Portuguese Painting from the Last 3 Decades

Exposição coletiva representativa da pintura portuguesa contemporânea entre os anos de 1960 e 1980, a partir das obras do acervo do Centro de Arte Moderna. A mostra foi apresentada na Pinacoteca Museum Athens, por ocasião da visita do presidente da República Mário Soares à Grécia.
Group exhibition representative of contemporary Portuguese painting between 1960 and 1980, selected from the Modern Art Centre's collection. The show was held at the Pinacoteca Museum Athens during the state visit of the Portuguese President, Mário Soares, to Greece.

Exposição coletiva que procurava dar uma amostragem representativa e compreensiva da pintura portuguesa contemporânea entre os anos de 1960 e 1980, a partir das obras do acervo do Centro de Arte Moderna (CAM). A mostra foi apresentada na Pinacoteca Museum Athens, na Grécia, por ocasião da visita do presidente da República Mário Soares àquele país.

Apesar de se restringir à coleção de arte moderna e contemporânea que, desde 1957, a Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) começara a reunir, o texto de introdução do catálogo justificava a importância desta coleção no panorama artístico e museológico nacional.

O comissário da exposição e diretor do CAM, José Sommer Ribeiro, chamava a atenção para o facto de, até à data, não ter havido uma revisão crítica e historiográfica do período que a exposição procurava abordar, razão pela qual a seleção podia correr o risco de evidenciar uma visão excessivamente pessoal (Portuguese Painting from the Last 3 Decades, 1988).

Contextualizando o início da ação da Fundação, numa época marcada pelo regime ditatorial, Sommer Ribeiro realçava o papel que desde cedo a FCG cumprira no apoio aos artistas portugueses, e a forma como, gradualmente, foi contribuindo para as mudanças operadas na vida artística e cultural portuguesa. Além da sua política de incentivo à especialização artística, por via da atribuição de bolsas no país e, sobretudo, no estrangeiro (Paris e Londres principalmente), a FCG promoveu, nos finais da década de 1950 e início da década seguinte, importantes exposições-diagnóstico das artes em Portugal (cf. I Exposição de Artes Plásticas, 1957; II Exposição de Artes Plásticas, 1961).

Destes novos contextos artísticos internacionais emergiam jovens artistas com propostas mais atualizadas e despertas para as problemáticas da arte contemporânea ocidental. Foi dentro desta dinâmica que se constituiu em Paris o grupo KWY, cujos membros acabariam por marcar decisivamente a arte portuguesa das décadas seguintes. Simultaneamente, durante a década de 1960 surgiam em Portugal percursos individuais inovadores, que exploravam as novas problemáticas da pintura.

Com a Revolução de 25 de Abril de 1974 e a passagem para o regime democrático, emergiria uma nova atitude artística, mais experimental, que explorava os caminhos da arte conceptual e da interdisciplinaridade, de que resultaria a exposição coletiva «Alternativa Zero».

A abertura em 1983 do Centro de Arte Moderna e da sua Coleção e a atividade expositiva que este gerava contribuíram para dinamizar, e normalizar, a atividade e a divulgação artísticas, e o seu impacto repercutiu-se no panorama museológico português. O núcleo de pintura portuguesa contemporânea da Coleção oferecia uma imagem representativa das práticas artísticas dos trinta anos anteriores: os anos de 1960 eram apresentados com a «nova figuração» de Joaquim Rodrigo (1912-1997), com as «reminiscências da Escola de Paris» de Menez (1926-1995), ou com os perfis de figuras humanas da pintura de Lourdes Castro (1930); os anos de 1970 eram representados pelo «humor e intensidade da cor» da pintura de José de Guimarães (1939), ou pela simplificação das formas e das cores nas pinturas de Júlio Pomar (1926-2018).

