Coleção do Fundador

Conheça melhor algumas das obras-primas da coleção de Calouste Gulbenkian, incluindo artistas de renome como Rembrandt, Rodin e René Lalique.

 

Diana
Esta escultura de Diana é considerada a obra-prima de Houdon, o mais célebre escultor francês do século XVIII, e um dos ex-libris do Museu.
Painel Iznik
Este painel de azulejos data de cerca de 1545 e foi produzido em Iznik, o principal centro de manufatura de cerâmicas do Império Otomano.
Rembrandt
Esta obra de Rembrandt, considerado o melhor pintor do século XVII na Holanda e um dos maiores de sempre, pertenceu a Catarina II da Rússia.
Inro
A Coleção do Fundador reúne um considerável conjunto de inros, pequenas caixas com várias divisões que começaram a ser usadas no século XVI.
René Lalique
Calouste Gulbenkian foi um dos primeiros clientes de Lalique, que se tornou seu amigo, tendo adquirido as suas obras diretamente ao artista.
Baixo-relevo
Este génio alado, gravado há perto de 3000 anos, é um semi-deus destinado a abençoar o rei Assurnasirpal II e a proteger o palácio real em Nimrud.
Renoir
Esta obra, de Pierre-Auguste Renoir, é das mais notáveis da Coleção Gulbenkian, e retrata Camille Doncieux, mulher do pintor Claude Monet.
Medalheiro
Este medalheiro foi executado por Charles Cressent, famoso mestre ebanista e escultor, que o considerava uma das suas obras mais notáveis.
Manet
Édouard Manet pintou este retrato em 1867, representando o seu enteado Léon Koelin Leenhoff a soprar bolas de sabão.
Fragonard
Jean-Honoré Fragonard é considerado um dos pintores mais notáveis e prestigiados da Europa da segunda metade do século XVIII.
Tríptico de marfim
Este magnífico tríptico de marfim testemunha o crescente culto da Virgem Maria ao longo do século XIV.
Mihrab
Este nicho de oração com mais de 700 anos fazia parte de um edifício religioso em Caxã, na Pérsia, um importante centro de produção de cerâmica.
Livro do Apocalipse
Este livro foi escrito e ilustrado em Inglaterra no final do século XIII, período em que os textos do novo testamento ali se popularizaram.
Rodin
Em 1920 Gulbenkian adquiriu esta obra executada por Auguste Rodin, um dos maiores escultores do seu tempo.
Par de mostardeiras
Este par de mostardeiras foi executado pelo mestre ourives Antoine Sébastien Durant e destinou-se à célebre Madame de Pompadour.
Tapeçaria «A pesca»
Esta peça é uma das quatro tapeçarias da Coleção pertencente à armação «Jogo de Crianças», fabricada numa oficina em Mântua.
Jarro Iznik
A coleção Gulbenkian de peças Iznik é uma das mais famosas do mundo e uma das mais importantes fora da Turquia.
Rubens
Esta pintura inacabada retrata a fuga para o Egipto, uma dos episódios mais representados do Novo Testamento.
Primavera
Calouste Gulbenkian adquiriu esta escultura para decorar os jardins da sua casa de campo na Normandia.
Turner
Esta é uma das muitas tragédias marítimas que William Turner retratou ao longo da sua carreira.
Monet
Nesta tela, parte de uma série de cerca de vinte, Claude Monet representa o rigoroso inverno de 1879 em Vétheuil.
Houdon
Jean-Antoine Houdon executou esta escultura em 1790, um ano depois da eclosão da Revolução francesa, representando Apolo, Deus do Sol.
Pierre Louÿs
Este livro, escrito pelo simbolista francês Pierre Louÿs e ilustrado por Serge Beaune, foi adquirido por Calouste Gulbenkian em Paris.
Têxtil Mogol
Os motivos florais repetem-se ao longo deste panejamento, magnífico exemplar do Império Mogol, conferindo-lhe ritmo e dinamismo.
John Singer Sargent
O americano John Singer Sargent pintou este quadro em Inglaterra, em 1887, retratando provavelmente Helen Harrison e o seu filho Cecil.
Biombo Dunand
Dunand desenvolveu o seu talento em vários campos das artes, tendo descoberto a laca em 1912, o que viria a transformar o seu modo de trabalhar.
Hokusai
Esta estampa é da autoria de Hokusai, o mais extraordinário pintor e desenhador japonês da sua geração.
Baixo-relevo Méritités
Esta obra foi adquirida por Calouste Gulbenkian através do seu consultor para as obras egípcias, o arqueólogo Howard Carter, em 1922.
Francesco Guardi
As «vedute» floresceram em Veneza pelo pincel dos grandes mestres da pintura Italiana setecentista, como Francesco Guardi.
Baixela Orlof
Este serviço foi oferecido por Catarina II da Rússia a um dos seus apoiantes e amigos prediletos, o conde de Orloff.
Ville d’Avray
Gulbenkian, grande admirador das paisagens francesas, adquiriu 7 óleos de Corot, que se celebrizou como precursor do impressionismo.