Graindelavoix © Koen Broos

Graindelavoix

O Graindelavoix é um agrupamento artístico multidisciplinar e um coletivo de artistas com sede em Antuérpia. Foi fundado no início do século XXI pelo antropólogo e etnomusicólogo Björn Schmelzer.  O fascínio pela voz, a genealogia dos repertórios vocais e a sua relação com os afetos, a história e as culturas, são alguns dos elementos que estão na base da sua filosofia e do seu trabalho. Depois das apresentações públicas iniciais, a primeira gravação – Missa Caput de Johannes Ockeghem, lançada em 2006 na etiqueta Glossa – ajudou a catapultar o Graindelavoix para os palcos internacionais.

Cada novo projeto do Graindelavoix começa com um gesto musical concreto, um repertório ou uma obra, mas ao longo do processo de construção é dada especial atenção às ações do complexo fluxo do tempo e aos aspetos transformadores da prática, através da realização de um leitura ativa no sentido medieval. Os artistas do Graindelavoix exploram a forma como poderão guiar os públicos também no sentido de reconstruírem as suas próprias memórias e significados. Os membros do Graindelavoix são oriundos de diferentes tradições, com diversificados antecedentes artísticos e conhecimentos, sendo esta heterogeneidade aprofundada em cada nova atuação.

O Graindelavoix é reconhecido pela sua abordagem pioneira e inteiramente nova de repertórios antigos. Recebeu várias distinções, incluído o Prémio Edison, dois Prémios Klara Music e o Prémio Caecilia da imprensa musical belga, para além de vários prémios de revistas de música internacionais como Répertoire, Pizzicato e Scherzo.

Em 2011 o Graindelavoix colaborou com a companhia de dança Rosas, de Anne Teresa De Keersmaeker, na produção do espetáculo Cesena, estreado em Avignon.  Cria regularmente projetos multimédia e multidisciplinares como os filmes Ossuaires e Muntagna Nera, ou a peça teatral em torno da polifonia alemã do início do século XVI, Trabe Dich Thierlein, que estreou no Festival das Artes de Weimar em 2014. Apresentou-se ainda noutros importantes palcos como os festivais Zomer Van Antwerpen, Laus Polyphoniae, Berliner Festspiele, Wratislavia Cantans, Alte Musik Regensburg ou Kunstfest Weimar Ruhrtriennale.  Residente na Fundação Royaumont, perto de Paris, desde 2015, o Graindelavoix é apoiado estruturalmente pela Comunidade Flamenga. Apresentou-se pela primeira vez na Gulbenkian Música em abril de 2014, tendo regressado todas as temporadas desde então.

 

Março 2018