Os anos de 1980 foram porventura a década que mereceu maior destaque na exposição, a avaliar pelo número de pintores e de obras deste período, abrangendo percursos muito distintos e uma grande diversidade geracional, desde logo com o regresso à pintura de António Dacosta (1914-1990), com a problemática do corpo, da obra e da interdisciplinaridade artística na obra de Helena Almeida (1934-2018), ou com o antropomorfismo da pintura de Paula Rego (1935), apenas para nomear alguns exemplos das propostas apresentadas.

O catálogo da exposição, em edição bilingue (inglês-português), contém a já referida introdução e o enquadramento histórico do período em revista, da autoria do comissário da exposição, bem como a biografia dos artistas apresentados e algumas reproduções a cores das obras mostradas.

Filipa Coimbra, 2018

Collective exhibition that sought to provide a comprehensive, representative sample of contemporary Portuguese painting between 1960 and 1980 based on works from the collection of the Modern Art Centre (CAM), now known as the Calouste Gulbenkian Museum's Modern Collection. The exhibition was held at the Pinacoteca Museum Athens at the time of a state visit to Greece by the President of the Portuguese Republic, Mário Soares (1924-2017).
Although the sample focused only on the modern and contemporary art collection that began to be gathered by the Calouste Gulbenkian Foundation (FCG) in 1957, the exhibition introduction explained the importance of this collection in the Portuguese art and museum world.
The exhibition curator and CAM director José Sommer Ribeiro (1924-2006) highlighted the fact that there had been know critical and historiographic review of the period covered by the exhibition and for that reason the event could run the risk of providing a very personal view and selection (Portuguese Painting from the Last 3 Decades, 1988).
Contextualising the Foundation's work in this field at a time influenced by a dictatorship, Sommer Ribeiro began by underlining the role played by the FCG from the beginning by supporting Portuguese artists and how it gradually contributed to changes in Portuguese artistic and cultural life. As well as a policy to encourage artistic specialisation by providing grants within Portugal but also, above all, abroad (with Paris and London as the main destinations), the FCG also organised important exhibitions on the arts in Portugal during the 1950s and the start of the following decade (see I Exposição de Artes Plásticas, 1957 and II Exposição de Artes Plásticas, 1961).
Young artists emerged from these new international artistic contexts with more up-to-date works, more aware of the issues of contemporary Western art. It was against this backdrop that a group of artists known as KWY was formed in Paris, the members of which would decisively mark the Portuguese art of the following decades. At the same time, during the 1960s, innovative individual careers emerged in Portugal that explored new issues in painting.
With the 25 April 1974 revolution and the shift to a democratic regime, a new and more experimental artistic attitude emerged that explored the paths of conceptual art and interdisciplinary art, and the Alternativa Zero collective responded to this.
The opening of the CAM in 1983, the public display of a collection that had been formed since 1957 and the exhibition work boosted by the new Centre revitalised and also normalised artistic work and dissemination and this impact had repercussions on the Portuguese museum landscape as a result.
The contemporary Portuguese painting section of the collection provides a representative view of artistic practices in those last thirty years: the 1960s were presented with the new figuration of Joaquim Rodrigo (1912-1997), recollections of the School of Paris by Menez (1926-1995) with profiles of human figures in the painting of Lourdes Castro (1930); the 1970s were represented by the humour and intense colour of paintings by José de Guimarães (1939) and simplified forms and colours in the work of Júlio Pomar (1926-2018).
The 1980s was perhaps the decade that received the most attention in the exhibition, judging by the number of painters and works from that period, which covered diverse careers with great differences between generations, starting with the return to painting by António Dacosta (1914-1990), issues of the body, work and artistic interdisciplinarity in the work of Helena Almeida (1934-2018) and anthropomorphism in paintings by Paula Rego (1935), to give just a few examples of the work exhibited.
The exhibition catalogue a bilingual English-Portuguese publication included an introduction and discussion of the historical context of the period in question by the exhibition's curator, as already mentioned, biographies of the artists and some colour reproductions of the pieces shown.

