Crepúsculos: Leitura coletiva de poesia

Crepúsculo Opúsculo

Slider de Eventos

Junte-se a nós para uma sessão de leitura coletiva de poesia ao ar-livre, com os artistas e poetas Gisela Casimiro, Ellen Lima, André Romão e André Tecedeiro.

A seleção de textos espelha o papel que a poesia tem tido na exploração das variações linguísticas e contextuais da língua portuguesa, bem como na abordagem de questões de identidade e expressões de afetos.

Os textos dialogam com as temáticas de Vampires in Space, o projeto de Pedro Neves Marques para a Representação Oficial Portuguesa da 59.ª Exposição Internacional de Arte – La Biennale di Venezia – muitos deles traduzidos pela primeira vez para português.

A cafetaria do Museu Gulbenkian ficará aberta até às 21h, para acompanhar todos os eventos do programa público Crepúsculos.


 

Língua Gestual Portuguesa
Sandra Faria e Teresa Figueiredo


BIOGRAFIAS

Gisela Casimiro é uma escritora, artista e activista portuguesa. Nos últimos anos assinou textos no Hoje Macau, Buala, Contemporânea, Revista Pessoa, Setenta e Quatro e em várias antologias. Colabora regularmente com festivais literários, de cinema e música, museus e teatros enquanto autora, intérprete e consultora. Erosão é o seu primeiro livro de poesia, publicado pela Editora Urutau (São Paulo / Pontevedra) em 2018. (Foto: Enric Vives-Rubio)

Ellen Lima é poeta, pesquisadora, escritora e doutoranda em Modernidades Comparadas: Literaturas, Artes e Culturas na Universidade do Minho, em Portugal. É indígena de origem Wassu Cocal (AL) e publicou em 2021 pela editora Urutau o seu primeiro livro de poesias Ixé ygara voltando pra ’y’kûá, em língua portuguesa e tupi antigo. Integra, entre outras coletâneas, a obra Volta pra tua terra, uma antologia de poetas antifascistas e antirracistas em Portugal (Urutau, 2021). (Foto: Cortesia da artista)

André Romão é um artista com uma prática transdisciplinar cuja pesquisa aborda o confronto de micro e macro-estruturas na sociedade contemporânea através de olhares para os campos da economia, erotismo, violência e apropriação. A sua obra combina a literatura, a poesia, a filosofia e a história, trabalhando com variados suportes, entre eles desenho, fotografia, vídeo e instalação.(Foto: Danilo Donzelli)

Artista e poeta, André Tecedeiro publicou os livros Rebento-Ladrão (Tea for One, 2014), Deitar a Trazer (Douda Correria, 2016), O Número de Strahler (Do Lado Esquerdo, 2018), A Arte da Fuga (Do Lado Esquerdo, 2019) e A Axila de Egon Schiele (Porto Editora, 2020). Integra, também, as antologias Mixtape II (Do Lado Esquerdo, 2018) e Casa (Do Lado Esquerdo, 2016), e tem colaborado com diversas revistas literárias. Em 2019, a sua poesia foi tema de uma sessão do Clube dos Poetas Vivos, no Teatro Nacional D. Maria II (Lisboa), e de uma leitura encenada do ciclo Da Voz Humana, na Livraria Ferin (Lisboa). Os seus poemas também têm estado presentes em diversos programas de rádio e podcasts.(Foto: Filipe Ferreira)

 

Crespúsculos

Programa público no âmbito de Vampires in Space, o projeto de Pedro Neves Marques para a a Representação Oficial da 59.ª Exposição Internacional de Arte – La Biennale di Venezia. Conheça as atividades gratuitas do Centro de Arte Moderna para dia 5 de junho.

Saber mais

A Fundação Calouste Gulbenkian reserva-se o direito de recolher e conservar registos de imagens, sons e voz para a difusão e preservação da memória da sua atividade cultural e artística. Caso pretenda obter algum esclarecimento, poderá contactar-nos através de [email protected] .


Organização e comissariado

Mecenas Principal

Apoio

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.