Estudo para o Pátio do Museu

Podem ser definidos, ao longo de todo o processo de desenvolvimento do desenho do jardim da Fundação Calouste Gulbenkian, até 1969, dois momentos no que se refere ao desenho dos pátios do Museu: um que se desenvolve em 1963 e um outro em 1966.

Mais tarde em 1976 ocorre um projeto de recuperação dos pátios do Museu e do pátio dos Congressos.

Este esboço pertence ao conjunto de estudos preliminares para os Pátios do Museu desenvolvidos em 1963 [i] pelos Arquitetos Paisagistas Gonçalo Ribeiro Telles e António Facco Viana Barreto.

Este desenho, muito expressivo, através de uma planta, de uma perspetiva e de um corte possibilita a compreensão da espacialidade.

Num espaço de pequenas dimensões a partir do desenho com a vegetação e de uma subtil modelação de terreno propõe-se um espaço aberto central delimitado por um espelho de água e por diferentes manchas de vegetação que para além da variação volumétrica que determinam proporcionam uma variação cromática.

O espelho de água nunca foi construído.

[i] Estudo para o Pátio do Museu

Estudo dos Pátios

Estudo para um segundo Pátio dos Museu

Esquisso do Pátios do Museu

Estudo dos Pátios do Museu

  • Data de produção: 1963
  • Projetistas (autores principais): TELLES, Gonçalo Pereira Ribeiro
  • Fase do projeto: Do projeto de execução à obra (1963-1969)
  • Identificador: PT FCG FCG:SCT-S006-DES03556

Para consultar a versão original deste documento deverá contactar os Arquivos Gulbenkian através do endereço eletrónico [email protected] e referenciar o identificador