Arquivo Álvaro Siza

 

Em 2014, o arquiteto Siza Vieira doou o seu arquivo resultado da sua atividade profissional, iniciada na década de 1950. Nome maior da arquitetura contemporânea mundial, Álvaro Siza Vieira distribuiu o conjunto da documentação por três diferentes instituições: o Centro Canadiano de Arquitetura (CCA), a Fundação de Serralves e a Fundação Calouste Gulbenkian, acordando as três instituições aspetos relativos ao seu tratamento documental, à sua acessibilidade e partilha virtual. No seu conjunto, o Arquivo Álvaro Siza contém cerca de 60.000 desenhos, 500 maquetas e 282 cadernos de esboços e inclui também uma parte de documentação já produzida em ambiente digital.

Para integrar o núcleo que foi doado à Fundação Calouste Gulbenkian, que fica a pertencer ao acervo documental da Biblioteca de Arte e Arquivos, Siza Vieira escolheu 38 projetos que incluem documentação diversa sobre as diferentes fases dum projeto arquitetónico: peças desenhadas e escritas, nomeadamente memórias descritivas e correspondência, assim como maquetas e processos de obra. Entre estes 38 projetos contam-se alguns emblemáticos da obra de Siza Vieira, como o da Escola Superior de Educação de Setúbal (1986-1994), o da Igreja de Santa Maria e Centro Paroquial de Marco de Canaveses (1990-1996), o Pavilhão de Portugal na Expo’98 e a Biblioteca da Universidade de Aveiro (1988-1995). Neste conjunto incluem-se igualmente outros projetos que o arquiteto realizou para atividades da Fundação Calouste Gulbenkian, nomeadamente o do stande que a representou nas Feiras do Livro de Frankfurt (1997) e de Paris (1998) e o projeto cenográfico para o bailado Quatro Árias de Ópera interpretado pelo Ballet Gulbenkian (1996).

 

Tratamento documental e disponibilização ao público

Prevê-se que o tratamento documental deste Arquivo Álvaro Siza – que inclui a digitalização dos documentos, assim como a sua descrição catalográfica – decorra ao longo de 2018 e 2019, período durante o qual não poderá ser consultado. À medida que forem tratados, os projetos vão sendo disponibilizados no catálogo da Biblioteca de Arte.

Do conjunto dos projetos que integram o Arquivo Álvaro Siza na Biblioteca de Arte e Arquivos três encontram-se já disponíveis para consulta a partir do catálogo: Casa Vieira de Castro (1984-1991), Casa António Carlos Siza (1976-1980) e Recuperação da Casa do Caseiro – Casa Vieira de Castro (1984-1985).

Esta é lista dos projetos do Arquivo Álvaro Siza na Biblioteca de Arte e Arquivos Gulbenkian.

Formado pela Escola de Arquitectura da Universidade do Porto, Álvaro Joaquim de Melo Siza Vieira nasceu em Matosinhos (Porto), no dia 25 de junho de 1933. No decurso da sua extensa e notável carreira, a sua obra tem vindo a ser amplamente reconhecida. Em 1988, foi distinguido com a Medalha de Ouro do Consejo Superior de los Colegios de Arquitetos de España, a Medalha de Ouro da Alvar Aalto Foundation, o Prémio Prince of Wales for Urban Design, da Harvard University e com o Prémio da European Union for Contemporary Architecture – Mies van der Rohe Award da Fundació Mies van der Rohe. Siza foi também distinguido, em 1992, com o Prémio Pritzker for Architecture; em 1998, com o Praemium Imperiale pela Japan Art Association; em 2009, com a Medalha de Ouro do Royal Institute of British Architects; em 2012, foi galardoado com o Leone d’oro alla Carriera na Biennale di Venezia.