O Gosto pela Arte Islâmica. 1869-1939

Publicado por ocasião da exposição O Gosto pela Arte Islâmica. 1869-1939, este catálogo contou com o contributo de vários especialistas internacionais.

A introdução redigida por Penelope Curtis, diretora do Museu Calouste Gulbenkian, descreve as motivações e os objetivos da exposição, cuja narrativa se relaciona diretamente com a biografia e com os hábitos de colecionismo do fundador.

Ao texto introdutório segue-se um ensaio da autoria de Jessica Hallett, curadora da exposição, que analisa o tempo de Calouste Gulbenkian, altura em que se desenvolveu um particular apreço por obras oriundas do Médio Oriente e em que surgiu a designação de «arte islâmica». As aquisições do colecionador relacionam-se diretamente com a história e a geopolítica da sua época e são influenciadas por diferentes acontecimentos que marcaram a primeira metade do século XX, como a diáspora arménia, a exploração petrolífera, as duas guerras mundiais, entre outros.

Posteriormente, Mustafa Aksakal e Nebahat Avcioglu escrevem sobre o Império Otomano, no seio do qual Calouste Gulbenkian nasceu. Este império duradouro sofreu grandes alterações ao longo dos tempos, acabando por ser dissolvido após o final da Primeira Guerra Mundial. Segue-se um texto de Eva-Maria Troelenberg, que analisa as coleções de arte islâmica e de que forma são construídas, fazendo um paralelo com a Coleção Gulbenkian e com as estratégias de aquisição dos principais museus internacionais e respetivas exposições.

Os negociantes arménios foram elementos-chave no crescimento do mercado da arte no século XX e Jessica Hallett e Maïda Chavak dedicam-lhes um ensaio, descrevendo a sua condição de diáspora, os países onde se instalaram e abriram as suas lojas, continuando a contactar Gulbenkian para o informar das novidades.

A secção dos ensaios encerra com um texto de Avinoam Shalem sobre o panorama turbulento de Baku na viragem do século, com especial destaque para a exploração petrolífera, de que Gulbenkian fez parte, juntamente com outros grandes colecionadores, como Rockefeller e Getty. Todos os ensaios são acompanhados por representações de algumas obras expostas e por imagens comparativas.

A publicação continua com uma lista das obras expostas, que inclui textos explicativos escritos pelos vários conservadores do Museu Calouste Gulbenkian e por alguns especialistas convidados. Profusamente ilustrada, esta secção do catálogo mostra, de forma dinâmica, a diversidade de obras incluídas nesta exposição, provenientes da Coleção Gulbenkian e de outras importantes instituições nacionais – como o MNAA e o Paço dos Duques de Guimarães – e internacionais, como o British Museum, o Metropolitan Museum of Art, o Victoria and Albert Museum, o Harris Museum and Art Gallery, a Khalili Collection, a David Collection, o Benaki Museum, a Belvedere, o MAK e a De Morgan Foundation.


Ficha técnica

Textos:
Arthur Bijl, Avinoam Shalem, Clara Serra, Elaine Wright, Eva-Maria Troelenberg, Jessica Hallett, João Carvalho Dias, Jorge Rodrigues, Kjeld Folsach, Luísa Sampaio, Maïda Chavak, Mustafa Aksakal, Nebahat Avcioglu, Nuno Vassallo e Silva, Penelope Curtis e Sheila Canby
Coordenação editorial:
Museu Calouste Gulbenkian
Editado:
2019
Páginas:
174
Língua:
Português
Capa:
Brochado
ISBN:
978-989-8758-62-0
Preço:
30 €
Stock:
available
Atualização em 29 Julho 2019