Sérgio Pinhão

Ciclo «Exposição Nacional de Gravura»

Exposição individual da obra gravada de Sérgio Pinhão (1949), integrada na II Exposição Nacional de Gravura. A mostra contou com 18 serigrafias realizadas entre 1971 e 1978, as quais permitiam estabelecer um diálogo entre os trabalhos mais antigos e os mais recentes, expostos na exposição-concurso.
Solo exhibition of Sérgio Pinhão (1949) featuring 18 of the artist's screen prints produced between 1971 and 1978. The show, part of the Second National Printmaking Exhibition and held in the Temporary Exhibitions Gallery of the Calouste Gulbenkian Foundation, was open at the same time as the Gil Teixeira Lopes (1936) exhibition.

 

Mostra individual da obra gravada de Sérgio Pinhão (1949), integrada na II Exposição Nacional de Gravura, em virtude do prémio de exposição alcançado na primeira edição do evento em 1976. Nesta exposição, o artista viria novamente a ser premiado pelo júri.

Apesar de se tratar de uma exposição individual, o certame foi apresentado na Galeria de Exposições Temporárias da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG), onde, numa ala paralela, era apresentada a obra gravada de Gil Teixeira Lopes (1936), o outro artista premiado em 1976.

Estas iniciativas foram promovidas pela Gravura, Sociedade Cooperativa de Gravadores Portugueses, contando para tal com a colaboração da Secretaria de Estado da Cultura e da Fundação Calouste Gulbenkian, que, desde 1976, por ocasião das comemorações do 20.º Aniversário da Cooperativa de Gravadores Portugueses, começara a intensificar a dinamização de eventos e exposições dedicados a esta técnica artística. A consulta dos ofícios internos dos Arquivos Gulbenkian refere o interesse da FCG em participar na organização de um evento de maior repercussão internacional, tendo sido discutida a intenção de se formar uma parceria com vista a criar uma Bienal Internacional de Gravura. Porém, a iniciativa foi sendo sucessivamente adiada.

Nesta exposição estiveram expostas 18 serigrafias de Sérgio Pinhão, realizadas entre 1971 e 1978. Num tom elogioso, o pintor Fernando de Azevedo referir-se-ia à «coerência de percurso, exigência formal e técnica e uma sensível sublimação luminosa» na obra de Sérgio Pinhão (Azevedo, Colóquio/Artes, mar. 1980, p. 68).

A mostra individual permitia um confronto e um diálogo entre estes trabalhos realizados anteriormente e os novos trabalhos expostos na coletiva exposição-concurso (II Exposição Nacional de Gravura). Neste sentido, Fernando de Azevedo aludiria à evolução na obra de Sérgio Pinhão, cujo prémio se terá ficado a dever «à excepcional coerência da sua pesquisa, que, entre uma e outra das exposições, se enriqueceu ainda mais, de certo modo se clarificou na procura da complexidade cromática e ganhou uma ambiguidade maior e mais lúcida entre o teor iluminístico dos círculos e a fronteira cinética» (Ibid.).

No catálogo da exposição, o mesmo Fernando de Azevedo sintetizaria a obra de Sérgio Pinhão do seguinte modo: «O que surpreende de imediato nas serigrafias de Sérgio Pinhão é a sua dupla proposta de legibilidade: ou seja, ao mesmo tempo o desafio à nossa participação na armadilha do jogo óptico e o envolvimento tanto cósmico, como também intimista, que em nós provoca a sensação luminosa da imagem.» (Sérgio Pinhão, 1979)

A pedido da Direção Regional dos Assuntos Culturais da Região Autónoma da Madeira, a exposição foi posteriormente apresentada no Funchal, no Teatro Municipal.

Filipa Coimbra, 2017


Ficha Técnica


Artistas / Participantes


Coleção Gulbenkian

Archernar

Sérgio Pinhão (1949)

Archernar, 1976 / Inv. GP966

Borealis I

Sérgio Pinhão (1949)

Borealis I, 1976 / Inv. GP958

Cepheus

Sérgio Pinhão (1949)

Cepheus, 1978 / Inv. GP957

Orion

Sérgio Pinhão (1949)

Orion, 1975 / Inv. GP964

Rotação

Sérgio Pinhão (1949)

Rotação, Inv. GP970


Publicações


Material Gráfico


Fotografias


Documentação


Imprensa


Fontes Arquivísticas

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Exposições e Museografia), Lisboa / SEM 00158

Pasta com documentação referente à produção da exposição. Contém convite, correspondência recebida e expedida, ofícios internos, orçamentos e recortes de imprensa. 1979 – 1980

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA 02301

Pasta com documentação referente à produção da exposição. Contém correspondência recebida e expedida, orçamentos e regulamento. 1978 – 1979

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Exposições e Museografia), Lisboa / SEM-S007-P0049-D00158

3 provas, cor: aspetos (FCG, Lisboa) 1979

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Exposições e Museografia), Lisboa / SEM-S007-P0049-D00159

29 provas, p.b.: aspetos (FCG, Lisboa) 1979


Exposições Relacionadas

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.