A Situação da Arte na Sociedade Contemporânea

Simpósio Internacional «A Situação da Arte na Sociedade Contemporânea»

Exposição documental sobre a atividade do Serviço de Belas-Artes da Fundação Calouste Gulbenkian, integrada na programação do simpósio internacional intitulado «A Situação da Arte na Sociedade Contemporânea», organizado pela Fundação Calouste Gulbenkian, com o alto patrocínio da UNESCO e o apoio da Associação Internacional de Críticos de Arte.
Documentary exhibition on the work of the Calouste Gulbenkian Foundation's Fine Arts Department, part of the international symposium The State of Art in Contemporary Society organised by the Calouste Gulbenkian foundation under the high patronage of UNESCO and with support from the International Association of Art Critics.

Exposição documental sobre a atividade do Serviço de Belas-Artes da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG), integrada na programação do simpósio internacional intitulado «A Situação da Arte na Sociedade Contemporânea», organizado pela Fundação Calouste Gulbenkian, com o alto patrocínio da UNESCO e o apoio da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA).

A proposta partiu do diretor do Serviço de Belas-Artes, Artur Nobre de Gusmão, ainda no ano de 1981, acabando o encontro internacional por se concretizar no final de 1983. Nesta proposta, o diretor afirmava a «utilidade de uma reflexão sobre a situação da arte na sociedade contemporânea» que permitisse analisar «o caminho percorrido, a experiência feita e os novos rumos a ensaiar» (Apontamento do Serviço de Belas-Artes, 17 mar. 1981, Arquivos Gulbenkian, SBA 15349). A partir do deferimento desta proposta por parte do Conselho de Administração da FCG, foram iniciados os contactos com a UNESCO, que se responsabilizou pela seleção dos especialistas indicados para o evento, sendo a representação nacional selecionada pela FCG.

O diretor-geral da UNESCO, Amadou-Mahtar M'Bow, anuiu à proposta de colaboração na organização e patrocínio do evento, confirmando que os temas do encontro convergiam com as preocupações da UNESCO no âmbito das artes plásticas:

«[…] j’espère que cette rencontre contribuera à expliciter les difficultés que rencontre la création artistique de notre temps, au niveau tant individuel que social, ainsi que l’aide que les moyens actuels de communication peuvent apporter à une meilleure connaissance des œuvres d’art de toutes le civilisations.» (Carta de Amadou-Mahtar M'Bow para José de Azeredo Perdigão, 11 jun. 1983, Arquivos Gulbenkian, SBA 15350)

O encontro internacional tinha como objetivo debater a situação da arte nos países desenvolvidos, por confronto com os países em desenvolvimento, contando para tal com a participação de 23 especialistas internacionais. A participação portuguesa seria assumida pelo ensaísta Eduardo Lourenço e pelo então presidente da secção portuguesa da AICA, Fernando Pernes, a que se somaram as comunicações dos responsáveis do Serviço de Belas-Artes da FCG, Artur Nobre de Gusmão e Fernando de Azevedo, promotores da iniciativa (Acta n.º 17/83, 22 mar. 1983, Arquivos Gulbenkian, SBA 15349).

Depois de autorização superior para a realização do simpósio, Artur Nobre de Gusmão propôs ao presidente da Fundação, José de Azeredo Perdigão, que se realizasse «uma pequena exposição de carácter documental» na Zona de Congressos da Sede da FCG, por forma a revelar a um público especializado informações precisas sobre a história do Serviço de Belas-Artes da FCG, «dos seus grandes objectivos e das suas opções fundamentais» no apoio às artes plásticas do país ao longo dos seus vinte e dois anos de atividade.

Artur Nobre de Gusmão justificava a pertinência da sua proposta nos seguintes termos:

«[…] seria da maior importância que se pudessem, em tal oportunidade, cotejar os resultados da nossa experiência acumulada neste campo restrito, mas de contextura tão diversificada, com o que se passa hoje em países de perfis muito distintos […]. Para melhor aproveitamento próprio desta iniciativa será de grande utilidade que, longe embora de qualquer “auto-crítica” mas com mero espírito informativo, honesto e simples, possamos facultar aos especialistas que nos vão visitar um conhecimento essencial do que é a “praxis” do Serviço de Belas-Artes, na sua dinâmica de transformação e realização ao longo da sua existência de mais de duas décadas.» (Apontamento do Serviço de Belas-Artes, 12 out. 1983, Arquivos Gulbenkian, SBA 15349)

Este encontro reuniu grandes personalidades internacionais da história da arte e da crítica de arte. A ordem dos trabalhos organizou-se em torno de três temas levados a debate, projetados pelo secretário-geral da AICA, Raoul-Jean Moulin, pela responsável da Secção da Criação Artística da UNESCO, Madeleine Gobeil, e pelo presidente da AICA, Dan Haulica.