Ficha Técnica


Artistas / Participantes


Coleção Gulbenkian

Auto

Álvaro Lapa (1939-2006)

Auto, 1982 / Inv. 83P626

Homenagem a Malevitch

António Costa Pinheiro (1932- 2015)

Homenagem a Malevitch, 1967/69 / Inv. 83P465

O Pintor Ele - Mesmo no Seu Espaço-Poético

António Costa Pinheiro (1932- 2015)

O Pintor Ele - Mesmo no Seu Espaço-Poético, 1979/80 / Inv. 83P464

Não há sim sem não - O Eremita

António Dacosta (1914-1990)

Não há sim sem não - O Eremita, 1985 / Inv. 86P128

Sonho de Fernando Pessoa Debaixo de uma Latada numa Tarde de Verão

António Dacosta (1914-1990)

Sonho de Fernando Pessoa Debaixo de uma Latada numa Tarde de Verão, 1982/83 / Inv. 84P129

sem título

António Sena (1941- )

sem título, 1983/84 / Inv. P1247

Néctar

Eduardo Batarda (1943- )

Néctar, 1984/85 / Inv. 86P698

Muralha da China

Filipe Rocha da Silva (1954 -)

Muralha da China, 1986 / Inv. 86P435

A Caça

Graça Morais (1948- )

A Caça, 1982 / Inv. 83P593

Corte Secreto

Helena Almeida (1934-2018)

Corte Secreto, 1981 / Inv. 85FP380

Happy Fool

Joaquim Bravo (1935-1990)

Happy Fool, 1985 / Inv. 86P472

Lisboa - Algeciras

Joaquim Rodrigo (1912-1997)

Lisboa - Algeciras, 1969 / Inv. 69P145

Simón Caraballo

Joaquim Rodrigo (1912-1997)

Simón Caraballo, 1961 / Inv. 83P144

S/Título

Jorge Martins (1940-)

S/Título, 1985 / Inv. 86P520

Passeio de Rubens e Helène Fourment

José de Guimarães (1939-)

Passeio de Rubens e Helène Fourment, 1978 / Inv. 80P590

Just a Skin Affair

Julião Sarmento (1948-2021)

Just a Skin Affair, 1988 / Inv. 88P346

Le Luxe

Júlio Pomar (1926-2018)

Le Luxe, 1979 / Inv. 83P766

Lusitânia no Bairro Latino (Retratos de Mário de Sá Carneiro, Santa-Rita Pintor e Amadeo de Souza Cardoso)

Júlio Pomar (1926-2018)

Lusitânia no Bairro Latino (Retratos de Mário de Sá Carneiro, Santa-Rita Pintor e Amadeo de Souza Cardoso), 1985 / Inv. 88P584

Odalisque d' Après Ingres

Lourdes Castro (1930-2022)

Odalisque d' Après Ingres, 1964 / Inv. 67P291

Do Subnaturalismo ao Sobrenaturalismo (Pintura Fria)

Luís Noronha da Costa (1942-2020)

Do Subnaturalismo ao Sobrenaturalismo (Pintura Fria), 1988 / Inv. 88P535

Leque

Manuel Baptista (1936-)

Leque, 1982 / Inv. 83P1000

S/Título

Menez (1926-1995)

S/Título, 1988 / Inv. 88P195

S/título

Menez (1926-1995)

S/título, 1965 / Inv. 83P186

Retrato de Grimau

Paula Rego (1935-2022)

Retrato de Grimau, c.1964-1965 / Inv. 65P263

The Vivian Girls as Windmills

Paula Rego (1935-2022)

The Vivian Girls as Windmills, 1984 / Inv. 86P589

S/Título

Pedro Calapez (1953-)

S/Título, 1987 / Inv. 87P780

Estudo para retrato de Sofia

Sérgio Pombo (1947-2022 )

Estudo para retrato de Sofia, 1982 / Inv. 83P1469

S/Título

Teresa Magalhães (1944-)

S/Título, 1985 / Inv. 86P819


Publicações


Exposições Relacionadas

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.