Banda Desenhada Portuguesa, 1914 – 1945

Exposição dedicada à história da banda desenhada portuguesa na primeira metade do século XX. Apresentando obras de 76 autores, reforçou a importância da chamada «nona arte» para as linguagens da arte moderna, analisando o lugar da cena portuguesa no contexto europeu do cartoonismo e da ilustração.
Exhibition dedicated to the history of Portuguese comic art in the first half of the 20th century. With works by 76 authors, the show served to highlight the significance of the so-called “ninth art” in modern art styles, analysing the position of the Portuguese art scene in the wider context of European cartoons and illustration.

A 10 de abril de 1997, a Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) inaugurou na sua Galeria de Exposições Temporárias da Sede (piso 01) uma mostra dedicada à banda desenhada portuguesa – período 1914-1945. Patente até 15 de junho desse ano, a exposição dava corpo a um trabalho de investigação levado a cabo por João Paiva Boléo e Carlos Bandeiras Pinheiro, dois colecionadores, entusiastas e estudiosos da BD que assumiram o comissariado deste projeto expositivo. Eles próprios foram dois dos mais substanciais emprestadores entre as muitas entidades que, em nome individual e institucional, cederam as peças que integraram a iniciativa.

A organização do evento coube ao Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão da FCG, que se aliou ao esforço destes dois autores para revalorizar, uma vez mais, o papel fundamental que a ilustração, o cartoon, o desenho humorístico e o design editorial tiveram para as linguagens da arte moderna da primeira metade do século XX. A banda desenhada foi nascendo paralelamente a essas outras expressões que versavam na imprensa e nos periódicos, fazendo ecoar, a partir das artes gráficas em geral, o cosmopolitismo que o século XX ia preconizando.

Ao longo dos trinta anos cobertos pela mostra e apesar de nem sempre ter estado entre os países de cultura mais cosmopolita, Portugal revelou-se sempre um contexto fértil para este território artístico. Foram muitas as publicações que exararam, por vezes em primeira mão, as novas estratégias da BD e o imenso manancial comunicativo que ela foi desenvolvendo.

«A Banda Desenhada Portuguesa, 1914-1945» deu nota desse revelante campo de novidade que foi cultivado em Portugal, e que merece ser compreendido como pertinente à escala europeia. Reuniu obras de 76 autores que protagonizaram o nascimento e a consolidação da BD portuguesa, dos mais referidos e conhecidos, aos mais omissos e surpreendentes.

A FCG editou um catálogo por ocasião da mostra, que, com vários textos dos comissários e profusamente ilustrado, introduz de modo muito compreensivo os cinco núcleos que organizavam a exposição. A publicação termina com um útil glossário biográfico dos artistas representados (A Banda Desenhada Portuguesa, 1914-1945, 1997).

Um extenso artigo sobre a exposição, escrito por Vítor Quelhas, seria publicado na Revista do semanário Expresso, edição de 19 de abril de 1997.

Daniel Peres, 2019


Ficha Técnica


Artistas / Participantes


Eventos Paralelos

Visita(s) guiada(s)

[Banda Desenhada Portuguesa, 1914 – 1945]

10 mai 1997 – 26 mai 1997
Fundação Calouste Gulbenkian / Edifício Sede – Galeria de Exposições Temporárias (piso 0)
Lisboa, Portugal

Publicações


Fotografias


Multimédia


Periódicos


Páginas Web


Fontes Arquivísticas

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Comunicação), Lisboa / COM-S001-D02861

Coleção fotográfica, cor: inauguração (FCG, Lisboa) 1997


Exposições Relacionadas

Hergé

Hergé

2021 – 2022 / Sede Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Definição de Cookies

Definição de Cookies

Este website usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. Podendo também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.