku, Azerbaijan, 1999 / Inv. FE93

Casas

Rui Filipe (1928-1997)

Casas, c.1957 / Inv. 58P1114

Rendez-vous

Saadi Al-Kabi (1937-)

Rendez-vous, 1961 / Inv. PE304

Coeur à Gaz

Sonia Delaunay (1885-1979)

Coeur à Gaz, 1977 / Inv. GE104

Le Coeur à Gaz

Sonia Delaunay (1885-1979)

Le Coeur à Gaz, 1923 / Inv. GE103

Pavan

Tim Scott (1937-)

Pavan, 1964-65 / Inv. EE22

Livro dos Insectos seleccionados

UTAMARO, Kitagawa

Livro dos Insectos seleccionados, Inv. 2390

Bellatrix

Victor Vasarely (1906-1997)

Bellatrix, 1970 / Inv. RE24

Cassiopee

Victor Vasarely (1906-1997)

Cassiopee, 1970 / Inv. RE22

Eridan

Victor Vasarely (1906-1997)

Eridan, 1970 / Inv. RE23

Song

Victor Vasarely (1906-1997)

Song, 1970 / Inv. RE21

Sem título

Zao Wou-Ki (1920-2013)

Sem título, 1984 / Inv. DE137


Eventos Paralelos

Visita(s) guiada(s)

À Conversa com os Curadores. Penelope Curtis, João Carvalho Dias e Patrícia Rosas

jun 2016
Fundação Calouste Gulbenkian / Edifício Sede
Lisboa, Portugal

Publicações


Material Gráfico


Fotografias

Penelope Curtis, Lúcia Matos e Raquel Henriques da Silva (da esq. para a dir.)
Ana Barata (à esq.) e Rita Albergaria (à dir.)
Artur Santos Silva (à esq.) e José Neves Adelino (ao centro)
Penelope Curtis (à esq.)

Multimédia


Documentação


Imprensa

Sol

Lisboa, 25 jun 2016


Fontes Arquivísticas

Arquivos Gulbenkian (Museu Calouste Gulbenkian), Lisboa / MCG 04397

Pasta com texto sobre a exposição.

Arquivo Digital Gulbenkian, Lisboa / ID: 3024

Coleção fotográfica, cor: aspetos (FCG, Lisboa) 2016

Arquivo Digital Gulbenkian, Lisboa / ID: 2515

Coleção fotográfica, cor: aspetos (FCG, Lisboa) 2016

Arquivo Digital Gulbenkian, Lisboa / ID: 2514

Coleção fotográfica, cor: montagem (FCG, Lisboa) 2016


Exposições Relacionadas

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.