FCG Secção: Jardim

Loureiro-cerejeiro

Prunus laurocerasus

Família e descrição

Pertencente à família Rosaceae, género Prunus, o Prunus laurocerasus é um arbusto ou pequena árvore de folha persistente que pode alcançar os 8metros de altura e que tem uma copa muito ramificada, com ramos divergentes. O tronco possui uma casca castanho-escura com numerosas saliências.

As folhas são alongadas em forma de lança, de base arredondada, com margem ligeiramente dentada, lisas e rijas, verde-escuras, lustrosas na página superior.

As flores brancas surgem em abril e dispõem-se em cachos com 8 a 13 cm de comprimento. São flores aromáticas, pequenas, com 5 pétalas de cerca de 4mm.

O fruto é uma drupa, semelhante a uma cereja, que surge entre julho e agosto e que se agrupa em cachos. A cor varia entre verde, no início, vermelho e, finalmente, negro, quando maduro.

 

Origem e habitat

Esta espécie é natural do sudeste da Europa e Ásia Menor. Cultivada e subespontânea em locais de clima temperado, pode aparecer em bosques luminosos de folhosas e encostas sombrias.

Tolera a secura e o ensombramento e tem preferência por solos húmidos e profundos, ricos em matéria orgânica.

 

Utilizações e curiosidades

Esta espécie é “prima” da amendoeira, pessegueiro, ameixeira, damasqueiro, cerejeira, etc.
A denominação “loureiro-cerejeiro” tem a ver com as semelhanças da folha com a do loureiro e do fruto com o da cerejeira, espécie da mesma família e género.

É uma espécie tóxica, uma vez que possui elevado ácido prússico nos ramos e folhas. No entanto, os frutos são comestíveis (à exceção da semente) e muito apreciados por aves que, pela sua ingestão, disseminam as sementes, contribuindo para a sua espontânea propagação.

É uma espécie com propriedades medicinais, usada em homeopatia como calmante do sistema nervoso.
Introduzida como ornamental em Portugal e Sul da Europa, é muito cultivada em jardins e parques, sendo utilizada em sebes e topiária, uma vez que suporta bem a poda.