FCG Secção: Jardim

Freixo-de-flor

Fraxinus ornus

Família e descrição

Da família Oleaceae, o freixo de flor é uma árvore de folha caduca, que pode alcançar até 15 m de altura. O tronco é cinzento e macio com gemas de cor parda.

As folhas possuem 7 a 9 folíolos ovados a lanceolados, com margens finamente serradas. A folhagem torna-se amarela no outono, antes de cair.

As flores, ao contrário das outras espécies peninsulares, nascem depois das folhas. Agrupam-se em inflorescências grandes e vistosas, mais ou menos erguidas, com aspeto de panículas, geralmente em posição terminal. São hermafroditas, com sépalas muito pequenas, 4 pétalas de 15 mm. Possuem um agradável odor.

O fruto é uma sâmara, mais larga no centro do que nos extremos.

 

Origem e habitat

Natural dos países do Norte da região mediterrânica. Na Península Ibérica encontra-se principalmente nas serras do nascente meridional.

É uma espécie com alguma resistência à seca, capaz de se desenvolver em solos pobres. Geralmente desenvolve-se em solos calcários ou silícios e, nas regiões mais a sul pode ser encontrado em áreas montanhosas. Nas regiões de onde é original tem a capacidade de colonizar habitats degradados, sendo usada em projetos de reflorestação de áreas degradadas.

 

Utilizações e curiosidades

O Freixo produz uma madeira de muito boa qualidade por ser elástica e dura, usada em mobiliário, utensílios de madeira, escadas, etc.

No passado e ainda hoje as folhas e a casca do freixo utilizam-se na alimentação dos animais.

As suas flores perfumadas atraem diversos insetos polinizadores.

A sua seiva, cristalizada pelo vento, é um tipo de açúcar com variadas utilizações: como adoçante, para pessoas intolerantes ao açúcar, no fabrico de vários medicamentos, no fabrico de resinas e no fabrico de condensadores eletrolíticos secos.