Rui Chafes et Alberto Giacometti

Gris, vide, cris, três palavras escolhidas de um verso de Alberto Giacometti, reúnem nesta exposição dois artistas, afastados no espaço, no tempo e nas formas que deram às suas esculturas. Pode portanto, justamente, interrogar-se o sentido e a natureza desta reunião. Na verdade os artistas não se cruzaram. Rui Chafes nasceu exactamente no ano da morte de Giacometti, em 1966, e não há matéria biográfica ou histórica para alimentar o modelo de um diálogo. Daí que a exposição se assuma, desde a sua génese, como um encontro

Como atingir a partir da matéria, o ponto de imaterialidade e de transcendência? Como representar o invisível? Alberto Giacometti e Rui Chafes tomam caminhos autónomos nesta pesquisa: Giacometti numa exasperada desmaterialização, Rui Chafes, desafiando o ferro até aos limites da imponderabilidade. A tensão criada pelas obras dos dois escultores encontra-se numa lâmina, entre a ascensão e a queda. Sem se desviar da natureza da sua própria pesquisa, Rui Chafes permite uma aproximação única à obra de Giacometti, uma experiência sensível onde se impõem o silêncio e a solidão.

Saber mais sobre a exposição

 


Ficha técnica

Textos:
Christian Alandete, Rui Chafes, Doris von Drathen, Helena de Freitas, Guilherme d'Oliveira Martins, Miguel Magalhães
Coordenação editorial:
Fondation Calouste Gulbenkian - Délégation en France
Editado:
Maia, 2018
Páginas:
112
Língua:
français
Dimensões:
21 x 26 cm
ISBN:
978-989-8935-00-7
Loja:
A l'accueil de la Fondation
Preço:
29 €
Stock:
available
Atualização em 26 Novembro 2018