O repto e a moderação das sessões foram assumidos por Pierre Restany, então vice-presidente da AICA Internacional, por René Berger, presidente honorário da AICA, e por José-Augusto França, crítico de arte e então presidente do Centre Culturel Portugais em Paris, com mais duas participações internacionais em cada um dos três painéis. Os temas trazidos a debate por cada um destes representantes foram, respetivamente, os seguintes: «Funções e destino da arte, hoje»; «A obra de arte dentro e fora do museu»; «Circulação das obras: hegemonia e marginalização».

As conclusões sobre o encontro ficaram a cargo do sociólogo da arte brasileiro Reginaldo Di Piero, que trabalhava à data com a especialista em mercados da arte Raymonde Moulin. Num texto de imprensa, Eduardo Pardo Coelho faria a síntese destas comunicações, não deixando de notar que o debate se circunscreveu ao âmbito restrito dos especialistas (Coelho, JL. Jornal de Letras, Artes e Ideias, 13 dez. 1983). Às sessões do encontro internacional, e na qualidade de observadores, assistiram alguns convidados nacionais, individualidades ligadas às direções das principais instituições artísticas, culturais e do ensino no país, assim como alguns galeristas.

Tratando-se de uma exposição documental e, por conseguinte, de caráter amplamente informativo, na medida em que se encontrava integrada na organização do simpósio internacional, prescindiu-se da publicação de qualquer catálogo ou folheto da exposição.

A mostra traduziu-se na apresentação de vários painéis informativos, contendo informação textual e documentação gráfica sobre a atividade do Serviço de Belas-Artes ao longo dos seus vinte e dois anos de atividade. Destes, destacavam-se algumas áreas de atuação no domínio da produção de exposições de arte portuguesa de circulação internacional, da organização de exposições de representação internacional exibidas pela FCG, de ciclos de cinema, e de outras iniciativas relacionadas com a divulgação das artes.

Filipa Coimbra, 2017


Ficha Técnica


Eventos Paralelos

Programa cultural

A Situação da Arte na Sociedade Contemporânea

5 dez 1983 – 9 dez 1983
Fundação Calouste Gulbenkian / Edifício Sede – Zona de Congressos
Lisboa, Portugal
5 dez 1983 – 9 dez 1983
Fundação Calouste Gulbenkian / Edifício Sede – Auditório 3
Lisboa, Portugal

Publicações


Fotografias


Documentação


Imprensa


Fontes Arquivísticas

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA 15349

Pasta com documentação referente à produção do simpósio e da exposição. Contém orçamentos, ofícios internos, correspondência recebida e expedida. 1981 – 1993

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA 15350

Pasta com documentação referente à produção do simpósio e da exposição. Contém programa, boletim de inscrição, correspondência com a UNESCO. 1983

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA 15351

Pasta com documentação referente à produção do simpósio. Contém programa, textos dos participantes, recortes de imprensa, minutas. 1982 – 1983

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA 15352

Pasta com documentação referente à produção do simpósio. Contém as atas das comunicações, que se destinavam a ser posteriormente publicadas pela FCG. 1983 – 1983

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA 25055

Pasta com documentação referente à produção do simpósio. Contém programas. 1983 – 1983

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA 25662

Pasta com documentação referente à produção do simpósio. Contém boletim de participação. 1983 – 1983

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA-S012/06-P0001-D01963

11 provas, p.b.: aspetos e colóquio (FCG, Lisboa) 1983

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA-S012/06-P0001-D01964

13 provas, p.b.: aspetos (FCG, Lisboa) 1983

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA-S012/06-P0001-D01290

14 provas, p.b.: aspetos (FCG, Lisboa) 1983

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Comunicação), Lisboa / COM-S001/002/02-D00375

10 provas, p.b.: abertura do Simpósio (FCG, Lisboa) 1983


Exposições Relacionadas

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.