Carvalho-alvarinho

Quercus Robur

Família e descrição

Do género Quercus, e família Fagaceae, o Quercus robur é uma árvore de folha caduca, que pode atingir uma altura de 30-40 metros.

De copa bastante ramificada, possui tronco e ramos de casca lisa quando jovens tornando-se grossa e fendida com a idade. O sistema radicular pivotante forma raízes secundárias bastante profundas que lhe conferem grande capacidade de resistência ao vento.

A floração ocorre entre abril e maio, com a floração feminina e masculina desfasadas no tempo, de forma a evitar a autofecundação, já que a espécie é monoica. As flores masculinas são amentilhos filiformes e as femininas, amentilhos pequenos e arredondados.

O fruto, a bolota (glande), amadurece entre setembro e outubro.

Esta árvore apenas começa a produzir fruto em abundância e qualidade a partir dos 60 anos de idade.

 

Origem e habitat

Originária da Europa e muito característica da flora portuguesa, o carvalho-alvarinho é uma das espécies com maior área natural de expansão no continente europeu e um dos representantes da vegetação secular de Portugal, correspondendo o seu habitat a matas em clima temperado, com maior influência climática atlântica.

Os carvalhais de carvalho-alvarinho estão entre os ecossistemas cuja riqueza faunística é mais elevada em Portugal continental, possuindo uma grande importância no que respeita à conservação da natureza. Estes carvalhais representam uma importante fonte de alimento, albergando uma grande biodiversidade de flora e fauna.

É uma das espécies de carvalhos nativos com maior longevidade e um excelente criador de solos. No que respeita às condições ambientais, o carvalho-alvarinho aparece sobretudo a baixas altitudes, podendo, no entanto, ocorrer até aos 1.000 m. Prefere solos frescos, profundos e férteis. É pouco tolerante aos solos calcários, ocorrendo preferencialmente em solos siliciosos. Desenvolve-se idealmente em climas húmidos, oceânicos, onde se sinta pouco a secura estival, e necessita de muita água e solos com boa retenção de água, apresentando baixa tolerância a frios intensos ou geadas. Ocorre em bosques caducifólios mistos, mas também pode formar bosques onde é a espécie principal.

 

Utilizações e curiosidades

As galhas ou bugalhos que se formam nos ramos são estruturas destinadas à defesa contra invasores das plantas, produzidas em resposta à postura de ovos por pequenas vespas, moscas, escaravelhos ou ácaros.

A sua bolota foi muito utilizada na alimentação antes do período das Descobertas, sendo que a população deste extremo ocidental da Europa, que não conhecia o trigo, comia um pão feito de farinha de bolota. A bolota também possui aplicações medicinais.

Robur era o termo utilizado para a designação de madeiras de grande dureza e solidez. A madeira de carvalho-alvarinho, para além de dura, é de grão fino e apresenta anéis de crescimento bem demarcados. É bastante resistente, tendo sido muito utilizada na construção de edifícios medievais e na construção naval. É considerada como uma das mais valiosas madeiras duras da Europa. Todas estas características levaram a uma procura e preferência, por parte dos europeus, pela madeira de carvalho-alvarinho, o que em muito contribuiu para o desaparecimento de vastas áreas deste carvalhal na Europa.