• 1990
  • Papel
  • Tinta-da-china, Tinta estilográfica e Serigrafia
  • Inv. 91DP1538

Rui Sanches

A Marat

Tal como na escultura que criou nos anos 80, também o desenho coevo de Rui Sanches se erigiu em torno da desconstrução de pinturas neoclássicas. É o caso deste trabalho. O referente pictórico é evidente e claramente legível no recurso à citação da tela “A morte de Marat” (também conhecido como “à Marat”, pela inscrição que o artista deixou), do pintor neo-clássico francês Jacques-Louis David.

 

Partindo desse pretexto, inscrevendo-se assim na tradição, o desenho é depois trabalhado como uma superfície que, intervencionada, restitui ao nosso olhar a noção de uma estratificação e de uma herança apropriada e personalizada.

 

Como tantas vezes acontece no desenho deste autor, a intervenção da linha (e da mancha) dá-nos a dimensão dos planos compositivos. Mesmo a fechar a década, A Marat ainda nos deixa espreitar o referente, antes mesmo de este desaparecer e de o trabalho de Sanches se desenvolver em torno de uma linguagem mais orgânica.

 

 

EF

 

 

TipoValorUnidadesParte
Altura70,2cm
Largura49,8cm
Tipo assinatura e data
TextoR.S. 90
PosiçãoCanto inferior direito
Tipo assinatura, data e título
TextoRui Sanches 1 1990 A Marat
PosiçãoVerso: canto inferior direito
TipoAquisição
DataDezembro de 1991
Desenhos e esculturas do CAMJAP
Câmara Municipal de Porto de Mós
 
8 de Julho a 28 de Julho de 2005
Castelo de Porto de Mós
 

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.